“O curso proporciona muitas atividades que estimula não só aprender a negociar ou gerenciar, mas também incentiva o lado social de empreender e que podemos ajudar não só a nossa família, mas também a comunidade”.

O desejo de ser empreendedora sempre foi o sonho da jovem Maria das Luzes Castro Soares, 19 anos. Conhecida por todos como Romênia, primeiro nome que os pais haviam escolhido antes do nascimento dela, e residente na comunidade de Núcleo B, Pentecoste, ela é a terceira filha do casal de agricultores Carlos Alberto e Maria da Conceição.

Os pais contam que, desde pequena, Romênia era muito autônoma para estudar e buscar os objetivos dela. Quando criança, “negociava” com os amigos os brinquedos e fazia bingos de doces. Na adolescência, vendia cosméticos para adquirir o próprio dinheiro.

Segundo Maria da Conceição, mãe de Romênia, a filha sempre gostava de assistir TV e brincar com os poucos amigos que tinha na comunidade. “Eram poucas crianças, pois a comunidade até então era muito pequena e havia poucas famílias”. Além dos desenhos, o outro passatempo da filha eram as notícias sobre o campo que assistia com o pai. “Gostava de assistir desenhos, mas ficava encantada em ver aqueles programas de negócios, como o Globo Rural e o Pequenas Empresas e Grandes Negócios. Só eu e meu pai assistia, minha mãe e minhas irmãs não gostavam muito, e com o tempo fui ficando mais interessada com o que via, é muito legal você ganhar seu próprio dinheiro”, diz Romênia.

A primeira atividade empreendedora da jovem foi aos 12 anos. Na época, fazia bingos de doces com os amigos. Romênia conta sorridente que esta brincadeira era muito legal. “Além dos doces que minha mãe fazia, eu também pegava coisas que ganhava ou comprava pra sortear e gerar mais dinheiro”.

No ano seguinte, Romênia começou a vender cosméticos em parceria com uma moradora da comunidade. Essa atividade aumentou a renda e também as aprendizagens. “Aprendi muito naquela época com a venda de cosméticos. Foram três anos de vendas, encerrei no primeiro ano do Ensino Médio porque descobri que minha parceira me enrolava (risos)”.

Após concluir o Ensino Médio, em 2013, Romênia ingressou no curso de Serviço Social e, por meio dos amigos da faculdade, soube da existência da Adel e do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER). De imediato, ela não teve interesse de participar do Curso Empreendedorismo e Gestão de Negócios do PJER. Não sabia como conciliar a faculdade com outra formação, mas o estímulo da família e o sonho adormecido de empreender levou a jovem a participar da seleção e a ingressar no Programa.

Para Romênia, a decisão de fazer os dois cursos ao mesmo tempo foi um desafio bastante válido. “Foi complicado participar da formação, mas valeu muito a pena cada semana que passei lá (Curso Empreendedorismo e Gestão de Negócios do PJER). O curso proporciona muitas atividades que estimula não só aprender a negociar ou gerenciar, mas também incentiva o lado social de empreender e que podemos ajudar não só a nossa família, mas também a comunidade”.

Após concluir o Curso Empreendedorismo e Gestão de Negócios, Romênia acessou uma linha de crédito do Fundo Veredas, estratégia da Adel para apoiar empreendimentos de jovens rurais no semiárido cearense. Ela investiu na produção de mamão, empreendimento agrícola que condiz com as condições climáticas da comunidade, e conta com a parceria do pai dela.

Durante o Curso Empreendedorismo e Gestão de Negócios, Romênia identificou esta oportunidade e, mesmo com os desafios de acesso à água, ela não hesitou em começar o negócio. “Inicialmente não imaginava que iria se identificar com um negócio agrícola, mas depois de muito estudo enxerguei o mamão como uma atividade viável para minha propriedade. Estamos com dez meses de negócio iniciado e quatro meses de produção, a renda ainda é pequena mas já estamos escoando a produção”.

Carlos Alberto, pai e parceiro da filha no empreendimento, ressalta orgulhoso a decisão da jovem. “Minha filha é muito importante para mim, pois ela permaneceu próximo da família e de mim. Investiu em um negócio que eu ajudo e que beneficia toda a nossa família. Sou grato pelo curso e pela pessoa que ela se tornou”. O empreendimento de Romênia tem pouco menos de um hectare e conta com 450 mamoeiros. Atualmente, a produção é comercializada no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) de Pentecoste, mas ela pretende alcançar novos mercados através da Caroá – Cooperativa de Jovens Empreendedores Rurais do território.