No Dia Mundial da Água, Adel destaca a importância do acesso a água para o desenvolvimento local

O uso de soluções inovadoras para proporcionar o acesso a água de qualidade, bem como o reaproveitamento deste líquido tão necessário para o desenvolvimento local é emergencial. Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), cerca de 1,8 bilhão de pessoas no mundo usam fontes de água contaminadas por fezes para beber, e, a cada ano, 842 mil mortes são relacionadas a falta de saneamento e higiene, bem como ao consumo de água imprópria.

Diante deste cenário, neste Dia Mundial da Água, destacamos os desafios de acesso à água para consumo humano e produtivo enfrentados pelas famílias que residem nas comunidades rurais do Nordeste brasileiro.

Além do grave problema da escassez de água, existe a necessidade premente da ampliação de infraestrutura hídrica básica nas comunidades rurais. Sem infraestrutura adequada, as centenas de famílias não tem acesso aos benefícios socioeconômicos mínimos necessários à sua permanência no campo e consequentemente aumenta o êxodo rural.

Desde outubro de 2016, a Adel por meio do Projeto de Segurança Hídrica que integra o Programa Raízes desenvolvido pela CPFL Renováveis vem colaborando para garantir a segurança hídrica as famílias de nove comunidades rurais dos municípios João Câmara e São Miguel do Gostoso, no Rio Grande do Norte.

Morador da comunidade de Boa Esperança em São Miguel do Gostoso (RN) transportando água para consumo

Nestes municípios, o abastecimento de água nas comunidades rurais é irregular e nos períodos de seca, a população sempre é atendida com medidas paliativas, como o transporte de água em carros de boi e caminhões pipa, adotadas por Programas Emergenciais dos Governos Municipais.

Desse modo, a água que é um recurso fundamental para a vida e um elemento estratégico para o bem-estar da população e desenvolvimento local ainda é um direito a ser garantido para muitas famílias que residem no meio rural.

Projeto Segurança Hídrica

A Adel através do Projeto Segurança Hídrica busca ampliar o acesso à água segura para consumo humano e para a produção, através de um modelo que integra inovação tecnológica, fortalecimento de capacidades e gestão comunitária das águas nas comunidades de Queimadas, Brinco de Ouro, Modelo I, Modelo II, Ouro Verde e Florêncio José e Baixa do Novilho no município de João Câmara e Umburanas e Boa Esperança no município São Miguel do Gostoso.

Por meio da implantação de sistemas de bombeamento, abastecimento e dessalinização, movido a energia solar fotovoltaica 807 famílias (3.230 pessoas) são diretamente beneficiadas pelo Projeto. No total, a Adel está perfurando e recuperando nove (9) poços profundos, três (3) Sistemas de Abastecimento de Água, nove (9) Micro usinas solar, (3) sistemas de tratamento de água via osmose reversa (dessalinizador), cinco (5) áreas produtivas com sistema de irrigação por gotejamento.

Revitalização de cisterna na comunidade de Boa Esperança, em São Miguel do Gostoso (RN)

Além da recuperação e implantação dos sistemas de abastecimento de água nas comunidades, serão realizadas oficinas com os agricultores sobre produção sustentável e gestão e uso das águas. Na primeira etapa do Projeto, foram revitalizadas vinte e uma (21) cisternas na comunidade de Boa Esperança. A revitalização aconteceu por meio de mutirões e apoio da comunidade local.

Ontem (21/03), a Adel celebrou junto com os parceiros e as famílias da comunidade de Boa Esperança em São Miguel do Gostoso (RN), os primeiros resultados alcançados pelo Projeto. Wagner Gomes, Diretor de Negócios da Adel, entregou oficialmente junto com a equipe do Programa Raízes as cisternas revitalizadas pelo Projeto.

Diretor de Negócios da Adel, Wagner Gomes, equipe do Programa Raízes da CPFL Renovavéis e beneficiários do Projeto Segurança Hídrica

A perspectiva da Adel é colaborar na implantação do Projeto de Segurança Hídrica nas comunidades do Rio Grande do Norte onde o Programa Raízes tem atuação. O desejo da organização é que o acesso a água e as tecnologias de convivência com o semiárido possam colaborar para o desenvolvimento das comunidades rurais do Nordeste brasileiro.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *