ADEL é homenageada com Prêmio do Governo Federal

O Ministério da Integração Nacional divulgou nesta quinta-feira, 24 de novembro, o resultado final da 1ª edição do Prêmio Nacional de Desenvolvimento Regional que homenageia a memória do economista Celso Furtado. O julgamento das 360 propostas apresentadas ocorreu no dia 27 de outubro, por uma comissão de especialistas.
A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (ADEL), concorreu ao prêmio com a  prática “Tecnologia Social de Fortalecimento da Agricultura Familiar”, que ficou entre as cinco melhores na categoria Práticas Exitosas de Produção e Gestão Institucional inscritas ao prêmio. O objetivo do Prêmio Nacional de Desenvolvimento Regional, promovido pelo Ministério da Integração, é promover a reflexão sobre os aspectos teóricos e práticos do desenvolvimento regional no Brasil, envolvendo o poder público e a sociedade civil organizada.
Para Wagner Gomes, diretor executivo da ADEL e, recentemente, ganhador do Prêmio Empreendedor Social de Futuro da Folha de São Paulo e Fundação Schwab, o Prêmio Nacional de Desenvolvimento Regional é fruto da parceria com os agricultores familiares das comunidades rurais de Apuiarés, Pentecoste, Tejuçuoça, Umirim, General Sampaio, Baixo Acaraú e Itarema. Ele complementa “Esta experiência de desenvolvimento tem se tornado uma dinâmica muito referencial para o fortalecimento do semiárido cearense”.
A solenidade de outorga aos agraciados será no Palácio do Planalto no próximo dia 01 de dezembro, às 15h, com a presença do Presidente Lula e do Excelentíssimo Senhor Ministro da Integração Nacional, João Reis Santana Filho, dentre outras autoridades.
A 1ª edição do Prêmio Nacional de Desenvolvimento Regional é uma iniciativa do Ministério da Integração Nacional, por meio da Secretaria de Políticas de Desenvolvimento Regional, em parceria com o Banco da Amazônia; Banco do Brasil; Banco do Nordeste; Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) com apoio da Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac) e da Ticket Serviços Ltda.

Reportagem sobre a Tecnologia Social (ADEL) no Jornal Diário do Nordeste

Filho de agricultores, economista criou agência de desenvolvimento local para agregar saberes populares e acadêmicos
 
Ele é o filho do meio de uma família de produtores rurais de Apuiarés. Numa comunidade de poucos recursos, ou você segue (literalmente) o caminho da roça ou, com muito esforço e sacrifício, consegue ir para Fortaleza e cursar a universidade. Vira doutor. E o interior passa a ser lugar de lembrança, no máximo de visita nas férias.

Mas Wagner Gomes contrariou o destino traçado pelo êxodo rural. Formado em Economia pela Universidade Federal do Ceará (UFC), ele fez o caminho de volta e decidiu aplicar seus conhecimentos em prol do seu lugar no mundo. A saudade do sertão foi convertida em tecnologia social para o semiárido.

Foi assim que nasceu a Agência de Desenvolvimento Econômico Local. A missão da Adel é combater o êxodo rural por meio do desenvolvimento sustentável da comunidade. Com sede em Pentecoste, as ações da Adel abrangem os Municípios de Apuiarés, Itarema, General Sampaio, Paramoti e Tejuçuoca. Com apenas três anos de atuação, o trabalho da agência vem ganhando reconhecimento nacional e contribuído para potencializar saberes, vocações e oportunidades na Região Norte do Estado.

Em 2003, Wagner cursou o pré-vestibular comunitário do Programa de Educação em Células Cooperativas (Prece), que já levou mais de 400 filhos de agricultores para a universidade.

“No Prece eu aprendi que a cooperação é um valor essencial. E quando eu vi irmãos e amigos que optaram por continuar no campo, vi a necessidade não apenas de dar uma contrapartida por tudo que eu consegui, mas de poder voltar para a minha terra e me manter ali com qualidade, com um sentido”, pontua o diretor da Adel.

Foco no semiárido

Entre lições de macroeconomia, mercado financeiro e muito, muito cálculo, o universitário Wagner voltou o seu trabalho para a realidade do semiárido, suas questões e potencialidades. Reuniu profissionais de diversas áreas, publicitários, pedagogos, agrônomos, engenheiros, zootecnistas. Pessoas oriundas de comunidades rurais que pareciam destinadas a ter que se adaptar ao ritmo caótico da cidade grande.

A agência é voltada para desenvolver atividades em áreas como apicultura, caprinos e ovinos, horticultura e juventude, promovendo o empreendedorismo social e a orientação de agricultores com técnicas de produção adaptadas ao semiárido. Atualmente, atendem cerca de 600 agricultores da região.

Wagner explica que a tecnologia social que serve de base para a Adel foi desenvolvida em Portugal e Espanha, tendo sido aplicada em países como Moçambique e Guiné-Bissau. Mas o trabalho desenvolvido no sertão cearense inova por agregar diversos atores sociais no processo.

“As agências de desenvolvimento de Portugal e Espanha surgiram de uma iniciativa empresarial. A de Moçambique foi instalada por meio de instituições sociais. A diferença é que a Adel daqui é uma iniciativa de base, que parte da sociedade civil, não é uma coisa de cima para baixo”, esclarece.

Saberes locais

O financiamento das atividades é feito por instituições como Banco do Nordeste, Instituto Souza Cruz, BrazilFoundation e Fundação Konrad Adenauer. Comprometidos com a comunidade, as pessoas que trabalham na agência aliam conhecimento da região, capacidade técnica-científica e respeito pelos saberes locais. E são recebidos não com o peso do técnico, mas como os meninos e meninas que muitos viram crescer.

“Muitos produtores ainda têm uma certa resistência em relação a novas tecnologias. E quando o técnico é uma pessoa que eles conhecem, que nasceu ali e conhece a realidade, fica mais fácil introduzir essas técnicas. A gente fala a mesma língua e consegue colocar em prática o que aprendemos”. Apesar de vários convites para expandir a ação para outros Estados nordestinos, Wagner Gomes diz que, neste momento, o foco da agência é sistematizar a tecnologia social, a fim de que se possa replicar a metodologia em outros territórios do Nordeste.

RESULTADOS

Iniciativas da Adel ganham reconhecimento nacional

Ganhador de dois prêmios em 2010, Adel busca agora investir na sistematização e nos jovens produtores
 
As ações da Adel não têm feito diferença apenas nas comunidades onde atua, mas também ganhando visibilidade e reconhecimento por meio de premiações. Na última quinta-feira, o economista Wagner Gomes ganhou o Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro 2010, que visa reconhecer novos talentos sociais com atuação inovadora.

A cerimônia de premiação ocorreu no Museu de Arte de São Paulo (Masp), na capital paulista. O economista, único finalista do Nordeste, receberá uma bolsa de estudos do curso de pós-graduação em gestão de projetos sociais e organizações do terceiro setor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

“O prêmio é um reconhecimento que mostra que estamos no caminho certo. Queremos agora sistematizar nosso trabalho a partir do curso a que teremos acesso. A verdade é que eu não esperava nem ser finalista, quanto mais ser agraciado, já que trabalhamos no interior do interior e optamos por uma trajetória diferente do ´normal´. Agradeci a nossos parceiros, colaboradores, as instituições financiadoras e todos aqueles que acreditaram que era possível promover desenvolvimento no sertão com sustentabilidade”, comentou Wagner, por telefone, depois da premiação.

Já em março deste ano, a Adel foi agraciada com o Prêmio Rosani Cunha, de Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). O prêmio foi entregue a 21 agraciados em três modalidades: práticas governamentais, da sociedade civil organizada e estudos acadêmicos.

O reconhecimento mostra a importância da Adel no provimento das comunidades com tecnologias para incrementar as atividades econômicas e aumentar a eficiência na gestão produtiva de pequenas e médias propriedades rurais, especialmente as que trabalham com a agricultura familiar.

Juventude

A iniciativa mais recente da Adel visa promover o empreendedorismo social entre os jovens que optaram permanecer no campo. O projeto Empreendedorismo do Jovem Rural é voltado para jovens entre 18 e 29 anos que concluíram o Ensino Médio. A iniciativa promove capacitação em áreas como história da agricultura familiar, práticas agrícolas, artesanato, turismo rural, gerenciamento de propriedade.

A metodologia é baseada na pedagogia da alternância, que valoriza os saberes populares de cada local. A primeira turma, com 35 jovens produtores rurais, foi iniciada em setembro e a capacitação deve durar 10 meses. Os alunos passam uma semana na sala de aula e duas semanas no campo.

MAIS INFORMAÇÕES

Adel
Av. Dep. Gomes da Silva, 281, Pentecoste/ Rua Juvenal Galeno, S/N, Fortaleza
Site: www.adel.org.br

Karoline Viana
Repórter
http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=892368

[Matéria do jornal Diário do Nordeste no dia 28 de novembro de 2010]
Fonte original da matéria: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=892368

Economista cearense ganha Prêmio Empreendedor Social de Futuro

O economista Wagner Gomes, diretor executivo da Agência de Desenvolvimento Econômico Local recebeu o Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro, em reconhecimento ao trabalho desenvolvido pela ADEL. Na última semana a Agência da Boa Notícia havia divulgado a indicação dele ao Prêmio, junto com outros três finalistas. Na quinta-feira (25), Wagner teve a alegria de receber o Prêmio em solenidade no Museu de Arte de São Paulo.

O Prêmio é concedido pelo jornal Folha de S. Paulo, com patrocínio da Caixa e da Ernst & Young Terco. “Ser reconhecido por este prêmio mostra que estamos no caminho certo e devemos continuar com o nosso trabalho”, diz Wagner Gomes, que nasceu na comunidade rural Monte Alverne, município de Apuiarés/CE. Ele, antes mesmo de se formar em Economia pela Universidade Federal do Ceará, fundou com outros amigos do interior, a ADEL, em Pentecoste.  Juntos, passaram a trabalhar para desenvolver suas comunidades de origem.
A ADEL, criada em 2007, é um empreendimento social, sem fins lucrativos. Entre suas ações para estimular a produção de negócios sustentáveis no campo estão a capacitação de jovens para o empreendedorismo social e a orientação de agricultores com técnicas de produção adaptadas à região. Tudo sob coordenação de profissionais nascidos nas comunidades e formados em instituições de ensino superior da capital.

O Prêmio permitirá a Wagner Gomes contar com uma consultoria de gestão da sitawi, organização que oferece capital e aconselhamento para impacto social, no ano de 2011, por dez dias úteis em tempo integral. Ele recebeu também uma bolsa de estudos do curso de pós-graduação em gestão de projetos sociais e organizações do terceiro setor da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), a adesão gratuita para se tornar membro do The Hub São Paulo em 2011 e o acesso livre aos ciclos de formação empreendedora da Artemísia, que trabalha com o desenvolvimento de negócios sociais.

Em dois anos, a ADEL beneficiou 90 jovens e 585 famílias. A área de atuação da Agência se estende por Apuiarés, Pentecoste, Tejuçuoca e General Sampaio, baixo Acaraú e o norte do Ceará.
 

Wagner Gomes (ADEL) recebe Prêmio Empreendedor Social de Futuro

Ontem (25), Wagner Gomes, diretor executivo da ADEL recebeu o Prêmio Empreendedor Social de Futuro, em reconhecimento ao trabalho desenvolvido pela Agência de Desenvolvimento Econômico Local (ADEL). A cerimônia de entrega aconteceu às 19h, no Museu de Arte de São Paulo.
“Ser reconhecido por este prêmio mostra que estamos no caminho certo e devemos continuar com o nosso trabalho”, diz o jovem Wagner Gomes, que nasceu na comunidade rural Monte Alverne, município de Apuiarés/CE. 

Wagner é filho de agricultor, teve a oportunidade de ingressar na Universidade Federal do Ceará (UFC) em 2004, e cursar Ciências Econômicas. Antes mesmo de se formar, fundou a ADEL, juntamente com outros jovens que assim como ele tiveram a oportunidade de ingressar no Ensino Superior e tinham o desejo de contribuir com o desenvolvimento de suas comunidades de origem.

A ADEL é um empreendimento social, sem fins lucrativos, que tem como missão potencializar e articular saberes, vocações e oportunidades em prol do desenvolvimento econômico e social de comunidades e territórios cearenses através da formação de redes cooperativas, da produção de conhecimento e do apoio técnico contínuo a empreendimentos produtivos e sociais.
O reconhecimento do trabalho da ADEL através deste prêmio é muito importante para todos nós, agradecemos as comunidades com as quais trabalhamos por nos receberem e acreditarem que podemos crescer juntos, diz Mirlânia Lima, Diretora de Finanças da ADEL.
Mais informações sobre o Prêmio Empreendedor Social de Futuro, acessem: http://www1.folha.uol.com.br/folha/empreendedorsocial/finalistas/2010-wagner-gomes.shtml

Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro 2010

Wagner Gomes, Diretor Executivo da ADEL, vence o Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro 2010
O economista Wagner Gomes, 28, luta no dia a dia para inverter a lógica do êxodo rural no Ceará, estimulando o fluxo capital-sertão. Mas na noite de hoje ele próprio fez o caminho inverso: deixou a cidade de Pentecoste, região sertaneja do Médio Curu (CE), para sagrar-se, na maior metrópole do país, ganhador do Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro.

Em cerimônia no Masp (Museu de Arte de São Paulo), Gomes recebeu o troféu de vencedor do editor-executivo da Folha, Sérgio Dávila, diante de uma plateia de cerca de 400 convidados, entre executivos de grandes empresas, acadêmicos, jornalistas e profissionais do terceiro setor.

“Ser reconhecido por este prêmio mostra que estamos no caminho certo e devemos continuar com o nosso trabalho”, comemorou, emocionado, o empreendedor social de futuro.

Em 2007, Gomes fundou a Adel (Agência de Desenvolvimento Econômico Local), que combate o êxodo rural do semiárido cearense por meio da capacitação de jovens para o empreendedorismo social e da orientação de agricultores com técnicas de produção adaptadas à região e aplicada por profissionais nascidos ali e formados na capital. E assim, promove a efetivação de políticas públicas no Estado.

Nestes dois anos, a agência beneficiou 90 jovens e 585 famílias. Já atuou em Apuiarés, Pentecoste, Tejuçuoca e General Sampaio, baixo Acaraú e o norte do Ceará. Também contribuiu para formar 25 redes sociais no interior do Estado.

“Nossa ideia é ampliar o trabalho e replicar para outros territórios por meio de franquias”, revela Gomes.

Como vencedor do prêmio, Gomes ganhará em 2011 uma consultoria de gestão da sitawi, organização que oferece capital e aconselhamento para impacto social, no ano de 2011, por dez dias úteis em tempo integral.

Também receberá uma bolsa de estudos do curso de pós-graduação em gestão de projetos sociais e organizações do terceiro setor da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo). Outros benefícios são a adesão gratuita para se tornar membro do The Hub São Paulo em 2011 e o acesso livre aos ciclos de formação empreendedora da Artemísia, que trabalha com o desenvolvimento de negócios sociais.

“Por meio da gestão contábil sitawi, vamos aprimorar a nossa tecnologia e ampliar nossa visibilidade para melhorar nosso trabalho”, disse Gomes.

APOIADORES

O Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro é realizado pela Folha, com patrocínio da Caixa e da Ernst & Young Terco. Com apoio estratégico da sitawi, o concurso tem como apoiadores a Fundação Schwab, a Artemisia Modelo de Negócios Sociais, a Ashoka Empreendedores Sociais, o Ceats-FIA (Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor da Fundação Instituto de Administração), a Folha.com, o Gife (Grupo de Institutos, Fundações e Empresas), o Iats (Instituto de Administração para o Terceiro Setor), o Instituto Ethos de Responsabilidade Social, a P&B Comunicação, a Sator, o The Hub Brasil e o UOL.

Cearense está entre os finalistas do Prêmio Empreendedor Social de Futuro

O economista Wagner Gomes, 28 anos, um dos idealizadores da Agência de Desenvolvimento Econômico Local (ADEL), organização social, com sede no município de Pentecoste (CE), está entre os quatro finalistas do Prêmio Empreendedor Social do Futuro, realizado pelo jornal Folha de S.Paulo e Fundação Schwab. A ADEL, idealizada por filhos de agricultores que chegaram à universidade, é um exemplo de bom resultado quando se aposta em educação e formação de capital social.

Wagner nasceu na comunidade rural Monte Alverne, município de Apuiarés/CE, filho de agricultor. Como outros jovens da região, teve a oportunidade de participar de um programa educacional de preparação para o vestibular que estimula a aprendizagem cooperativa, o PRECE (Programa de Educação em Células Cooperativas). Ingressou no  curso de Economia da Universidade Federal do Ceará em 2004 e antes da formatura fundou a ADEL com outros jovens que também tiveram a oportunidade de cursar o Ensino Superior e tinham o desejo de contribuir com o desenvolvimento de suas comunidades de origem.

A ADEL é um empreendimento social, sem fins lucrativos que articula saberes, vocações e oportunidades, visando o desenvolvimento econômico e social de comunidades cearenses. Enfatiza o fortalecimento e a sustentabilidade das atividades econômicas e a cooperação entre os grupos e empreendimentos produtivos e sociais. Após três anos de atuação da ADEL nos municípios do Médio Curu, Apuiarés, Pentecoste, General Sampaio e Tejuçuoca, são perceptíveis as mudanças nos métodos de produção e cooperação dos produtores, o aumento da participação de jovens nas associações e cooperativas, e o efeito intergeracional.
Esses bons resultados são reconhecidos pelas entidades dos municípios onde atua, e até nacionalmente. Em março, deste ano, a agência, recebeu o Prêmio Rosani Cunha de Desenvolvimento Sustentável, iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), que tem como objetivo dar visibilidade e recompensar boas práticas desenvolvidas nas áreas de assistência social, transferência de renda e segurança alimentar e nutricional.

Produtor beneficiado com o trabalho da ADEL, o Sr. Gilberto, residente na comunidade de Canafístula, em Apuiarés, considera que depois que a ADEL passou a trabalhar com eles, a comunidade teve a oportunidade de mostrar o que tem e o que precisa. Para eles, a entidade levou “aquela esperança, de que junto com a ADEL vamos desenvolver mais um novo projeto, mas é aquele projeto que vai atender a comunidade”.

A entidade idealizada por Wagner tem estimulado nova geração de universitários a trabalhar pelas comunidades. Luciano Pereira, 28 anos, estudante do 7º semestre do curso de agronomia na Universidade Federal do Ceará (UFC) é um deles. No início do ano, como voluntário da ADEL, teve a oportunidade de dar assessoria técnica aos produtores aos finais de semana. Considera a Agência um laboratório de aprendizagem. onde pode aprender na prática algumas técnicas estudadas na universidade, como  manejo e reprodução. “Eu além de compartilhar, nos finais de semana, o que sei, aprendo muito com os produtores, pois nós temos a teoria e pouca prática, já eles têm o conhecimento empírico e muita prática”, disse.
Os vencedores do Prêmio Empreendedor Social de Futuro serão divulgados dia 25, às 19h, em cerimônia restrita no Masp (Museu de Arte de São Paulo).
Foto: Tamires Kopp
Com informações da Assessoria de imprensa da Agência de Desenvolvimento Econômico Local (ADEL) – Contatos: Maria Evilene de Sousa Abreu – (fone: 85 92172864/87825045)
Fonte: Agência da Boa Notícia – (fone: 85 3224 5509 / 85 3224 5509 -Jornalista Responsável: Carmina Dias 00629JP / Estagiário de Jornalismo: Leandro Porto

Ganhador do Prêmio Rosani Cunha está na final de premiação da Folha de São Paulo

Brasília, 22/11 – “Primeiro, foi o Prêmio Rosani Cunha. Depois, a certificação como organização ecoeficiente na Econegócios Nordeste 2010. Agora, estamos na final do Prêmio Empreendedor Social do Futuro, da Folha de S. Paulo em parceria com a Fundação Schwab”. A declaração de Wagner Gomes expressa a satisfação pelo reconhecimento das ações desenvolvidas pela Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel). Diretor da organização, o jovem Wagner ganhou o Prêmio Rosani Cunha em março deste ano.

Iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), o Prêmio Rosani Cunha foi entregue para 21 participantes em três modalidades: práticas governamentais; da sociedade civil organizada; e estudos acadêmicos. Para participar da seleção, os trabalhos deveriam abordar, necessariamente, a articulação de programas e ações nas áreas de atuação do MDS: assistência social; gestão do Programa Bolsa Família; inclusão produtiva; e segurança alimentar e nutricional. Missões nacionais e internacionais para troca de experiências foram os prêmios concedidos aos selecionados.

A Adel é uma entidade que produz tecnologias e soluções modernas e inovadoras para incrementar as atividades econômicas e aumentar a eficiência na gestão produtiva de pequenas e médias propriedades, especialmente as que trabalham com a agricultura familiar. As atividades da agência são todas direcionadas a potencializar e articular saberes, vocações e oportunidades em prol do desenvolvimento econômico e social de comunidades e territórios cearenses através da formação de redes cooperativas, da produção de conhecimento e do apoio técnico contínuo a empreendimentos produtivos e sociais. Além de Wagner, outros jovens dos municípios de Apuiarés e Pentecoste, cidades do sertão do Ceará, participam do projeto. Segundo Wagner, a Adel tem se destacado por causa do “espírito de vanguarda e empreendedorismo de seus jovens fundadores”.
 

Wagner sonha agora com a conquista do Prêmio Empreendedor Social do Futuro. A premiação ocorrerá nesta quinta-feira (25), às 19h, em cerimônia restrita a convidados no Museu de Arte de São Paulo (Masp). Apenas dez pessoas estão na final do concurso, que busca identificar líderes sociais em todo o País. Promovido em 14 países e em seis regiões de todos os continentes, o concurso brasileiro teve sete fases, sendo que 25 empreendedores foram selecionados para a semifinal e só dez, na final. O vencedor do Empreendedor Social do Futuro receberá uma consultoria de gestão e uma bolsa de estudos no terceiro setor.

Planos – O economista Wagner Gomes acredita que o Prêmio Rosani Cunha contribuiu para dar visibilidade aos projetos da Adel e afirma que as atividades serão ampliadas. “A conquista foi fruto da parceria com os jovens produtores e produtoras das comunidades rurais de Apuiarés, Pentecoste, Tejuçuoça, General Sampaio, Umirim e Itarema. Essa experiência de desenvolvimento tem se tornado um referencial para o fortalecimento do semiárido cearense. Esperamos, nos próximos anos, nos consolidar como uma organização com capacidade técnica e gerencial para executar projetos de larga escala e de gestão de conhecimento nas comunidades e territórios cearenses, a partir do ganho de legitimidade e da ampliação de parcerias locais e nacionais”, planeja.

Fernanda Souza
Ascom/MDS
3433-1021
www.mds.gov.br/saladeimprensa

VIII Fórum Regional da Caprinovinocultura foi realizado em Itarema

Foi realizado no município de Itarema, no dia 12 de novembro de 2010, o VIII Fórum Regional da Caprinovinocultura. O evento, promovido pela Agência de Desenvolvimento Econômico Local (ADEL), Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Instituto Agropolos e Secretaria de Agricultura de Itarema, contou com a participação de cerca de 70 produtores (as) dos municípios de Amontada, Itarema, Miraíma, Pentecoste, Tejuçuoca e Umirim. 
O evento contou com a presença do Prefeito de Miraíma, Sr. Roberto Ivens, e dos seguintes representantes das instituições que promoveram o evento: Sérgio Linhares Vasconcelos, gerente geral da agência do BNB em Itapipoca; Djalma Félix Teixeira, chefe da Unidade Técnica dos Vales do Curu e Aracatiaçu do Instituto Agropolos; Wagner Gomes, Diretor Executivo da ADEL; e, Raimundo da Guia (Didi), Secretário de Agricultura de Itarema.
O Fórum teve inicio com a palestra de Jeânia Gomes, Agente de Desenvolvimento do BNB, com o tema: Ações do Programa Nordeste Territorial (BNB) para a Estruturação da Cadeia Produtiva da Caprinovinocultura nos Vales do Curu e Aracatiaçu. Em seguida, o Gerente de Projetos da ADEL, Helano Luz, ministrou a palestra sobre a Organização da Cadeia Produtiva da Caprinovinocultura de Corte do Médio Curu e as contribuições da ADEL. Dando continuidade a programação, aconteceram mais duas palestras sobre o Programa de produção de Caprinos e Ovinos do munícipio de Itarema, ministradas por Joaquim Braga (Casim), zootecnista do Instituto Agropolos e Beto Azevedo, integrante da Associação dos Pequenos Produtores de Ovinos e Caprinos de Itarema.
As atividades do período da manhã foram finalizadas com a entrega dos certificados de participação na capacitação sobre técnicas de ensilagem e fenação nos municípios de Pentecoste e Tejuçuoca, no período de março de 2009 a setembro de 2010. Esse projeto foi executado pela ADEL e em parceria com o BNB.
No período da tarde, o grupo visitou duas propriedades de pequenos produtores, com o objetivo de mostrar aos visitantes modelos de centro de manejos rústicos, de baixo custo, mas bastante funcionais, que estão sendo construídos pelos produtores do município de Itarema que fazem parte do Programa Nordeste Territorial do BNB.
Durante o evento os participantes trocaram experiências e tiveram a oportunidade de conhecer mais sobre a cadeia produtiva e compartilhar com os técnicos e demais as atividades que desenvolvem em suas propriedades.
Para Glaydson Cavalcante, Presidente da Associação Comunitária de Rancho dos Moços, em Pentecoste, “esse dia foi bastante proveitoso, primeiro pelas palestras, onde percebemos a importância da caprinovinocultura para a região. E também na visita as propriedades, pois podemos constatar que não é preciso grandes investimentos em instalações para se ter um centro de manejo adequado para a produção de caprinos e ovinos”.

Realizado o 1º Encontro da Câmara de Juventude Rural do Médio Curu

Foi realizado no dia 18 de novembro, na Unidade de Formação do Jovem Rural em Cipó – Pentecoste, o 1º Encontro da Câmara de Juventude Rural do Médio Curu com a participação dos jovens do Programa Empreendedorismo do Jovem Rural – PEJR e a presença de representantes das instituições da microrregião.
O evento começou com a fala do assessor de projetos sociais do Instituto Souza Cruz, Rodolfo Lobato, que expôs os conceitos e objetivos da câmara de juventude, além de contar um pouco da experiência do trabalho com jovens em outros locais.
Em seguida, Edmundo Soares, coordenador do Conselho de Desenvolvimento Territorial dos Vales do Curu e Aracatiaçu (CDT) apresentou o território, seu histórico e falou das articulações existentes na microrregião, bem como, da importância que tem o território na busca por projetos coletivos entre os municípios participantes. Edmundo, também ressaltou a importância da participação da juventude no desenvolvimento territorial e explicou de que forma eles precisam estarem organizados para fazer parte do conselho.
Após a palestra, os jovens fizeram questionamentos e esclareceram as dúvidas sobre como participar de órgãos representativos como o CDT, que pode oportunizar um espaço na região para debater ideias e demandas através de fóruns e coletivos de jovens.
Wagner Gomes, diretor executivo da ADEL, também presente no evento, reforçou as oportunidades que estão surgindo para a juventude do Médio Curu e destacou a importância da ADEL, instituição formada por jovens, na formulação de propostas para os jovens e no apoio a iniciativas com a câmara de juventude. 
Ainda sobre o evento, a gerente de projetos de jovens da ADEL, Aurenir Luz, completa: “A Câmara de Juventude é importante para dar espaço aos jovens no fortalecimento de suas reivindicações e legitimar a participação destes atores sociais protagonistas, cada vez mais interessados no desenvolvimento de sua região”.

ADEL e BNB fortalece a apicultura em Pentecoste

Mesmo com os impactos da estiagem, agricultores não desistem da exploração do mel de abelha no município de Pentecoste, sertão cearense.
Com o objetivo de ampliar e fortalecer a cadeia produtiva da apicultura, no município de Pentecoste, as Associações de Apicultores de Três Lagoas e Vila Nova em cooperação com a ADEL assinaram contratos com o Banco do Nordeste (BNB), beneficiando 47 produtores de mel de abelha de Pentecoste. Foi liberado um total de R$ 85.537,99, por meio do Fundo de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FUNDECI.
Os produtores de mel estão motivados a começar ou ampliar a atividade produtiva. O clima entre eles é de expectativa com a produção de mel em 2011. De acordo com o presidente da Associação dos Apicultores de Vila Nova, Ivo Castro, a exploração da apicultura no município de Pentecoste vem crescendo e a expectativa é de expansão da atividade com a construção da Unidade de Extração de Produtos das Abelhas em Vila Nova através do projeto com a ADEL e BNB. “A tendência é de aumento do número de produtores e da produtividade”, frisou. “Temos comercialização garantida”.

No município, estima-se em 100 produtores. Este ano, por causa da seca, houve uma queda na produção estimada em 70%. Se o inverno tivesse sido regular, a produção esperada era de nove toneladas. Em face dessa realidade, os apicultores estão tendo que alimentar os enxames com o próprio mel, rapadura e dispor água em tanques próximos às colméias para evitar a mortandade ou fuga das abelhas nas áreas de cultivo.

O gerente de projetos da ADEL, o zootecnista Anderson Vieira, observou que a atividade ainda necessita de avanços e de implantação de modernas técnicas de manejo, além de melhor organização e articulação dos apicultores. “Muito progresso já houve, mas temos muito caminho a ser conquistado”, disse. Ele considera o cenário estadual favorável e estima que a atividade tenha mais força na região. “Nos últimos cinco anos, houve um crescimento expressivo”.
A ADEL é uma organização social que presta consultoria técnica para o manejo correto das colméias nesta época de escassez de água e de flora. Atua em comunidades e municípios do Território dos Vales do Curu e Aracatiaçu, sertão cearense.