Campanha revela jovens que representam a nova cara do sertão

“O que você pensa quando escuta a palavra sertão?”. Se pensou em agricultura precisa rever seus conceitos. Afinal, hoje, jovens empreendedores de comunidades do semiárido brasileiro desenvolvem projetos em diversas áreas. É isso que quer mostrar a campanha institucional “A Nova Cara do Sertão”, projeto desenvolvido pela ONG cearense Agência de Desenvolvimento Econômico Local (ADEL) em parceria com a ONG Rummos.
A ideia é apresentar a cada mês pela internet (http://www.adel.org.br/novacara.html) um ou uma jovem participante de projetos da ADEL, que represente o novo perfil da juventude do sertão: empreendedor e comprometido com soluções para o desenvolvimento de suas comunidades. A campanha lançada na última semana foi concebida para ter a duração de dois anos e buscar apoio para esses novos empreendedores que estão mudando o semiárido.
O diretor-executivo da ADEL, Wagner Gomes (na foto, à esquerda), que ano passado foi eleito Empreendedor Social de Futuro, em concurso do jornal Folha de São Paulo, ressalta que eles demonstram potencial nas mais diversas áreas, além da agricultura e zootecnia. Há iniciativas nas áreas de marketing, publicidade, gestão e elaboração de projetos e turismo rural, dentre outras.
Em janeiro, o jovem enfocado é Adriano Batista (na foto à direita) que, a exemplo de Wagner, é filho de agricultores, entrou na universidade depois de participar do Programa de Educação em Células Cooperativas (PRECE). Adriano cursou Zootecnia e voltou para o sertão, onde junto com Wagner foi um dos criadores da ADEL e hoje é diretor-técnico da entidade.
Como detalha o material de divulgação da campanha: São jovens que não têm como foco os problemas e obstáculos e, embora reconheçam os obstáculos históricos e a dificuldade de vencê-los, optam em transformar recursos, com criatividade e inovação, em trabalho, produção, conhecimento e tecnologias que vem construído a nova cara do sertão. Jovens que pensam, e põem em pratica, soluções sustentáveis para o desenvolvimento socioeconômico da região.
Para Wagner, a expectativa é das melhores. Por meio da campanha, os organizadores esperam conseguir patrocínios de empresários e a colaboração de voluntários, como estudantes universitários interessados em acompanhar os projetos desenvolvidos pela ADEL. Assim, dando visibilidade ao trabalho desses jovens, a campanha que levar bons exemplos para outros jovens e mostrar a investidores sociais, empresas e governos que “o Sertão brasileiro não apenas é viável, é uma terra de oportunidades”.

Fonte: http://www.boanoticia.org.br/noticias_detalhes.asp?Cod=2510

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *