Boas práticas na criação de galinha caipira

D. Maria Josefina, produtora no seu aviário na comunidade de Zabelê/Touros – RN

A criação de galinha caipira é uma das principais atividades economicamente viáveis no Brasil. O País é o terceiro maior produtor de carne de frango do mundo, de acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). A atividade é típica da agricultura familiar, e, tem se tornado uma alternativa de negócio para a população rural.

O sistema de criação de galinhas caipiras consiste na construção de instalações simples e funcionais, a partir dos recursos naturais disponíveis nas propriedades. O principal objetivo da instalação de aviários é oferecer um ambiente higiênico e protegido, que não permita a entrada de predadores e ajude a amenizar os impactos de variações extremas de temperatura e umidade, além de assegurar o acesso das aves a alimento e água.

Joelma Cassiano, jovem produtora no seu aviário na comunidade de Tubibus/Touros – RN

É importante que cada agricultor/a antes de iniciar uma criação de galinha caipira pesquise e escolha o tipo de sistema de criação adequado para sua propriedade. Após definir o sistema de criação, o passo seguinte é a construção e o manuseio de instalações adequadas. Por último, todos os agricultores/as devem realizar o manejo sanitário dos animais e do ambiente de instalação, adotar um calendário de vacinação, observar diariamente a saúde dos animais, limpar regularmente as instalações e equipamentos. Com esses cuidados básicos é possível alcançar melhores resultados econômicos com a produção de galinha caipira, ampliar a diversidade e ter uma renda familiar melhor.

Fortalecimento da avicultura nas comunidades rurais

A construção coletiva e cooperativa de um modelo de manejo tecnicamente adequado para a produção de galinha caipira nas comunidades gerando troca de conhecimentos entre agricultores e agricultoras é um dos objetivos dos projetos desenvolvidos pela Adel. No Rio Grande do Norte, 14 famílias de (3) comunidades rurais do município de Touros, foram contemplados com unidades experimentais para produção de galinha caipira, por meio do Programa EDP Renováveis Rural, iniciativa da EDP Renováveis.

As irmãs Drielizane Gondim, 26, e Edvânia Gondim, 28, estão entre as mulheres da comunidade Lagoa de Serra Verde, em Touros, que apostaram na criação de galinha caipira para ter sua própria renda no meio rural. Além de participarem de todas as formações que foram ministradas pela Adel ano passado, elas assumiram todo o processo de gestão do empreendimento, utilizando as técnicas que aprenderam.

Edvânia Gondim, jovem avicultura da comunidade de Lagoa de Serra Verde/Touros – RN

Segundo o Coordenador de Projetos da Adel, Paulo Segundo, antes das formações as famílias criavam galinha caipira de forma extensiva, não tinham um retorno financeiro significativo e pouco era investido na atividade. “As famílias foram contempladas com uma unidade experimental para criação de galinha caipira tornando suas atividades mais rentáveis. Elas têm seguido as orientações técnicas e ampliado os cuidados com as aves, higienização do espaço e alimentação”, relata.

Mas, além da gestão dos aviários, as irmãs Drielizane e Edvânia, começaram a mobilizar outras mulheres na comunidade e fundaram a Associação da Comunidade Lagoa de Serra Verde (ASLAG) com o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva local e contribuir com o desenvolvimento comunitário. Edvânia, inclusive, foi eleita por unanimidade, Presidente da Associação Comunitária.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *