II Congresso Cearense de Agroecologia

Entre os dias 10 e 13 de novembro, aconteceu em Juazeiro do Norte, o II Congresso Cearense de Agroecologia na Universidade Federal do Ceará, Campus Cariri em Juazeiro do Norte. A ADEL em parceria com a Fundação Konrad Adenauer, o Instituto Agropolos e o Instituto Sesemar levou para o evento 40 pessoas, dentre eles, 32 jovens participantes do Programa Empreendedorismo do Jovem Rural – PEJR, 03 pessoas da equipe do Programa de Jovens e 05 produtores.
Durante esses dias, o grupo teve a oportunidade de participar de minicursos, palestras, conferências e oficinas com abordagem do tema: Agroecologia rumo ao desenvolvimento sustentável com diversos enfoques como agricultura familiar, questões agrárias, participação de gênero, políticas públicas, manejos adequados dos recursos naturais, economia, enfim, a construção do conhecimento ecológico.
Na ocasião, haviam expositores com produtos artesanais, orgânicos e material de divulgação sobre projetos de agroecologia. O principal objetivo do evento foi gerar uma discussão sobre os fundamentos agroecológicos na sociedade atual, fomentar a consciência ambiental e o zelo pelos recursos naturais de um modo geral.
“Participar desse evento foi uma oportunidade de obter novos conhecimentos e compartilhar experiências agroecológicas,” comenta Aparecida Rodrigues, jovem participante do PEJR. 
Além da programação do congresso, o grupo teve a oportunidade de visitar o Centro de Pesquisas Paleontológicas da Chapada do Araripe – CPCA no Crato e o Horto do Padre Cícero em Juazeiro do Norte. 
“O evento foi muito proveitoso, mas esperava maior participação dos agricultores. Em geral, foi uma experiência muito positiva, comenta Idavan Luz, agricultor da comunidade de Canafístula que também esteve no congresso.
No último dia da programação o grupo visitou o assentamento Malhada, no município do Crato, que virou modelo na agricultura de base familiar com recursos do Pronaf e se destaca na produção de goiaba orgânica, mandioca e na produção, beneficiamento e derivados do leite como queijos e iogurtes.
O grupo visitou a Miniusina de Pasteurização do Leite que beneficia o leite produzido na comunidade. Com a miniusina, o produtor passa a ser o industrial do leite, não mais dependendo das grandes usinas de pasteurização. Isso agrega valor ao produto gerando mais renda. 
Ainda sobre o evento, o jovem Luis Paulo, técnico agropecuário e participante do PEJR, afirma: “Gostei muito do evento, espero participar do próximo congresso como palestrante.”
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *