Adel é finalista ao Prêmio Generosidade da Editora Globo

A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) foi selecionada como uma das 10 finalistas ao prêmio do Projeto Generosidade 2011. Com foco na juventude e agricultura familiar os jovens fundadores da Adel desde 2007, desenvolvem ações e projetos na área de desenvolvimento local sustentável em várias comunidades do território do Vale do Curu e Aracatiaçu, no semiárido cearense.
Com este trabalho a instituição já coleciona vários prêmios e reconhecimentos em quatro anos de atuação. No ano de 2010, a Adel recebeu o prêmio Rosani Cunha do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS) e o prêmio Empreendedor Social de Futuro da Folha de São Paulo. Foi escolhida entre as cinco melhores Práticas Exitosas de Produção e Gestão Institucional, no Prêmio Nacional de Desenvolvimento Regional promovido pelo Ministério da Integração Nacional. 
Em 2011, a Adel conquistou o prêmio PNUD/Assembleia do Ceará-eucurtoessacidade, promovido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em parceria com a Assembleia do Ceará e o prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Rede Paranaense de Comunicação (RPC). Foi finalista do Desafio do Changemakers “Negócios para a Transformação Social”, concurso internacional da Ashoka e Ebay Foundation, e Wagner Gomes, atual diretor e sócio-fundador da Adel, recebeu o título de fellow da Ashoka.
                                                Foto: Drawlio Joca/Globo Rural

Este ano esperamos conquistar outros prêmios, entre eles o Generosidade 2011, conquista que acreditamos ser fruto do trabalho de jovens do semiárido e do apoio dos agricultores familiares, lideranças comunitárias, parceiros e amigos que sempre acreditaram no nosso trabalho, afirma Wagner Gomes, diretor executivo da Adel.

O Projeto Generosidade, promovido pela Editora Globo, em sua quinta edição, reúne todas as revistas da Editora Globo visando revelar e repercutir ações e exemplos de gente que faz e promove o bem no Brasil.
Ao final do Generosidade 2011, o escolhido como melhor projeto receberá um incentivo no valor de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais), o segundo receberá R$ 80.000,00 (oitenta mil reais) e o terceiro receberá R$ 40.000,00 (quarenta mil reais) para serem integralmente investidos nas ações das organizações.

Mais informações: http://www.projetogenerosidade.com.br/2012/02/27/conheca-os-10-finalistas/

Adel é finalista ao Prêmio Generosidade da Editora Globo

A
Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) foi selecionada como uma das
10 finalistas ao prêmio do Projeto Generosidade 2011. Com foco na juventude e
agricultura familiar os jovens fundadores da Adel desde 2007, desenvolvem ações
e projetos na área de desenvolvimento local sustentável em várias comunidades
do território do Vale do Curu e Aracatiaçu, no semiárido cearense.
Com
este trabalho a instituição já coleciona vários prêmios e reconhecimentos em
quatro anos de atuação. No ano de 2010, a Adel recebeu o prêmio Rosani Cunha do
Ministério de Desenvolvimento Social (MDS) e o prêmio Empreendedor Social de
Futuro da Folha de São Paulo. Foi escolhida entre as cinco melhores Práticas
Exitosas de Produção e Gestão Institucional, no Prêmio Nacional de Desenvolvimento
Regional promovido pelo Ministério da Integração Nacional. 
Em
2011, a Adel conquistou o prêmio PNUD/Assembleia do Ceará-eucurtoessacidade,
promovido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em parceria
com a Assembleia do Ceará e o prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo
Sustentável da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Rede Paranaense de Comunicação
(RPC). Foi finalista do Desafio do Changemakers “Negócios para a Transformação
Social”, concurso internacional da Ashoka e Ebay Foundation, e Wagner Gomes,
atual diretor e sócio-fundador da Adel, recebeu o título de fellow da Ashoka.
                                                Foto: Drawlio Joca/Globo Rural

Este
ano esperamos conquistar outros prêmios, entre eles o Generosidade 2011, conquista
que acreditamos ser fruto do trabalho de jovens do semiárido e do apoio dos agricultores familiares, lideranças comunitárias,
parceiros e amigos que sempre acreditaram no nosso trabalho, afirma Wagner
Gomes, diretor executivo da Adel.

O
Projeto Generosidade, promovido pela Editora Globo, em sua quinta edição, reúne
todas as revistas da Editora Globo visando revelar e repercutir ações e
exemplos de gente que faz e promove o bem no Brasil.
Ao
final do Generosidade 2011, o escolhido como melhor projeto receberá um
incentivo no valor de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais), o segundo receberá R$
80.000,00 (oitenta mil reais) e o terceiro receberá R$ 40.000,00 (quarenta mil
reais) para serem integralmente investidos nas ações das organizações.

Mais informações: http://www.projetogenerosidade.com.br/2012/02/27/conheca-os-10-finalistas/

Adel realiza 1ª Sequência do PEJR

Durante esta semana (13 à 17/02), a Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) realiza a 1ª Sequência do Programa Empreendedorismo do Jovem Rural (PEJR), financiado pelo Instituto Souza Cruz, com apoio das Prefeituras Municipais de Apuiarés, General Sampaio e Tejuçuoca, através das Secretarias de Agricultura.

As atividades da 1ª Sequência iniciaram ontem (13/02), às 8h, na comunidade de Cipó, Pentecoste, com a aula inaugural, onde foi apresentado o calendário de atividades do programa e assinado o termo de compromisso pelos pais dos jovens.

O PEJR trabalha com a Pedagogia da Alternância, os jovens alternam a formação entre o meio vivencial e o Centro de Formação, onde participam de uma semana de estudos, chamada de sequência. Este ano, a turma participará de 15 sequências, intercaladas com as viagens de intercâmbio, visitas as famílias, participação em eventos, entre outras atividades.

Segundo o jovem Mailson Bezerra, Agente de Desenvolvimento Rural (ADR) que fez parte da turma anterior do PEJR e atualmente, desenvolve um projeto na área de caprino leiteiro, o PEJR é uma oportunidade para os jovens conhecer outras experiências, sua própria comunidade e desenvolver seu meio vivencial. “O PEJR foi muito importante para mim, se pudesse participava de novo, pois o programa acrescentou muito para minha vida, não só profissional, mas principalmente pessoal, aprendi a valorizar minha comunidade e a respeitar a opinião das outras pessoas, acrescenta ele.

Estavam presentes na aula inaugural além dos jovens e pais; a equipe da Adel (Adriano Batista, Aurigele Barbosa, Anderson Vieira, Carlos Roberto, Evilene Abreu, Mirlânia Lima, Nonato Nunes e Wagner Gomes); a assessora de projetos do Instituto Souza Cruz, Aline Loureiro; os ADR’s Mailson Bezerra, Tiago Sousa e Camila Cardoso; e os secretários de agricultura de Apuiarés e Tejuçuoca, Júnior Barroso e Paulo César, respectivamente, juntamente com César Almeida, representante da Secretaria de Agricultura de General Sampaio.

Nesta primeira sequência, os jovens além de se conhecerem melhor e trocarem experiências entre si, vão conhecer um pouco mais sobre o contexto da juventude no cenário nacional e sua relação com o protagonismo juvenil, empreendedorismo rural e agricultura familiar, além de começarem a elaborar seus projetos de vida.

Adel realiza 1ª Sequência do PEJR

Durante esta semana (13 à 17/02), a Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) realiza a 1ª Sequência do Programa Empreendedorismo do Jovem Rural (PEJR), financiado pelo Instituto Souza Cruz, com apoio das Prefeituras Municipais de Apuiarés, General Sampaio e Tejuçuoca, através das Secretarias de Agricultura.

As atividades da 1ª Sequência iniciaram ontem (13/02), às 8h, na comunidade de Cipó, Pentecoste, com a aula inaugural, onde foi apresentado o calendário de atividades do programa e assinado o termo de compromisso pelos pais dos jovens.

O PEJR trabalha com a Pedagogia da Alternância, os jovens alternam a formação entre o meio vivencial e o Centro de Formação, onde participam de uma semana de estudos, chamada de sequência. Este ano, a turma participará de 15 sequências, intercaladas com as viagens de intercâmbio, visitas as famílias, participação em eventos, entre outras atividades.

Segundo o jovem Mailson Bezerra, Agente de Desenvolvimento Rural (ADR) que fez parte da turma anterior do PEJR e atualmente, desenvolve um projeto na área de caprino leiteiro, o PEJR é uma oportunidade para os jovens conhecer outras experiências, sua própria comunidade e desenvolver seu meio vivencial. “O PEJR foi muito importante para mim, se pudesse participava de novo, pois o programa acrescentou muito para minha vida, não só profissional, mas principalmente pessoal, aprendi a valorizar minha comunidade e a respeitar a opinião das outras pessoas, acrescenta ele.

Estavam presentes na aula inaugural além dos jovens e pais; a equipe da Adel (Adriano Batista, Aurigele Barbosa, Anderson Vieira, Carlos Roberto, Evilene Abreu, Mirlânia Lima, Nonato Nunes e Wagner Gomes); a assessora de projetos do Instituto Souza Cruz, Aline Loureiro; os ADR’s Mailson Bezerra, Tiago Sousa e Camila Cardoso; e os secretários de agricultura de Apuiarés e Tejuçuoca, Júnior Barroso e Paulo César, respectivamente, juntamente com César Almeida, representante da Secretaria de Agricultura de General Sampaio.

Nesta primeira sequência, os jovens além de se conhecerem melhor e trocarem experiências entre si, vão conhecer um pouco mais sobre o contexto da juventude no cenário nacional e sua relação com o protagonismo juvenil, empreendedorismo rural e agricultura familiar, além de começarem a elaborar seus projetos de vida.

2ª Turma do PEJR no Ceará inicia atividades

Nesta segunda-feira (13/02), a partir das 8h, terá inicio as atividades da 2ª turma do Programa de Empreendedorismo do Jovem Rural (PEJR), no Ceará. 35 jovens dos municípios do Médio Curu (Apuiarés, General Sampaio, Pentecoste e Tejuçuoca) juntamente com seus familiares e amigos participarão da aula inaugural do programa, que acontecerá na comunidade de Cipó, em Pentecoste.

O PEJR é uma ação do Instituto Souza Cruz, em parceria com a Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) que busca empoderar jovens rurais, através de diversas formações sobre articulação juvenil, empreendedorismo rural e agricultura familiar.

Segundo Carlos Roberto educador do programa na Adel o PEJR trabalha com diversas temáticas, envolvendo desde a agricultura familiar, empreendedorismo, políticas públicas para juventude, entre outras. “Esperamos que os jovens selecionados participem de todas as etapas do programa, e que através da metodologia da Pedagogia da Alternância desenvolvam sua autonomia e fortaleçam o espírito empreendedor de cada um, afirma ele.

2ª Turma do PEJR no Ceará inicia atividades

Nesta segunda-feira (13/02), a partir das 8h, terá inicio as atividades da 2ª turma do Programa de Empreendedorismo do Jovem Rural (PEJR), no Ceará. 35 jovens dos municípios do Médio Curu (Apuiarés, General Sampaio, Pentecoste e Tejuçuoca) juntamente com seus familiares e amigos participarão da aula inaugural do programa, que acontecerá na comunidade de Cipó, em Pentecoste.

O PEJR é uma ação do Instituto Souza Cruz, em parceria com a Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) que busca empoderar jovens rurais, através de diversas formações sobre articulação juvenil, empreendedorismo rural e agricultura familiar.

Segundo Carlos Roberto educador do programa na Adel o PEJR trabalha com diversas temáticas, envolvendo desde a agricultura familiar, empreendedorismo, políticas públicas para juventude, entre outras. “Esperamos que os jovens selecionados participem de todas as etapas do programa, e que através da metodologia da Pedagogia da Alternância desenvolvam sua autonomia e fortaleçam o espírito empreendedor de cada um, afirma ele.

Adel libera recursos do Fundo de Apoio ao Empreendedorismo (FAE)

A equipe da Adel, constituída pelo diretor executivo, Wagner Gomes, a diretora de finanças, Mirlania Lima, o diretor técnico, Adriano Batista, o coordenador do FAE, Nonato Nunes e o técnico, Anderson Vieira comemoram no último dia 29/01 a liberação dos recursos do FAE para os projetos de fortalecimento da cadeia produtiva da apicultura nas comunidades de Lagoas das Pedras e Riacho do Paulo, no municipio de Apuiarés. 28 jovens participam dessa fase do programa.

O FAE é um fundo constituído pela Adel com recursos captados junto a empresas, bancos, fundações e cidadãos com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento local da economia da microrregião do Médio Curu (Apuiarés, Pentecoste, General Sampaio e Tejuçuoca), semiárido cearense, através do fomento ao empreendedorismo e da valorização de projetos inovadores, geradores de renda e desenvolvimento.

Segundo Nonato Nunes, o Fundo de Apoio ao Empreendedorismo foi criado para atender às necessidades de liquidez dos jovens empreendedores e agricultores familiares, desprovidos de patrimônio e de contrapartidas habitualmente exigidas pelos sistemas financeiros tradicionais, mas que querem permanecer no campo, tocar seus empreendimentos para complementar seus rendimentos e gerar rendas em suas comunidades.

Adel libera recursos do Fundo de Apoio ao Empreendedorismo (FAE)

A equipe da Adel, constituída pelo diretor executivo, Wagner Gomes, a diretora de finanças, Mirlania Lima, o diretor técnico, Adriano Batista, o coordenador do FAE, Nonato Nunes e o técnico, Anderson Vieira comemoram no último dia 29/01 a liberação dos recursos do FAE para os projetos de fortalecimento da cadeia produtiva da apicultura nas comunidades de Lagoas das Pedras e Riacho do Paulo, no municipio de Apuiarés. 28 jovens participam dessa fase do programa.

O FAE é um fundo constituído pela Adel com recursos captados junto a empresas, bancos, fundações e cidadãos com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento local da economia da microrregião do Médio Curu (Apuiarés, Pentecoste, General Sampaio e Tejuçuoca), semiárido cearense, através do fomento ao empreendedorismo e da valorização de projetos inovadores, geradores de renda e desenvolvimento.

Segundo Nonato Nunes, o Fundo de Apoio ao Empreendedorismo foi criado para atender às necessidades de liquidez dos jovens empreendedores e agricultores familiares, desprovidos de patrimônio e de contrapartidas habitualmente exigidas pelos sistemas financeiros tradicionais, mas que querem permanecer no campo, tocar seus empreendimentos para complementar seus rendimentos e gerar rendas em suas comunidades.