Adel adere à Greve Geral do dia 28 de abril

A Adel acredita no profissionalismo como um princípio na gestão de ONGs no Brasil e no mundo. Desde o início da nossa jornada, há 10 anos, investimos no constante aprimoramento administrativo, gerencial e técnico. Sempre pautamos escolhas e decisões com base no desejo de ser eficiente e efetivo em nossos projetos e em todas as atividades que realizamos – respeitando os investimentos de nossos parceiros, clientes e aliados e, principalmente, das comunidades e das pessoas que impactamos diariamente.

Sempre nos posicionamos como uma organização apartidária, concentrada na proposição e gestão técnica, com qualidade, de projetos e ações para o desenvolvimento local. Nosso maior foco é o resultado de nossa atuação e o cumprimento de nossa missão: promover o desenvolvimento local de comunidades rurais a partir do empreendedorismo e do protagonismo de jovens e agricultores.

Portanto, é em respeito a essa rede de pessoas e organizações e, especialmente, à nossa missão que, neste momento tão crítico e importante da História do Brasil, aderimos ao significativo movimento social que busca dar uma resposta contundente às propostas de reformas e outras medidas que ameaçam direitos sociais e humanos. Que afrontam o espírito declarado na Constituição Federal brasileira de 1988: de reduzir a pobreza e as desigualdades socioeconômicas no campo e na cidade. Trata-se de um objetivo do Estado brasileiro e não de governos específicos.

Acreditamos na importância da democracia e das políticas públicas. E que todas as pessoas devem ter acesso a oportunidades que lhes garantam o direito de buscar o melhor para si e para suas comunidades, promovendo equanimidade. Isso apenas é possível em uma sociedade que preza por liberdade ao mesmo tempo em que zela por justiça social e afirmação dos direitos humanos.

Acreditamos, ainda, que reformas em legislação podem ser propostas e adotadas, desde que sejam discutidas de modo amplo, democrático e aberto com toda a sociedade brasileira, respeitando o contexto histórico e as muitas representações da sociedade civil neste país tão grande e diverso.

Considerando os impactos que reformas estruturantes como essas causam, entendemos que apenas na prática democrática há respostas legítimas para os desafios que o Brasil enfrenta hoje – envolvendo e não excluindo a riqueza de conhecimentos e contribuições da sociedade civil organizada.

Acreditamos, por fim, que somos parte da sociedade civil organizada brasileira. E que temos compromisso e responsabilidade com um projeto e uma visão de Brasil mais socialmente justo. Apenas em um Brasil mais justo poderemos um dia alcançar a nossa visão de futuro como organização.

Sendo assim, assumindo nosso papel como parte da sociedade civil brasileira, que se mobiliza e se organiza para defender direitos adquiridos, comunicamos que aderimos à Greve Geral marcada para esta sexta-feira (28/04/2017). Todos os escritórios e núcleos avançados da Adel não irão funcionar amanhã e convidamos os jovens empreendedores rurais, agricultores familiares, sociedade civil organizada, entidades e parceiros a fazer parte deste momento histórico do nosso país.

Pentecoste, 27 de abril de 2017

Diretoria Adel

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *