Jovens organizam seminário que reúne pais, padrinhos e parceiros do PEJR

Os jovens do Programa Empreendedorismo do Jovem Rural – PEJR promoveram no último dia 20 de maio, no Auditório do Centro de Pesquisas Ictiológicas de Pentecoste, o I Seminário de Pais e Padrinhos do PEJR Médio Curu. O encontro contou com a presença dos pais dos jovens, bem como, dos padrinhos dos projetos que serão desenvolvidos por cada jovem em suas comunidades. 

O evento teve o objetivo de mobilizar os principais envolvidos no programa para apoiar os jovens na fase final da formação. A escolha de um padrinho para o projeto significa que o jovem será acompanhado por alguém da comunidade que já desenvolve aquela atividade relacionada com o projeto ou que trabalha em prol do Médio Curu.

A programação deu início com a formação da mesa composta pelo diretor executivo, Wagner Gomes e pela gerente de projetos de jovens, Aurenir Luz,  ambos da Adel, José do Egito, secretário de agricultura de General Sampaio, José Severino, representando a secretaria de agricultura de Apuiarés, Paulo César, secretário de agricultura de Tejuçuoca, Euda Bezerra, representante dos pais e Flávio Pereira, representando os padrinhos.
Após a fala das autoridades da mesa, a jovem Aparecida Sousa convidou as jovens Daniele e Camila para fazer a apresentação sobre o que é o PEJR, metodologia, retrospectiva do programa no Médio Curu, entre outros dados sobre a formação.
Em seguida, Aurenir Luz falou sobre as mudanças ocorridas na unidade familiar, quais os resultados que se deseja ao final da formação e a perspectiva dos jovens após a formação através de projetos já aprovados pelo Banco do Nordeste.
O jovem Aldenadil apresentou o foco dos projetos e, em seguida, Gessilane leu um texto para os padrinhos ressaltando a importância do acompanhamento na execução do projeto. Após esse momento, ficou facultada a palavra dando-se assim, a participação de pais, padrinhos e parceiros presentes. 

Para finalizar o momento, o jovem Mailson fez a leitura de um cordel sobre o Médio Curu com texto de sua própria autoria. O evento teve o apoio dos educadores Carlos Roberto e Aurigele Barbosa que vem desempenhando um bom trabalho no acompanhamento da I turma do PEJR Medio Curu.  

Jovens organizam seminário que reúne pais, padrinhos e parceiros do PEJR

Os jovens do Programa Empreendedorismo do Jovem Rural – PEJR promoveram no último dia 20 de maio, no Auditório do Centro de Pesquisas Ictiológicas de Pentecoste, o I Seminário de Pais e Padrinhos do PEJR Médio Curu. O encontro contou com a presença dos pais dos jovens, bem como, dos padrinhos dos projetos que serão desenvolvidos por cada jovem em suas comunidades. 

O evento teve o objetivo de mobilizar os principais envolvidos no programa para apoiar os jovens na fase final da formação. A escolha de um padrinho para o projeto significa que o jovem será acompanhado por alguém da comunidade que já desenvolve aquela atividade relacionada com o projeto ou que trabalha em prol do Médio Curu.

A programação deu início com a formação da mesa composta pelo diretor executivo, Wagner Gomes e pela gerente de projetos de jovens, Aurenir Luz,  ambos da Adel, José do Egito, secretário de agricultura de General Sampaio, José Severino, representando a secretaria de agricultura de Apuiarés, Paulo César, secretário de agricultura de Tejuçuoca, Euda Bezerra, representante dos pais e Flávio Pereira, representando os padrinhos.
Após a fala das autoridades da mesa, a jovem Aparecida Sousa convidou as jovens Daniele e Camila para fazer a apresentação sobre o que é o PEJR, metodologia, retrospectiva do programa no Médio Curu, entre outros dados sobre a formação.
Em seguida, Aurenir Luz falou sobre as mudanças ocorridas na unidade familiar, quais os resultados que se deseja ao final da formação e a perspectiva dos jovens após a formação através de projetos já aprovados pelo Banco do Nordeste.
O jovem Aldenadil apresentou o foco dos projetos e, em seguida, Gessilane leu um texto para os padrinhos ressaltando a importância do acompanhamento na execução do projeto. Após esse momento, ficou facultada a palavra dando-se assim, a participação de pais, padrinhos e parceiros presentes. 

Para finalizar o momento, o jovem Mailson fez a leitura de um cordel sobre o Médio Curu com texto de sua própria autoria. O evento teve o apoio dos educadores Carlos Roberto e Aurigele Barbosa que vem desempenhando um bom trabalho no acompanhamento da I turma do PEJR Medio Curu.  

Jovem de Pentecoste acredita na vida no campo

O jovem agricultor familiar, Francisco Neto, 28 anos, é um exemplo de quem acredita que do campo pode tirar seu sustento e viver com qualidade. Há um ano, ele decidiu deixar a sua vida em Fortaleza e assumir o trabalho na propriedade da família, na comunidade rural Sitio do Meio, em Pentecoste, onde vive com a avó e irmãos. Um dos motivos para a decisão foi a sua participação no Programa Empreendedorismo do Jovem Rural da Adel em parceria com o Instituto Souza Cruz e Fundação Konrad Adenauer.

O PEJR é um programa de formação complementar a educação formal, direcionado a jovens agricultores familiares do Médio Curu Cearense. Com uma prática formativa inovadora nos seus valores e no projeto pedagógico, estimulando a crítica, a reflexão, a criatividade, a ética e a cidadania, o programa prepara o jovem para exercer um papel estratégico de Agente de Desenvolvimento Rural.
Após nove meses de participação no PEJR, Francisco Neto afirma que para se desenvolver no meio rural é necessário oportunidades. “O PEJR está sendo uma ótima ferramenta em meu processo de evolução, me desafiando a superar as dificuldades econômicas e climáticas da minha região”, afirma ele.

A primeira turma do PEJR no Médio Curu, atualmente se encontra na fase final. Francisco Neto e os demais jovens da turma estão participando de estágios, elaborando projetos produtivos e atuando em suas comunidades.

Jovem de Pentecoste acredita na vida no campo

O jovem agricultor familiar, Francisco Neto, 28 anos, é um exemplo de quem acredita que do campo pode tirar seu sustento e viver com qualidade. Há um ano, ele decidiu deixar a sua vida em Fortaleza e assumir o trabalho na propriedade da família, na comunidade rural Sitio do Meio, em Pentecoste, onde vive com a avó e irmãos. Um dos motivos para a decisão foi a sua participação no Programa Empreendedorismo do Jovem Rural da Adel em parceria com o Instituto Souza Cruz e Fundação Konrad Adenauer.

O PEJR é um programa de formação complementar a educação formal, direcionado a jovens agricultores familiares do Médio Curu Cearense. Com uma prática formativa inovadora nos seus valores e no projeto pedagógico, estimulando a crítica, a reflexão, a criatividade, a ética e a cidadania, o programa prepara o jovem para exercer um papel estratégico de Agente de Desenvolvimento Rural.
Após nove meses de participação no PEJR, Francisco Neto afirma que para se desenvolver no meio rural é necessário oportunidades. “O PEJR está sendo uma ótima ferramenta em meu processo de evolução, me desafiando a superar as dificuldades econômicas e climáticas da minha região”, afirma ele.

A primeira turma do PEJR no Médio Curu, atualmente se encontra na fase final. Francisco Neto e os demais jovens da turma estão participando de estágios, elaborando projetos produtivos e atuando em suas comunidades.

Realizado dia de campo em Vila Nova Serrota

No dia 18 de maio, aconteceu na comunidade de Vila Nova Serrota, em Pentecoste, o dia de campo sobre o beneficiamento da cera, com o objetivo de transformar a cera bruta em cera alveolada para redução do trabalho das abelhas e diminuir os gastos da produção.

A cera alveolada é um dos aperfeiçoamentos da apicultura moderna, com esse material o apicultor reduz o trabalho das abelhas e agiliza o processo de produção. A cera alveolada é uma lâmina de cera prensada, na qual os dois lados contem os hexágonos do mesmo tamanho do alvéolo, que será como um guia para a construção dos alvéolos das abelhas.

O material utilizado para demonstrar como fazer o beneficiamento da cera foram quatro: um derretedor de cera, um cilindro, um molde de lâmina de madeira e um aquecedor com peneira onde o molde é colocado para a formação da lâmina. Este material foi disponibilizado pelo Centec – CVT de Pentecoste.

Durante o dia de campo, os apicultores tiveram a oportunidade de aprender na prática como fazer o beneficiamento da cera. O dia de campo foi coordenado por Anderson Vieira, gerente de projetos da Adel, e contou com a colaboração do instrutor de apicultura do Centec – CVT de Pentecoste, Gilberto, e o coordenador Fernando.

Realizado dia de campo em Vila Nova Serrota

No dia 18 de maio, aconteceu na comunidade de Vila Nova Serrota, em Pentecoste, o dia de campo sobre o beneficiamento da cera, com o objetivo de transformar a cera bruta em cera alveolada para redução do trabalho das abelhas e diminuir os gastos da produção.

A cera alveolada é um dos aperfeiçoamentos da apicultura moderna, com esse material o apicultor reduz o trabalho das abelhas e agiliza o processo de produção. A cera alveolada é uma lâmina de cera prensada, na qual os dois lados contem os hexágonos do mesmo tamanho do alvéolo, que será como um guia para a construção dos alvéolos das abelhas.

O material utilizado para demonstrar como fazer o beneficiamento da cera foram quatro: um derretedor de cera, um cilindro, um molde de lâmina de madeira e um aquecedor com peneira onde o molde é colocado para a formação da lâmina. Este material foi disponibilizado pelo Centec – CVT de Pentecoste.

Durante o dia de campo, os apicultores tiveram a oportunidade de aprender na prática como fazer o beneficiamento da cera. O dia de campo foi coordenado por Anderson Vieira, gerente de projetos da Adel, e contou com a colaboração do instrutor de apicultura do Centec – CVT de Pentecoste, Gilberto, e o coordenador Fernando.

Gerente do Instituto Souza Cruz visita a Adel

Dia 12 de maio, o gerente do Instituto Souza Cruz, Luís André, visitou o escritório da Adel, em Pentecoste. Durante uma reunião com Wagner Gomes, diretor executivo da Adel, e os pesquisadores do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), Luís André apresentou o Programa Empreendedorismo do Jovem Rural (PEJR).
Na ocasião, foram discutidas também as potencialidades e impactos gerados pelo programa no Médio Curu. Os pesquisadores fizeram perguntas e considerações a respeito das oportunidades geradas pelo PEJR na vida dos jovens participantes do programa.
No segundo momento, Aurenir Luz, gerente do programa de jovens da Adel fez uma apresentação do PEJR de acordo com as sequências realizadas até agora, foram apresentados uma retrospectiva do programa, dados dos jovens após ingressarem no PEJR e perspectivas futuras para esses jovens. Além disso, Wagner e Luis André abordaram assuntos inerentes as próximas turmas do PEJR e questões particulares sobre a manutenção do PEJR no Médio Curu.
Também estavam presentes a educadora Aurigele Barbosa e Everardo Alves,  presidente da associação de apicultores de meliponicultores de Lagoa das Pedras, Apuiarés.

Gerente do Instituto Souza Cruz visita a Adel

Dia 12 de maio, o gerente do Instituto Souza Cruz, Luís André, visitou o escritório da Adel, em Pentecoste. Durante uma reunião com Wagner Gomes, diretor executivo da Adel, e os pesquisadores do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), Luís André apresentou o Programa Empreendedorismo do Jovem Rural (PEJR).
Na ocasião, foram discutidas também as potencialidades e impactos gerados pelo programa no Médio Curu. Os pesquisadores fizeram perguntas e considerações a respeito das oportunidades geradas pelo PEJR na vida dos jovens participantes do programa.
No segundo momento, Aurenir Luz, gerente do programa de jovens da Adel fez uma apresentação do PEJR de acordo com as sequências realizadas até agora, foram apresentados uma retrospectiva do programa, dados dos jovens após ingressarem no PEJR e perspectivas futuras para esses jovens. Além disso, Wagner e Luis André abordaram assuntos inerentes as próximas turmas do PEJR e questões particulares sobre a manutenção do PEJR no Médio Curu.
Também estavam presentes a educadora Aurigele Barbosa e Everardo Alves,  presidente da associação de apicultores de meliponicultores de Lagoa das Pedras, Apuiarés.

I turma do PEJR Médio Curu entra no ciclo final da formação

O Programa Empreendedorismo do Jovem Rural – PEJR está em seu último ciclo de formação. É nessa fase que os jovens participantes desenvolvem projetos produtivos e/ou sociais que serão implantados em suas unidades familiares e comunidades.
No primeiro ciclo, os jovens tiveram a oportunidade de se conhecerem melhor como ser humano, de fortalecer sua identidade como jovens e aumentarem a capacidade de se relacionar com os demais.

Já no segundo ciclo, o foco principal foi o conhecimento técnico. Através de visitas, participação em eventos como palestras, dias de campo, oficinas, seminário e por meio da colaboração externa das instituições parceiras do PEJR, os jovens puderam entrar em contato com experiências práticas que fundamentaram a teoria adquirida no programa.

Agora, na reta final da formação, os jovens estão concluindo seus projetos, participando de estágios nas áreas em que irão atuar e adquirindo conhecimentos na área gerencial. Ressalta-se a importância do apoio das instituições do Médio Curu, bem como, das secretarias de agricultura dos municípios de Apuiarés, General Sampaio e Tejuçuoca provando que o programa ganhou dimensões de fomento ao desenvolvimento social na microrregião.
Cláudio Roberto, 27 anos, mora na sede do município de General Sampaio, trabalha no Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de General Sampaio dá seu depoimento sobre o programa.

“A cada sequência somos surpreendidos com uma programação intensa, cheia de informações e experiências novas. O PEJR é fundamental para a nossa formação técnica, quando concluirmos seremos Agentes de Desenvolvimento Rural, ou seja, jovens multiplicadores no território com capacidade e autonomia para interferirmos na realidade dos nossos municípios. Somos filhos de agricultores, jovens com um objetivo: viver no campo com qualidade e sustentabilidade” completa o jovem Cláudio.

Após a formatura, os jovens atuarão como articuladores sociais junto às comunidades e municípios através de projetos já aprovados pelo Banco do Nordeste.

I turma do PEJR Médio Curu entra no ciclo final da formação

O Programa Empreendedorismo do Jovem Rural – PEJR está em seu último ciclo de formação. É nessa fase que os jovens participantes desenvolvem projetos produtivos e/ou sociais que serão implantados em suas unidades familiares e comunidades.
No primeiro ciclo, os jovens tiveram a oportunidade de se conhecerem melhor como ser humano, de fortalecer sua identidade como jovens e aumentarem a capacidade de se relacionar com os demais.
Já no segundo ciclo, o foco principal foi o conhecimento técnico. Através de visitas, participação em eventos como palestras, dias de campo, oficinas, seminário e por meio da colaboração externa das instituições parceiras do PEJR, os jovens puderam entrar em contato com experiências práticas que fundamentaram a teoria adquirida no programa.
Agora, na reta final da formação, os jovens estão concluindo seus projetos, participando de estágios nas áreas em que irão atuar e adquirindo conhecimentos na área gerencial. Ressalta-se a importância do apoio das instituições do Médio Curu, bem como, das secretarias de agricultura dos municípios de Apuiarés, General Sampaio e Tejuçuoca provando que o programa ganhou dimensões de fomento ao desenvolvimento social na microrregião.
Cláudio Roberto, 27 anos, mora na sede do município de General Sampaio, trabalha no Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de General Sampaio dá seu depoimento sobre o programa.
“A cada sequência somos surpreendidos com uma programação intensa, cheia de informações e experiências novas. O PEJR é fundamental para a nossa formação técnica, quando concluirmos seremos Agentes de Desenvolvimento Rural, ou seja, jovens multiplicadores no território com capacidade e autonomia para interferirmos na realidade dos nossos municípios. Somos filhos de agricultores, jovens com um objetivo: viver no campo com qualidade e sustentabilidade” completa o jovem Cláudio.
Após a formatura, os jovens atuarão como articuladores sociais junto às comunidades e municípios através de projetos já aprovados pelo Banco do Nordeste.