Jovem beneficiado pela Adel participa da CowParade

Filho Luz, idealizador do Projeto “Acorda – CowParade 2018

O jovem Filho Luz, 23, natural de Canafístula, comunidade rural do município de Apuiarés é um dos artistas participantes da 12ª edição da CowParade, um dos maiores eventos de arte a céu aberto do mundo, cujo objetivo é democratizar a arte através da inclusão cultural. Artistas selecionados usam como suporte uma escultura de vaca feita em fibra de vidro e em tamanho natural. Elas são expostas em vias públicas, permitindo livre apreciação.

Filho participou de uma seleção com mais de 300 artistas e foi um dos 50 selecionados com o projeto “A Corda” que fala do amanhecer do sertão, brincando com o nome “corda”, uma vez que inicialmente a ideia era usar apenas este material na customização da escultura.

Todos os selecionados dividiram o espaço de trabalho e realizaram suas produções durante duas semanas no shopping Iguatemi. Para confeccionar a Acorda, foram usadas pouco mais de 400m de cordas de sisal. “Eu podia ter comprado as cordas em Fortaleza, uma corda de sisal industrial, mais macia, mais fácil de trabalhar. Porém optei pelas cordas do interior, do comércio local, uma corda mais seca, dura, áspera, mas que representa melhor meu conceito”, destaca o artista.

Ele ainda ressalta que percebeu na escultura muito mais que uma tela, lembrando da expressão utilizada no interior “do boi se aproveita até o berro”. Acorda representa um ser místico, por isso os detalhes em dourado, que sustentam o sertão, visto muitas vezes como frágil, seco, quente, mas que se mantém firme e forte, unido como as fibras do sisal.

Segundo Filho, “Acorda” fala do amanhecer do sertão, da paisagem árida, da vegetação, da simplicidade do meio. “O desenho feito em corda de sisal retrata a textura áspera da seca em contraste com a beleza proporcionada, a união dos indivíduos e a força do sertanejo. Os detalhes dourados dão um tom de divindade, um ser místico, que sustenta o mundo. E o chocalho é a anunciação, símbolo de boas novas, avisando que a vaca está passando e é hora de acordar”.

“Acorda”, escultura desenvolvida por Filho Luz

Filho conta como é difícil ser “artista” no interior e ainda não se vê como um. O jovem revela que sempre gostou de arte e cultura, mas acredita que ainda existe uma barreira muito forte para quem é da zona rural. “Participar da Cowparade foi muito interessante. Está no meio de uma galera que já é reconhecida como artista, foi desafiador. No início, quando comecei a colocar as primeiras cordas, acho que ninguém acreditou que iria sair algo interessante, mas saiu!”

Em 2011, o jovem participou do Programa Sertão das Artes, realizado pela Escola Popular Cooperativa de Canafístula, onde conheceu mais sobre desenho, serigrafia e fotografia. Em 2012 ingressou no Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) desenvolvido pela Adel, com o intuito de trabalhar com arte/design. “Desenvolvi um projeto com serigrafia, mas não estava maduro o suficiente para sair do papel. No final do curso iniciei faculdade de Sistemas e Mídias Digitais na Universidade Federal do Ceará (UFC), me distanciando um pouco de casa” comenta.

Hoje Filho viaja por diversas formas de arte, é designer digital, ilustrador, artesão, já desenvolveu projetos com madeira, argila, corda e hoje está se aventurando no bordado à mão. Junto com um amigo, está construindo um novo projeto de empreendedorismo, uma espécie de agência com dois segmentos: comunicação e cultura. Com foco no meio junino, a ideia é impulsionar e fortalecer os grupos culturais, elaborar projetos que envolve a temática cultural e trabalhar com mídias digitais.

O evento

Estima-se que mais de 500 milhões de pessoas já se depararam com pelo menos uma das obras das 97 edições da CowParade, registradas em 33 países. Pintores, escultores, artesãos, arquitetos, designers, grafiteiros, artistas plásticos, amadores ou profissionais apaixonados por arte e interessados em expressar seu talento e criatividade fazem parte desse projeto. Ao redor do mundo, mais de 10.000 artistas já participaram da CowParade.

Ao final de cada edição, as esculturas são leiloadas e a renda é revertida como doação para instituições beneficentes. Dessa forma, as vacas cumprem múltiplas funções: valorizam o entorno, expandem o acesso à arte, promovem novos artistas, e sensibilizam as pessoas para causas sociais. As vaquinhas estarão disponíveis para visitação até 16/12 no shopping Iguatemi, em Fortaleza.

Saiba mais: https://cowparade.com.br/

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *