Adel inicia as atividades do Projeto Moradia Urbana com Tecnologia Social (MUTS)

A partir de hoje (16/03), a Adel inicia o autorrecenseamento do Projeto Moradia Urbana com Tecnologia Social (MUTS) no Residencial Nova Caiçara (Orgulho Tropical II), em Sobral. O autorrecenseamento é uma atividade que busca fortalecer a comunidade para que ela seja protagonista nas transformações do lugar onde vivem e de suas próprias vidas.

A atividade de autorrecenseamento viabiliza a efetiva participação dos moradores e é um dos eixos da tecnologia social “Transformando Realidades por meio da Mobilização e Organização Comunitária” desenvolvido pela Rede Internacional de Ação Comunitária – INTERAÇÃO. Esta tecnologia é baseada nos instrumentos da instituição internacional Slum Dwellers International (SDI) e tem possibilitado o fortalecimento das comunidades urbanas.

A metodologia do SDI é constituída pelo tripé – poupança comunitária, autorrecenseamento e intercâmbio de experiências. No Brasil, o SDI é representado pela INTERAÇÃO. Antes de iniciarmos o autorrecenseamento, a Adel juntamente com a INTERAÇÃO mobilizou os moradores, realizou oficinas, reuniões setoriais e a primeira assembleia de moradores do Residencial Nova Caiçara.

Reunião com moradores do Residencial Nova Caiçara (Orgulho Tropical II)

O Residencial Nova Caiçara (Orgulho Tropical II) foi construído através do Programa Minha Casa Minha Vida e 832 famílias são beneficiadas pelo Projeto. Inicialmente, os moradores do Residencial participam do autorrecenseamento e, posteriormente, eles terão a possibilidade de escolher dentre quatro tecnologias sociais – Bibliotecas Comunitárias; Gestão Comunitária de Resíduos Sólidos Orgânicos e Agricultura Urbana; Hortas Urbanas; ou, Joias Sustentáveis, qual desejam implementar na comunidade.

Após a escolha da tecnologia social pelos moradores, a Adel com o apoio da organização proponente da tecnologia social inicia o processo de implantação. Além da Fundação Banco do Brasil e das organizações proponentes, o Projeto Moradia Urbana com Tecnologia Social é realizado em Sobral pela Adel e Cáritas Cratéus, com apoio local dos moradores e da Prefeitura Municipal de Sobral.

Primeira Assembleia de moradores do Residencial Nova Caiçara (Orgulho Tropical II) – 21/03/2017

O Projeto conta com um Grupo de Acompanhamento Local (GAL) constituído por representantes do Banco do Brasil, moradores do Residencial, poder público e instituição executora do Projeto. A Adel é representada por Wagner Gomes, Diretor de Negócios. As demais instituições são representadas por: Bruno Costa (Banco do Brasil); Francisco Barbosa (Presidente da Associação de Nova Caiçara); e, Iracema Souza (Secretaria dos Direitos Humanos, Habitação e Assistência Social de Sobral). As reuniões do Grupo são realizadas preferencialmente em Sobral.

Sobre o Projeto Moradia Urbana com Tecnologia Social (MUTS)

O Projeto Moradia Urbana com Tecnologia Social nasce de um caso de sucesso de atuação da Fundação Banco do Brasil na reaplicação da Tecnologia Social “Cisternas de Placas” certificada em 2001, que se tornou uma política pública para o semiárido brasileiro do governo federal: Programa 1 Milhão de Cisternas – P1MC.

Para o Projeto, a Fundação Banco do Brasil identificou no BTS, tecnologias sociais, certificadas pelo Prêmio Fundação Banco do Brasil, passíveis de serem reaplicadas em empreendimentos habitacionais do PNHU e as estruturou de forma a serem implementadas em duas fases:

Primeira Tecnologia Social

A primeira TS a ser reaplicada em todos os empreendimentos beneficiados é a Transformando Realidades por meio da Mobilização e Organização Comunitária, desenvolvida pela Rede Internacional de Ação Comunitária – INTERAÇÃO, baseada nos instrumentos da instituição internacional Slum Dwellers International (SDI): autorrecenseamento, poupança comunitária e intercâmbio, e consiste fundamentalmente em um trabalho de mobilização e organização comunitária. Essa tecnologia será explicada detalhadamente mais adiante, em capítulo específico.

Segunda Tecnologia Social

São quatro as TS escolhidas para serem disponibilizadas para reaplicação na segunda fase do projeto, como continuidade à reaplicação da primeira TS:
· Criação de Bibliotecas Comunitárias – VAGA LUME;
· Gestão Comunitária de Resíduos Orgânicos e Agricultura Urbana – CEPAGRO;
· Produção Agroecológica de Alimentos em Meio Urbano: Hortas Urbanas – Instituto PÓLIS;
· Joias Sustentáveis na Ilha das Flores – REDE CRIAR.

As segundas TS serão reaplicadas nos empreendimentos beneficiados de acordo com a escolha dos moradores durante o processo de reaplicação da primeira TS. Ou seja, enquanto a primeira TS será reaplicada em todos os empreendimentos, estabelecendo os primeiros passos de mobilização e organização comunitária, a segunda será escolhida dentre as quatro citadas para desenvolver ações de consolidação da organização comunitária.

Mais informações: https://moradiaurbanats.org.br/

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *