Adel e CEPFS realizam Intercâmbio de Saberes e Aprendizados

Na última quinta-feira (19/01), a Adel recebeu a equipe do Centro de Educação Popular e Formação Social (CEPFS), de Teixeira, Paraíba, para dá continuidade ao Intercâmbio de Saberes e Aprendizados entre Adel e CEPFS. O intercâmbio foi viabilizado pela linha de apoio a Arranjos Colaborativos da BrazilFoundation.

Em novembro de 2016, a Adel esteve em Teixeira, para conhecer as tecnologias sociais implementadas pelo CEPFS no Sertão da Paraíba. Na ocasião, a equipe da Adel conheceu a Área Experimental implantada pela organização, em Riacho das Moças, Matureia, e os Fundos Rotativos Solidários. Ambos foram criados com o objetivo de promover o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar.

Agora foi a vez da Adel receber a equipe do CEPFS no Ceará, e refletir juntos quais os saberes e aprendizagens de cada organização podem ser experimentados nos espaços onde atuam. A equipe do CEPFS foi composta por Aurilene Venâncio, Coordenadora Pedagógica; Rubenildo Pereira, jovem agricultor e educador; Adailson Vital, Coordenador Técnico de Projeto; e, Renale Benício, Assessora de Comunicação.

Reunião com lideranças da União das Associações do Vale do Rio Canindé (UAVRC)

Durante a visita, a equipe do CEPFS conheceu o trabalho da Adel no território e as experiências com microcrédito realizadas com os agricultores familiares. No período da manhã, a equipe do CEPFS reuniu-se na sede da Adel em Pentecoste, para discutir como é possível através das tecnologias de Fundos Rotativos Solidários potencializar a capacidade produtiva das comunidades rurais. No período da tarde, eles estiveram em campo, visitando a experiência do Fundo Rotativo Solidário de Acesso à Água promovido pela Adel em parceria com a União das Associações do Vale do Rio Canindé (UAVRC).

A UAVRC é uma rede que reúne cerca de quinze associações comunitárias do Vale do Rio Canindé para pensar o desenvolvimento das comunidades rurais. Desde 2013, a UAVRC coordena junto com a Adel o Fundo Rotativo Solidário de Acesso à Água com o intuito de promover e facilitar o acesso às tecnologias de segurança hídrica entre os agricultores da região.

Paulo Ricardo (à esquerda), jovem beneficiado com o Fundo Rotativo Solidário de Acesso à Água e Adailson Vital (à direita), Coordenador Técnico de Projetos do CEPFS

Através deste Fundo, 25 famílias foram beneficiadas com o modelo de cisternas desenvolvido pelo CEPFS, que tem um sistema de boia para lavagem do telhado e uma bomba d’água, denominada “trampolim”, acoplada para facilitar a coleta de água sem contaminação. A replicação desta ideia do CEPFS no Ceará foi a primeira troca de saberes entre Adel e CEPFS.

Desta vez, as experiências com Fundos Rotativos Solidários serão sistematizadas e compartilhadas entre as duas organizações. Com o apoio da BrazilFondation, a Adel e CEPFS vão divulgar através de uma cartilha os conhecimentos e técnicas desenvolvidas com os agricultores familiares e os jovens rurais em prol do desenvolvimento do Sertão do Nordeste brasileiro.

Segundo Adailson Vital, Coordenador Técnico de Projeto do CEPFS, o intercâmbio é uma troca de experiência entre agricultores, técnicos e entidades de suma importância para o fortalecimento e aprimoramento da nossa formação e de diversos saberes. “Foi muito construtivo participar desta experiência entre Adel e CEPFS”.

“A troca de conhecimento entre as instituições e as comunidades, na qual cada uma mostra os pontos positivos e negativos das formas de condução dos projetos, é de extrema importância para o fortalecimento das mesmas”, enfatiza Anderson Vieira, Assistente de Projetos da Adel, que esteve presente nos dois momentos do intercâmbio.

Intercâmbio de Saberes e Aprendizados

O Intercâmbio de Saberes e Aprendizados entre Adel e CEPFS foi viabilizado pela BrazilFoundation através do Programa Arranjos Colaborativos. O intuito é promover aprendizagens e fortalecer o trabalho das organizações participantes.

Equipe Adel e CEPFS em Pentecoste

Através do Programa Arranjos Colaborativos a Adel teve a oportunidade de participar de dois intercâmbios. O primeiro com os povos da Floresta (Casa do Rio) e o segundo com o Sertão (CEPFS). Ambas as experiências foram fundamentais para conhecer a diversidade e as expertises de cada instituição e planejar a replicação de algumas tecnologias sociais.

A exemplo, a Casa do Rio, após conhecer o Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) desenvolvido pela Adel, planejam construir o Centro de Empreendedorismo Tupigá, às margens do rio Tupana (AM), que irá beneficiar as comunidades amazonenses.

Para Evilene Abreu, Diretora de Comunicação da Adel, os intercâmbios são bastante significativos. “Eles nos ajudam a refletir sobre nossas práticas, nos desperta e nos encoraja a reinventar nossas ações. Conhecer as expertises das outras organizações e quais os desafios elas encontraram na implantação dos projetos nos fortalece e nos faz perceber o quanto é valoroso os caminhos que decidimos trilhar”.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *