Acesso ao crédito possibilita o crescimento da atividade rural

Com o surgimento de programas que incentivam os agricultores a investirem em sua produção e a crescente dinamização das economias rurais, novas possibilidades de desenvolvimento da produção afloram e a renda dos agricultores familiares se eleva.

Sr. Lourenço Castro, 42 anos, é um dos agricultores familiares que reside no Núcleo B, Pentecoste/CE, acessou ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para investir na cadeia produtiva de apicultura. Pai de quatro filhos, com uma propriedade de 4 ha, ele acredita que o acesso ao crédito permite elevar a produção e melhorar a atividade produtiva.

“Eu vejo que o acesso ao crédito possibilita o produtor investir e crescer na atividade, no meu caso acessei duas vezes e vou acessar mais vezes para investir na apicultura, pretendo comprar mais 25 colmeias, e continuar ampliando sempre que poder”, afirma Sr. Lourenço.

O Pronaf financia projetos individuais ou coletivos, que gerem renda aos agricultores familiares, e possui as mais baixas taxas de juros dos financiamentos rurais. “Eu vi no crédito uma possibilidade de crescimento na atividade, e é uma das poucas saídas para quem quer investir na propriedade, devido à facilidade de pagamento, e juros baixos”, assinala ele.

Sr. Lourenço embora cultive em sua propriedade coco, banana, milho, feijão e mamona, escolheu a atividade apícola para fazer os investimentos. Membro da Associação dos Apicultores de Vila Nova Serrota participou do projeto Apicultura Integrada e Sustentável desenvolvido pela Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) na comunidade.

“Com os conhecimentos repassados nos cursos comecei a perceber que se investisse na apicultura e colocasse em prática o que aprendi, a renda da propriedade podia aumentar”, conta Sr. Lourenço, citando os cursos de associativismo e empreendedorismo, ministrados pela Adel na comunidade de Vila Nova.

“A Adel para mim tem uma grande importância, ela proporcionou o acesso ao conhecimento e viabilizou a realização de um grande sonho da associação dos apicultores: ter uma casa de mel para beneficiar a nossa produção. Através dela, tive a oportunidade de conhecer outras realidades através de um intercâmbio em Limoeiro do Norte, onde adquiri muitos conhecimentos que serviu para melhorar a minha produção de mel”, afirma.

As expectativas do agricultor é que em breve a atividade apícola gere renda para a propriedade e seja um exemplo para outras pessoas que ainda temem em acessar crédito para investir na produção.  Atualmente ele tem 30 colmeias e comercializa a produção para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

Acesso ao crédito possibilita o crescimento da atividade rural

Com o surgimento
de programas que incentivam os agricultores a investirem em sua produção e a
crescente dinamização das economias rurais, novas possibilidades de
desenvolvimento da produção afloram e a renda dos agricultores familiares se
eleva.

Sr. Lourenço Castro,
42 anos, é um dos agricultores familiares que reside no Núcleo B, Pentecoste/CE, acessou ao Programa Nacional de Fortalecimento da
Agricultura Familiar (Pronaf) para investir na cadeia produtiva de apicultura.
Pai de quatro filhos, com uma propriedade de 4 ha, ele acredita que o acesso ao
crédito permite elevar a produção e melhorar a atividade produtiva.

“Eu vejo que o
acesso ao crédito possibilita o produtor investir e crescer na atividade, no
meu caso acessei duas vezes e vou acessar mais vezes para investir na
apicultura, pretendo comprar mais 25 colmeias, e continuar ampliando sempre que
poder”, afirma Sr. Lourenço.

O Pronaf financia
projetos individuais ou coletivos, que gerem renda aos agricultores familiares,
e possui as mais baixas taxas de juros dos financiamentos rurais. “Eu vi no
crédito uma possibilidade de crescimento na atividade, e é uma das poucas
saídas para quem quer investir na propriedade, devido à facilidade de
pagamento, e juros baixos”, assinala ele.

Sr. Lourenço
embora cultive em sua propriedade coco, banana, milho, feijão e mamona,
escolheu a atividade apícola para fazer os investimentos. Membro da Associação
dos Apicultores de Vila Nova Serrota participou do projeto Apicultura Integrada e
Sustentável desenvolvido pela Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel)
na comunidade.

“Com os
conhecimentos repassados nos cursos comecei a perceber que se investisse na
apicultura e colocasse em prática o que aprendi, a renda da propriedade podia
aumentar”, conta Sr. Lourenço, citando os cursos de associativismo e
empreendedorismo, ministrados pela Adel na comunidade de Vila Nova.

“A Adel para mim
tem uma grande importância, ela proporcionou o acesso ao conhecimento e
viabilizou a realização de um grande sonho da associação
dos apicultores: ter uma casa de mel para beneficiar a nossa produção. Através
dela, tive a oportunidade de conhecer outras realidades através de um intercâmbio
em Limoeiro do Norte, onde adquiri muitos conhecimentos que serviu para
melhorar a minha produção de mel”, afirma.

As expectativas
do agricultor é que em breve a atividade apícola gere renda para a propriedade
e seja um exemplo para outras pessoas que ainda temem em acessar crédito para
investir na produção.  Atualmente ele tem
30 colmeias e comercializa a produção para o Programa de Aquisição de Alimentos
(PAA).

II Seminário de Educadores do PEJR inicia hoje

Entre os dias 26 e 30 de Setembro, os educadores Carlos Roberto e Aurigele Barbosa da Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) participam do II Seminário Nacional de Formação de Educadores do Programa Empreendedorismo do Jovem Rural (PEJR), em Tibagi (PR).  



Com o intuito de debater o tema “Dinâmicas do território: imersão dos Agentes de Desenvolvimento Rural”, o encontro reuni as organizações parceiras do Instituto Souza Cruz que implementam o PEJR nas regiões Sul e Nordeste, possibilitando um espaço de intercâmbio entre as experiências dos educadores.

O Seminário tem como objetivo proporcionar um debate sobre as atividades rurais não agrícolas com foco nos projetos dos jovens; e elaborar os planos de trabalho para mobilização e seleção das turmas 2012.

No encontro, os educadores discutem as dinâmicas do território voltadas aos canais de comercialização e as organizações juvenis – políticas públicas; e participam de palestras ministradas por Wilson Schimidt, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFCS), e Reni Denardi, representante do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

II Seminário de Educadores do PEJR inicia hoje

Entre os dias 26 e 30 de
Setembro, os educadores Carlos Roberto e Aurigele Barbosa da Agência de
Desenvolvimento Econômico Local (Adel) participam do II Seminário
Nacional de Formação de Educadores do Programa Empreendedorismo do Jovem Rural
(PEJR), em Tibagi (PR).  

Com o intuito de debater o
tema “Dinâmicas do território: imersão dos Agentes de Desenvolvimento Rural”, o
encontro reuni as organizações parceiras do Instituto Souza Cruz que
implementam o PEJR nas regiões Sul e Nordeste, possibilitando um espaço de
intercâmbio entre as experiências dos educadores.

O Seminário tem como objetivo
proporcionar um debate sobre as atividades rurais não agrícolas com foco nos projetos
dos jovens; e elaborar os planos de trabalho para mobilização e seleção das
turmas 2012.
No encontro, os educadores
discutem as dinâmicas do território voltadas aos canais de
comercialização e as organizações juvenis – políticas públicas; e participam
de palestras ministradas por Wilson Schimidt, da Universidade Federal de Santa
Catarina (UFCS), e Reni Denardi, representante do Ministério do Desenvolvimento
Agrário (MDA).

Empreendedores se unem na 1ª rede socioambiental de mídia do país

Iniciativa pioneira do Grupo Folha reúne 38 organizações para disseminar ideias e soluções socioambientais para o Brasil. Debates, documentário, fórum sobre sustentabilidade, site, blog e publicação de notícias e perfis de líderes sociais estão entre as ações estratégicas para fazer do empreendedorismo social uma referência na mídia e na sociedade.
Com o objetivo de “disseminar ideias e soluções socioambientais para um novo Brasil”, a Folha de S.Paulo lança uma iniciativa pioneira: a Rede Folha de Empreendedores Socioambientais.
Ela é composta por finalistas dos prêmios Empreendedor Social (em sua sétima edição em 2011) e Empreendedor Social de Futuro (na terceira edição). Dessa maneira, o jornal torna-se o primeiro grupo de mídia no mundo a promover, selecionar, divulgar e articular líderes sociais brasileiros.
“O lançamento reflete a consolidação de um projeto de longo prazo que a Folha se propôs a desenvolver a partir de 2005, com a criação do Prêmio Empreendedor Social, que seleciona e chancela líderes sociais inovadores, sustentáveis e com forte impacto em políticas públicas e na sociedade em geral”, diz Sérgio Dávila, editor-executivo da Folha de S.Paulo.
Nesta primeira fase, a iniciativa reúne 38 organizações inovadoras e de notório impacto social no país. Os líderes sociais que já aderiram à proposta são: Ana Moser, do Instituto Esporte & Educação; André Albuquerque, da Terra Nova Regularizações Fundiárias; André François, da ImageMagica; Auro Lescher, do Projeto Quixote; Axel Grael, do Instituto Rumo Náutico/Projeto Grael; Berenice Kikuchi, da Associação de Anemia Falciforme do Estado de São Paulo; Carlos Eduardo Zuma, do Instituto Noos; Cláudia Cotes, da Vez da Voz; David Hertz, da Gastromotiva; Eliana Tiezzi, do Projeto Papel de Gente; Elizabeth Vargas, do Centro Ruth Cardoso; Érika Foureaux, do Instituto Noisinho da Silva; Eugenio Scannavino Netto, do Projeto Saúde & Alegria, Fábio Bibancos, da Turma do Bem; Francisco Alemberg, da Fundação Casa Grande; Joaquim de Melo Neto, do Banco Palmas; Jussara Matsuda, da Clínica Cidadã; Karen Worcman, do Museu da Pessoa; Karina Rehavia, da Ninui; Luciano Huck, do Instituto Criar; Luiz Moura, do Núcleo de Ensino e Pesquisa Aplicada; Marcelo Mello, do Prove; Márcia Rolon, do Instituto Homem Pantaneiro; Maria Tereza Leal, da Cooperativa de Trabalho Artesanal e de Costura da Rocinha; Nicolau Priante Filho, do Coorimbatá; Patrícia Chalaça, da Casa da Criança; Raquel Barros, da Associação Lua Nova; Ricardo Cardim, do Amigos das Árvores de São Paulo; Roberto Kikawa, do Projeto Cies; Rodrigo Castro, da Associação Caatinga; Rodrigo de Méllo Brito, da Aliança Empreendedora; Rosana Bianchini, do Instituto Kairós; Sueli de Lima, da Casa da Arte de Educar; Suzana e Cláudio Padua, do Instituto de Pesquisas Ecológicas; Teresa Costa d’Amaral, do Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência; Valdir Cimino, da Associação Viva e Deixe Viver; Wagner Gomes, da Agência de Desenvolvimento Econômico Local; e Yvonne Bezerra de Mello, do Projeto Uerê.
A Rede Folha de Empreendedores Socioambientais estimulará o fortalecimento do exercício da cidadania plena, através de colaborações e disseminações de ideias fundamentais que possam abrir novas perspectivas para o Brasil.” diz Wagner Gomes, co-fundador e Diretor Executivo da Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel).
Terceiro setor: novos canais de comunicação 
O leitor se beneficiará com mais informações sobre o terceiro setor e novos canais de comunicação. Por meio do site www.folha.com.br/empreendedorsocial, pode-se ter acesso a notícias sobre cooperativismo, negócio social e práticas socioambientais. No endereço, há também dicas sobre ações de sustentabilidade, perfis de empreendedores sociais e informações de iniciativas inovadoras.
Os integrantes da Rede Folha de Empreendedores Socioambientais também contribuem regularmente com posts no Blog Empreendedor Social: http://empreendedorsocial.folha.blog.uol.com.br/.
“Com a Rede Folha de Empreendedores Socioambientais, a Folhavai além da busca e da seleção de ideias comprovadamente eficazes para os problemas socioambientais brasileiros e passa a divulgar essas ações de forma integrada nos canais do Grupo Folha”, afirma Patrícia Trudes da Veiga, editora de Suplementos e do Empreendedor Social.
Debates e documentário
Faz parte da iniciativa a série “Diálogos com a Rede Folha”, que realizará mensalmente debates na internet sobre assuntos de grande relevância ao país, com produção da TV Folha e transmissão pela Folha.com.
Além disso, a rede será tema de um documentário em formato de série, a ser produzido pela TV Folha, e articulará o 3° Fórum de Empreendedorismo Socioambiental, em 2012.
Sobre os prêmios
O Prêmio Empreendedor Social, realizado pela Folha de S.Paulo e pela Fundação Schwab, está em sua sétima edição. Já o Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro, iniciativa exclusiva da Folha de S.Paulo, está no seu terceiro ano. Ambos buscam reconhecer líderes sociais que atuam de forma inovadora, sustentável e com forte impacto na sociedade e em políticas públicas. Em 9 de novembro, a Folha de S.Paulodivulgará os vencedores e finalistas dos prêmios, com circulação, no dia 10, de um caderno especial com o perfil detalhado dos finalistas de 2011.
Os concursos socioambientais têm patrocínio da Ernst & Young Terco e apoio estratégico de Artemisia; Ceats (Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor); Iats (Instituto de Administração para o Terceiro Setor); Figueiredo Lopes, Golfieri, Reicher, Storto Advogados; IGesc (Gestão para Organizações da Sociedade Civil); Neurônio; sitawi e The Hub.
Outros apoiadores são ABCR (Associação Brasileira de Captadores de Recursos), Ashoka, CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável), Ethos, Folha.com, Gife (Grupo de Institutos, Fundações e Empresas), ONG Brasil, P&B Comunicação, Planeta Voluntários, Sator e UOL.

Empreendedores se unem na 1ª rede socioambiental de mídia do país

Iniciativa
pioneira do Grupo Folha reúne 38 organizações para disseminar ideias e soluções
socioambientais para o Brasil. Debates, documentário, fórum sobre
sustentabilidade, site, blog e publicação de notícias e perfis de líderes
sociais estão entre as ações estratégicas para fazer do empreendedorismo social
uma referência na mídia e na sociedade.
Com
o objetivo de “disseminar ideias e soluções socioambientais para um novo
Brasil”, a Folha
de S.Paulo
lança uma iniciativa pioneira: a Rede Folha de Empreendedores
Socioambientais
.
Ela
é composta por finalistas dos prêmios Empreendedor Social (em sua sétima edição
em 2011) e Empreendedor Social de Futuro (na terceira edição). Dessa maneira, o
jornal torna-se o primeiro grupo de mídia no mundo a promover, selecionar,
divulgar e articular líderes sociais brasileiros.
“O
lançamento reflete a consolidação de um projeto de longo prazo que a Folha se propôs
a desenvolver a partir de 2005, com a criação do Prêmio Empreendedor Social,
que seleciona e chancela líderes sociais inovadores, sustentáveis e com forte
impacto em políticas públicas e na sociedade em geral”, diz Sérgio Dávila,
editor-executivo da Folha
de S.Paulo
.
Nesta
primeira fase, a iniciativa reúne 38 organizações inovadoras e de notório
impacto social no país. Os líderes sociais que já aderiram à proposta
são: Ana Moser, do Instituto Esporte & Educação; André Albuquerque, da
Terra Nova Regularizações Fundiárias; André François, da ImageMagica; Auro
Lescher, do Projeto Quixote; Axel Grael, do Instituto Rumo Náutico/Projeto
Grael; Berenice Kikuchi, da Associação de Anemia Falciforme do Estado de São
Paulo; Carlos Eduardo Zuma, do Instituto Noos; Cláudia Cotes, da Vez da Voz;
David Hertz, da Gastromotiva; Eliana Tiezzi, do Projeto Papel de Gente;
Elizabeth Vargas, do Centro Ruth Cardoso; Érika Foureaux, do Instituto Noisinho
da Silva; Eugenio Scannavino Netto, do Projeto Saúde & Alegria, Fábio
Bibancos, da Turma do Bem; Francisco Alemberg, da Fundação Casa Grande; Joaquim
de Melo Neto, do Banco Palmas; Jussara Matsuda, da Clínica Cidadã; Karen
Worcman, do Museu da Pessoa; Karina Rehavia, da Ninui; Luciano Huck, do
Instituto Criar; Luiz Moura, do Núcleo de Ensino e Pesquisa Aplicada;
Marcelo Mello, do Prove; Márcia Rolon, do Instituto Homem Pantaneiro; Maria
Tereza Leal, da Cooperativa de Trabalho Artesanal e de Costura da Rocinha;
Nicolau Priante Filho, do Coorimbatá; Patrícia Chalaça, da Casa da Criança;
Raquel Barros, da Associação Lua Nova; Ricardo Cardim, do Amigos das Árvores de
São Paulo; Roberto Kikawa, do Projeto Cies; Rodrigo Castro, da Associação
Caatinga; Rodrigo
de Méllo Brito, da Aliança Empreendedora
; Rosana Bianchini, do
Instituto Kairós; Sueli de Lima, da Casa da Arte de Educar; Suzana e Cláudio
Padua, do Instituto de Pesquisas Ecológicas; Teresa Costa d’Amaral,
do Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência; Valdir
Cimino, da Associação Viva e Deixe Viver; Wagner Gomes, da Agência de
Desenvolvimento Econômico Local
; e Yvonne Bezerra de Mello, do Projeto Uerê.
“A Rede Folha de Empreendedores Socioambientais estimulará o
fortalecimento do exercício da cidadania plena, através de colaborações e
disseminações de ideias fundamentais que possam abrir novas perspectivas para o
Brasil.” diz Wagner Gomes, co-fundador e Diretor Executivo da Agência
de Desenvolvimento Econômico Local (Adel).
Terceiro
setor: novos canais de comunicação 
O
leitor se beneficiará com mais informações sobre o terceiro setor e novos
canais de comunicação. Por meio do site www.folha.com.br/empreendedorsocial,
pode-se ter acesso a notícias sobre cooperativismo, negócio social e práticas
socioambientais. No endereço, há também dicas sobre ações de sustentabilidade,
perfis de empreendedores sociais e informações de iniciativas inovadoras.
Os
integrantes da Rede Folha de Empreendedores Socioambientais também contribuem
regularmente com posts no Blog Empreendedor Social: http://empreendedorsocial.folha.blog.uol.com.br/.
“Com
a Rede Folha de
Empreendedores
Socioambientais,
a Folha
vai além da busca e da seleção de ideias comprovadamente eficazes para os
problemas socioambientais brasileiros e passa a divulgar essas ações de forma
integrada nos canais do Grupo Folha”, afirma Patrícia Trudes da Veiga, editora
de Suplementos e do Empreendedor Social.
Debates
e documentário
Faz
parte da iniciativa a série “Diálogos com a Rede Folha”, que realizará
mensalmente debates na internet sobre assuntos de grande relevância ao país,
com produção da TV
Folha
e transmissão pela Folha.com.
Além
disso, a rede será tema de um documentário em formato de série, a ser produzido
pela TV Folha,
e articulará o 3° Fórum de Empreendedorismo Socioambiental, em 2012.
Sobre
os prêmios
O
Prêmio Empreendedor Social, realizado pela Folha de S.Paulo e pela Fundação
Schwab, está em sua sétima edição. Já o Prêmio Folha Empreendedor Social de
Futuro, iniciativa exclusiva da Folha
de S.Paulo
, está no seu terceiro ano. Ambos buscam reconhecer
líderes sociais que atuam de forma inovadora, sustentável e com forte impacto
na sociedade e em políticas públicas. Em 9 de novembro, a Folha de S.Paulo
divulgará os vencedores e finalistas dos prêmios, com circulação, no dia 10, de
um caderno especial com o perfil detalhado dos finalistas de 2011.
Os
concursos socioambientais têm patrocínio da Ernst & Young Terco e apoio
estratégico de Artemisia; Ceats (Centro de Empreendedorismo Social e
Administração em Terceiro Setor); Iats (Instituto de Administração para o
Terceiro Setor); Figueiredo Lopes, Golfieri, Reicher, Storto Advogados; IGesc
(Gestão para Organizações da Sociedade Civil); Neurônio; sitawi e The Hub.
Outros
apoiadores são ABCR (Associação Brasileira de Captadores de Recursos), Ashoka,
CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável),
Ethos, Folha.com,
Gife (Grupo de Institutos, Fundações e Empresas), ONG Brasil, P&B
Comunicação, Planeta Voluntários, Sator e UOL.

Diretor executivo da Adel fará palestra no 3º Encontro do Mapa de Soluções Inovadoras

Na próxima quinta-feira (22/09), Wagner Gomes, diretor executivo da Agência Desenvolvimento Econômico Local (Adel) juntamente com o jovem Neto Ribeiro estará em São Paulo palestrando no 3º Encontro do Mapa de Soluções Inovadoras – Tendências de Empreendedores na Construção de Negócios Sociais e Inclusivos. Promovido pelo Instituto Walmart em parceria com a Ashoka.
 
Neto Ribeiro (foto ao lado) é um dos jovens participantes do Programa Jovens Empreendedores da Adel. Residente na comunidade de Sitio do Meio, em Pentecoste, atua como Agente de Desenvolvimento Rural (ADR) na região e trabalha com empreendimentos produtivos na área de apicultura e galinha caipira em sua propriedade.
 
Durante o encontro, será discutido o tema Negócios Sociais de Jovens em Área Urbana e Rural. Na ocasião será apresentada a experiência do jovem Neto Ribeiro e da Adel, empreendimento social formado por jovens do Médio Curu.
 
Segundo Wagner Gomes, o evento é uma oportunidade de apresentar as estratégias de atuação e resultados da Adel, compartilhando os impactos na vida de outros jovens. Para todos nós que fazemos a Adel é muito gratificante vê que outros jovens, estão apostando no desenvolvimento do semiárido, enfatiza.
O evento contará com a participação de jovens empreendedores do Brasil, instituições financiadoras, organizações sociais e pesquisadores que apoiam a criação e implementação de negócios sociais e negócios inclusivos para jovens. 
Mais informações sobre o Mapa: http://www.iwm.org.br/agenda/causas/geracao-de-renda/grupos-produtivos/154-IWM_promove_3%C2%BA._dialogo_sobre_inovacao_em_negocios_sociais_e_inclusivos_.html

Diretor executivo da Adel fará palestra no 3º Encontro do Mapa de Soluções Inovadoras

Na próxima quinta-feira (22/09),
Wagner Gomes, diretor executivo da Agência Desenvolvimento Econômico Local (Adel)
juntamente com o jovem Neto Ribeiro estará em São Paulo palestrando no 3º
Encontro do Mapa de Soluções Inovadoras – Tendências de Empreendedores na Construção
de Negócios Sociais e Inclusivos. Promovido pelo Instituto Walmart em parceria
com a Ashoka.

 

Neto Ribeiro (foto ao lado) é um dos jovens
participantes do Programa Jovens Empreendedores da Adel. Residente na
comunidade de Sitio do Meio, em Pentecoste, atua como Agente de Desenvolvimento
Rural (ADR) na região e trabalha com empreendimentos produtivos na área de
apicultura e galinha caipira em sua propriedade.

 

Durante o encontro, será
discutido o tema Negócios Sociais de Jovens em Área Urbana e Rural. Na ocasião
será apresentada a experiência do jovem Neto Ribeiro e da Adel, empreendimento
social formado por jovens do Médio Curu.

 

Segundo Wagner Gomes, o evento é
uma oportunidade de apresentar as estratégias de atuação e resultados da Adel,
compartilhando os impactos na vida de outros jovens. Para todos nós que fazemos
a Adel é muito gratificante vê que outros jovens, estão apostando no
desenvolvimento do semiárido, enfatiza.

O evento contará com a participação
de jovens empreendedores do Brasil, instituições financiadoras, organizações
sociais e pesquisadores que apoiam a criação e implementação de negócios
sociais e negócios inclusivos para jovens. 

Mais informações sobre o Mapa: http://www.iwm.org.br/agenda/causas/geracao-de-renda/grupos-produtivos/154-IWM_promove_3%C2%BA._dialogo_sobre_inovacao_em_negocios_sociais_e_inclusivos_.html

Adel é semifinalista ao Prêmio PNUD/Assembleia do Ceará-eucurtoessacidade

A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) é uma das 09 (nove) semifinalistas ao Prêmio PNUD/Assembleia do Ceará – eucurtoessacidade, uma iniciativa da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

O objetivo do prêmio é reconhecer, incentivar e difundir práticas para a erradicação da pobreza no Estado do Ceará. O Governo Federal adotou a erradicação da pobreza como meta para a sua gestão. A Assembleia dá sua contribuição estimulando as ações de prefeituras e instituições que trabalham nesse sentido. 
Os projetos vencedores serão divulgados durante a I Feira do Conhecimento – Capacidades e Soluções, na cidade de Barbalha, de 20 a 22 de outubro. O prêmio será realizado anualmente e os vencedores receberão:
  •  Premiação local: Prêmio PNUD/Assembléia do Ceará – eucurtoessacidade; Bolsa integral em curso de Pós-Graduação na Universidade do Parlamento; Divulgação do projeto premiado: Stand na I Feira do Conhecimento de Barbalha; Documentário na TV Assembléia; Cartilha produzida pelo INESP sobre o projeto.
  • Premiação nacional: Viagem para Minas Gerais para conhecer as melhores práticas de erradicação da pobreza.
  • Premiação Internacional: Viagem para conhecer a sede da ONU em Nova York.

Adel é semifinalista ao Prêmio PNUD/Assembleia do Ceará-eucurtoessacidade

A
Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) é uma das 09 (nove) semifinalistas
ao Prêmio PNUD/Assembleia do Ceará – eucurtoessacidade,
uma iniciativa da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará e do Programa das
Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

O objetivo do prêmio é reconhecer, incentivar e
difundir práticas para a erradicação da pobreza no Estado do Ceará. O Governo
Federal adotou a erradicação da pobreza como meta para a sua gestão. A
Assembleia dá sua contribuição estimulando as ações de prefeituras e
instituições que trabalham nesse sentido. 
Os projetos vencedores serão divulgados durante a I
Feira do Conhecimento – Capacidades e Soluções, na cidade de Barbalha, de 20 a
22 de outubro. O prêmio será realizado anualmente e os
vencedores receberão:
  •  Premiação
    local
    : Prêmio PNUD/Assembléia do Ceará –
    eucurtoessacidade; Bolsa integral em curso de Pós-Graduação na Universidade do
    Parlamento; Divulgação do projeto premiado: Stand na I Feira do Conhecimento de
    Barbalha; Documentário na TV Assembléia; Cartilha produzida pelo INESP sobre o
    projeto.
  • Premiação
    nacional
    : Viagem para Minas Gerais para conhecer as melhores práticas de
    erradicação da pobreza.
  • Premiação
    Internacional
    : Viagem para conhecer a sede da ONU
    em Nova York.