Adel acompanha pesquisa sobre os impactos da meliponicultura no Médio Curu

Reunião com meliponicultores na comunidade de Lagoa das Pedras, Apuiarés/CE

Neste trimestre, a graduanda em Agronomia Juliana Lemchen, realizou sob a supervisão da Diretoria de Programas da Adel, pesquisa sobre a importância da meliponicultura para o desenvolvimento sustentável. A pesquisa faz parte do estágio supervisionado de Juliana na Adel e compõe o seu trabalho de conclusão do curso.

Estudante da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Juliana está desde o segundo semestre de 2016 estudando na Universidade Federal do Ceará (UFC), através do Programa ANDIFES de mobilidade acadêmica que alcança estudantes regularmente matriculados em cursos de graduação de universidades federais.

Segundo Juliana, a decisão de fazer o estágio supervisionado na Adel surgiu da convergência de aspirações que ela tinha e das particularidades da própria instituição que trabalha diretamente com a meliponicultura. “Minha vontade de trabalhar e desenvolver uma pesquisa com meliponicultura, aliada a necessidade de dados acerca da prática na região, resultou na realização deste projeto de pesquisa”.

Durante o estágio, com duração de oito semanas, Juliana planejou e elaborou as ferramentas da pesquisa; participou de reuniões com os grupos produtivos beneficiários dos Projetos de Meliponicultura desenvolvidos pela Adel e integrantes da Rede Néctar do Sertão; realizou visitas aos meliponicultores para coleta de dados; e, elaborou um relatório da pesquisa.

A pesquisa

O Projeto de Pesquisa “Meliponicultura e sua importância para o desenvolvimento sustentável: Estudo de caso da Rede Néctar do Sertão” desenvolvido por Juliana tem como foco compreender como a meliponicultura se insere no contexto produtivo da agricultura familiar.

Juliana entrevistando meliponicultor na comunidade de Vila Soares, Apuiarés/CE

O objetivo principal foi analisar a partir da diversidade da agricultura familiar como a meliponicultura tornou-se uma fonte alternativa de renda para as famílias que fazem parte da Rede Néctar do Sertão. Na pesquisa foram analisados as intenções iniciais de cada meliponicultor(a) ao ingressar nos Projetos realizados pela Adel; as dificuldades enfrentadas para realização da atividade; a forma como a meliponicultura está sendo conduzida pelas(os) meliponicultoras(es); e, os resultados diretos e indiretos que tiveram com o início da atividade.

A coleta destes dados foram feitos através da aplicação de um questionário, entrevistas e vivências em campo. Juliana esteve durante a pesquisa, ao longo de quatro semanas, nas comunidades de Boa Vista, Lagoa das Pedras, Assentamento São Pedro, Monte Alverne, Riacho do Paulo, Alto dos Caetanos, Sítio do Meio, Vila Soares e Vila Nova, aplicando os questionários e vivenciando o cotidiano das famílias a fim de compreender como a meliponicultura se insere no contexto sociocultural e econômico de cada morador.

Na pesquisa, além dos dados quantitativos, os fatores subjetivos foram bastante relevantes para análise dos aspectos socioculturais. Para Juliana, as vivências foram de extrema importância para elaboração dos resultados da pesquisa e para sua formação.

“No que diz respeito ao pessoal e profissional, a experiência tem sido ímpar. Não imagino forma melhor de me apropriar o máximo da meliponicultura, como está sendo com essa oportunidade. Me deparei com as mais diversas situações para as quais o meu questionário, acadêmico-universitário, não estava preparado para receber as respostas, já que a realidade do rural é muito diferente da teorizada em sala de aula”, expressa Juliana.

Os resultados

Após a coleta de dados, Juliana realizou entre os dias 14 e 16 de março, reuniões com os meliponicultores(as) que participaram da pesquisa para apresentação de dados quantitativos da pesquisa e impactos que foram observados.

Apresentação dos resultados da pesquisa na comunidade de Sitio do Meio, Pentecoste/CE

Na última quarta-feira (22/03), Juliana apresentou para Diretoria da Adel os dados da pesquisa e em maio ela finaliza o relatório do estágio. A priori, Juliana ressalta que na pesquisa vivenciou diversos estágios da meliponicultura, uma das fontes econômicas da agricultura familiar. Segundo a Diretora de Programas da Adel, Aurigele Alves, este foi um trabalho piloto de pesquisa sobre a meliponicultura que ajuda a entender melhor a atividade e o crescimento da Rede Néctar do Sertão.

“Foi uma experiência incrível para Adel acompanhar a Juliana nesta pesquisa. Certamente, os resultados serão referência para outros técnicos, estudantes, pesquisadores e para nós da Adel seguir no monitoramento e atualização dos dados coletados inicialmente”, enfatiza Aurigele.

Além do relatório técnico com dados acerca da meliponicultura na região do Médio do Curu, Juliana pretende posteriormente, elaborar uma cartilha com informações da pesquisa para acesso das comunidades.

Em geral, a pesquisa aponta que os Projetos de Meliponicultura desenvolvidos pela Adel, gera expectativas positivas para os participantes da Rede Néctar do Sertão. Eles veem que no futuro a atividade poderá complementar a renda e também avaliar como um fator positivo criar e preservar as espécies nativas (jandaíra) e o meio ambiente.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *