Jovens participam do IV Intercâmbio da Juventude Rural


Quatro (04) jovens do Médio Curu, da 2ª Turma do Programa Empreendedorismo doJovem Rural (PEJR) desenvolvido no Ceará, pela Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) em parceria com o Instituto Souza Cruz, irão participar do IV Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira que inicia no dia 14 de julho e segue até o dia 30 de novembro.
O intercâmbio é uma iniciativa da Rede Jovem Rural, coordenada pelo Instituto Sousa Cruz, que possibilita aos jovens de várias regiões do Brasil conhecer outras realidades rurais, aprender novas técnicas agrícolas, visitar pequenos produtores e conhecer inovações na agricultura familiar.
Este ano, o intercâmbio está dividido em cinco etapas. Os jovens irão visitar em cada mês, uma das cinco organizações que integra a Rede do Jovem Rural localizadas em diversas regiões do país – Sisal Baiano (BA); Centro-Serra (ES); Centro-Sul e Sudeste (PR); e Zona da Mata (PE).
A primeira jovem do PEJR CE que irá participar da primeira etapa do intercâmbio é Fátima Pontes, residente na comunidade de Serrota, Pentecoste. Durante uma semana, a intercambista irá conhecer o Movimento de Organização Comunitária (MOC) e a realidade dos territórios rurais na região do Sisal, na Bahia.

Jovens participam do IV Intercâmbio da Juventude Rural

Quatro
(04) jovens do Médio Curu, da 2ª Turma do Programa Empreendedorismo doJovem Rural (PEJR) desenvolvido no Ceará, pela Agência de Desenvolvimento
Econômico Local (Adel) em parceria com o Instituto Souza Cruz, irão participar
do IV Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira que inicia no dia 14 de julho e
segue até o dia 30 de novembro.
O
intercâmbio é uma iniciativa da Rede Jovem Rural, coordenada pelo Instituto
Sousa Cruz, que possibilita aos jovens de várias regiões do Brasil conhecer
outras realidades rurais, aprender novas técnicas agrícolas, visitar pequenos
produtores e conhecer inovações na agricultura familiar.
Este
ano, o intercâmbio está dividido em cinco etapas. Os jovens irão visitar em
cada mês, uma das cinco organizações que integra a Rede do Jovem Rural
localizadas em diversas regiões do país – Sisal Baiano (BA); Centro-Serra (ES);
Centro-Sul e Sudeste (PR); e Zona da Mata (PE).
A
primeira jovem do PEJR CE que irá participar da primeira etapa do intercâmbio é
Fátima Pontes, residente na comunidade de Serrota, Pentecoste. Durante uma
semana, a intercambista irá conhecer o Movimento de Organização Comunitária (MOC) e a realidade dos territórios rurais na região do Sisal, na Bahia.

Adel realiza Seminário na XI TEJUBODE


A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) em parceria com o Banco do Nordeste e a Prefeitura Municipal de Tejuçuoca está realizando desde ontem (28/06), o Seminário da Caprinovinocultura em Tejuçuoca. 

O Seminário é umas das atividades da XI TEJUBODE, feira de ovinos e caprinos que tem como objetivo promover a produção agropastoril e as expressões artístico-culturais da região.

As atividades do seminário seguem até sábado (30/06), reúne produtores das comunidades de Tejuçuoca e de outros municípios vizinhos. Estes produtores durante três dias participam de palestras, fóruns e dias de campo sobre a produção e manejo sanitário de caprinos e ovinos. Além da Adel, outras instituições participam do evento e colaboram com a realização de palestras e oficinas. 

Para Wagner Gomes, Diretor Executivo da Adel, o seminário além de possibilitar a formação e interação dos produtores é uma atividade de grande fortalecimento para a caprinovinocultura. “Este é o segundo ano que estamos promovendo o seminário em parceria com o BNB e Prefeitura, e temos vistos esta ação fundamental para o crescimento da caprinovinocultura, já que muitos produtores estão aplicando em suas propriedades as técnicas de produção discutidas no seminário”, enfatiza ele.

Adel realiza Seminário na XI TEJUBODE

A
Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) em parceria com o Banco do
Nordeste e a Prefeitura Municipal de Tejuçuoca está realizando desde ontem
(28/06), o Seminário da Caprinovinocultura em Tejuçuoca. 
O
Seminário é umas das atividades da XI TEJUBODE, feira de ovinos e caprinos que tem
como objetivo promover a produção agropastoril e as expressões
artístico-culturais da região.
As
atividades do seminário seguem até sábado (30/06), reúne produtores das
comunidades de Tejuçuoca e de outros municípios vizinhos. Estes produtores
durante três dias participam de palestras, fóruns e dias de campo sobre a
produção e manejo sanitário de caprinos e ovinos. Além
da Adel, outras instituições participam do evento e colaboram com a realização
de palestras e oficinas. 
Para Wagner Gomes, Diretor Executivo da Adel, o
seminário além de possibilitar a formação e interação dos produtores é uma
atividade de grande fortalecimento para a caprinovinocultura. “Este é o
segundo ano que estamos promovendo o seminário em parceria com o BNB e
Prefeitura, e temos vistos esta ação fundamental para o crescimento da
caprinovinocultura, já que muitos produtores estão aplicando em suas propriedades
as técnicas de produção discutidas no seminário”, enfatiza ele.

Jovens do PEJR participam da 7ª Sequência do programa


Durante esta semana (18 a 22/06) os jovens que fazem parte do Programa Empreendedorismo do Jovem Rural (PEJR) desenvolvido pela Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) no Ceará, em parceria com o Instituto Souza Cruz estão no Centro de Formação, na comunidade de Cipó, Pentecoste, participando da 7ª Sequência de formação do programa.

Os principais estudos da semana são sobre as alternativas de comercialização de produtos e serviços, e as formas de organização que potencializam as oportunidades empreendedoras no meio rural. Entre as palestras e oficinas realizadas estão as de manejo do solo, horticultura e irrigação alternativa.

Além das atividades no Centro de Formação, os jovens irão visitar na quinta-feira (21/06), o Centro de Beneficiamento dos produtos da agricultura familiar e o projeto Mandala, ambos em General Sampaio. “As visitas a empreendimentos como estes acontecem em todas as sequências e são bastante significativas para os jovens, pois além de conhecer pessoas que estão empreendendo na região, eles veem na prática o que estudam durante a semana”, afirma a educadora Aurigele Alves.

Para Eveline Santos, participante do programa, estas atividades são fundamentais para elaboração de seus projetos ao final da formação. “As nossas viagens de estudo trazem experiências e muito conhecimento, fora que ajuda-nos a ter uma visão de gerenciamento de negócio”, enfatiza. 

Jovens do PEJR participam da 7ª Sequência do programa


Durante
esta semana (18 a 22/06) os jovens que fazem parte do Programa Empreendedorismo do Jovem Rural (PEJR) desenvolvido pela Agência de
Desenvolvimento Econômico Local (Adel) no Ceará, em parceria com o Instituto
Souza Cruz estão no Centro de Formação, na comunidade de Cipó, Pentecoste, participando
da 7ª Sequência de formação do programa.
Os
principais estudos da semana são sobre as alternativas de comercialização de
produtos e serviços, e as formas de organização que potencializam as
oportunidades empreendedoras no meio rural. Entre as palestras e oficinas
realizadas estão as de manejo do solo, horticultura e irrigação alternativa.
Além
das atividades no Centro de Formação, os jovens irão visitar na quinta-feira
(21/06), o Centro de Beneficiamento dos produtos da agricultura familiar e o projeto
Mandala, ambos em General Sampaio. “As visitas a empreendimentos como estes
acontecem em todas as sequências e são bastante significativas para os jovens,
pois além de conhecer pessoas que estão empreendendo na região, eles veem na
prática o que estudam durante a semana”, afirma a educadora Aurigele Alves.
Para
Eveline Santos, participante do programa, estas atividades são fundamentais
para elaboração de seus projetos ao final da formação. “As nossas viagens de
estudo trazem experiências e muito conhecimento, fora que ajuda-nos a ter uma
visão de gerenciamento de negócio”, enfatiza. 

Adel participa do debate da Rede Folha na Rio + 20

Ontem (18/06), Gláucio Gomes, Coordenador Institucional da Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel), participou do debate promovido pela Rede Folha de Empreendedores Socioambientais na Rio +20, durante o Fórum Amazônia Sustentável, no Teatro Maria Clara Machado.
O encontro dos empreendedores da Rede Folha teve como objetivo debater iniciativas para o desenvolvimento sustentável e o papel do empreendedorismo social em um novo modelo de economia que está começando a ser construído e compreendido. O evento contou com a participação de Thomas Stelzer, Coordenador de Políticas e de Agências de Negócios da ONU (Organização das Nações Unidas).
No encontro, Stelzer explicou sobre a importância dos eventos paralelos à conferência oficial e debateu sobre o papel do empreendedor social em uma conferência como a Rio + 20, enfatizando a necessidade dos empreendedores, da academia e das empresas discutirem estratégias de sustentabilidade para as próximas décadas. Ele ainda destacou que cada vez mais a ONU entende que o desenvolvimento sustentável não é um tema a ser trabalhado apenas por governos, mas também por atores da sociedade civil. Apenas na Rio +20, mais de 60 mil representantes de ONGs, empresas, fundações e das universidades estão envolvidos nos debates, além das delegações oficiais.
Thomas Stelzer comentou, ainda, que conheceu recentemente o conceito de empreendedorismo social e que hoje reconhece nesse novo movimento dos negócios inclusivos e das ações sustentáveis um caminho consistente e muito promissor para transformações sociais efetivas no futuro. Principalmente porque representa a formação de um novo modelo de empreendedor, social e ambientalmente responsável. “Se daqui a vinte anos, a maior parte dos empreendedores tiver esse espírito, não teremos nem mesmo a necessidade de uma conferência como esta”, disse Stelzer.
Os empreendedores da Rede Folha apresentaram alguns de seus principais desafios para pôr em prática iniciativas que já representam os esforços e as ideias que estão sendo agora discutidas globalmente na Rio +20. Destacaram a importância da persistência e da visão de longo prazo, da função do empreendedor social como agente capaz de levar as teorias para a prática, sentida o dia a dia pelas pessoas. E manifestaram o quanto precisam de apoio de toda a sociedade, principalmente de investidores sociais, empresas e governos, para que possam dar escala às suas ações. 
Para Gláucio Gomes, o evento foi uma excelente articulação da Rede Folha, que possibilitou o encontro com vários empreendedores, a discussão, revisão e consolidação de conceitos. “Não vão sair da Rio+20 muitos detalhes, como disse o próprio Stelzer,  e sim tendências e linhas gerais que vão orientar novos debates nos próximos anos”, afirma ele. “Mas é um importante momento para que empreendedores tenham contato com as tendências e as oportunidades que vão surgir nos próximos anos, para desenvolverem suas idéias e soluções”.

Adel participa do debate da Rede Folha na Rio + 20

Ontem
(18/06), Gláucio Gomes, Coordenador Institucional da Agência de Desenvolvimento
Econômico Local (Adel), participou do debate promovido pela Rede Folha de
Empreendedores Socioambientais na Rio +20, durante o Fórum Amazônia
Sustentável, no Teatro Maria Clara Machado.
O
encontro dos empreendedores da Rede Folha teve como objetivo debater
iniciativas para o desenvolvimento sustentável e o papel do empreendedorismo
social em um novo modelo de economia que está começando a ser construído e
compreendido. O evento contou com a participação de Thomas Stelzer, Coordenador
de Políticas e de Agências de Negócios da ONU (Organização das Nações Unidas).
No
encontro, Stelzer explicou sobre a importância dos eventos paralelos à
conferência oficial e debateu sobre o papel do empreendedor social em uma
conferência como a Rio + 20, enfatizando a necessidade dos empreendedores, da
academia e das empresas discutirem estratégias de sustentabilidade para as
próximas décadas. Ele ainda destacou que cada vez mais a ONU entende que o
desenvolvimento sustentável não é um tema a ser trabalhado apenas por governos,
mas também por atores da sociedade civil. Apenas na Rio +20, mais de 60 mil
representantes de ONGs, empresas, fundações e das universidades estão
envolvidos nos debates, além das delegações oficiais.
Thomas
Stelzer comentou, ainda, que conheceu recentemente o conceito de
empreendedorismo social e que hoje reconhece nesse novo movimento dos negócios
inclusivos e das ações sustentáveis um caminho consistente e muito promissor
para transformações sociais efetivas no futuro. Principalmente porque
representa a formação de um novo modelo de empreendedor, social e
ambientalmente responsável. “Se daqui a vinte anos, a maior parte dos
empreendedores tiver esse espírito, não teremos nem mesmo a necessidade de uma
conferência como esta”, disse Stelzer.
Os
empreendedores da Rede Folha apresentaram alguns de seus principais desafios
para pôr em prática iniciativas que já representam os esforços e as ideias que
estão sendo agora discutidas globalmente na Rio +20. Destacaram a importância
da persistência e da visão de longo prazo, da função do empreendedor social
como agente capaz de levar as teorias para a prática, sentida o dia a dia pelas
pessoas. E manifestaram o quanto precisam de apoio de toda a sociedade,
principalmente de investidores sociais, empresas e governos, para que possam
dar escala às suas ações. 
Para
Gláucio Gomes, o evento foi uma excelente articulação da Rede Folha, que
possibilitou o encontro com vários empreendedores, a discussão, revisão e
consolidação de conceitos. “Não vão sair da Rio+20 muitos detalhes, como disse
o próprio Stelzer,  e sim tendências e
linhas gerais que vão orientar novos debates nos próximos anos”, afirma ele.
“Mas é um importante momento para que empreendedores tenham contato com as
tendências e as oportunidades que vão surgir nos próximos anos, para
desenvolverem suas idéias e soluções”.

Reunião com jovens em Boa Vista

A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) realizou dia 14 de junho, um encontro com 24 jovens que participaram do curso Empreendedorismo Juvenil no Semiárido na comunidade de Boa Vista, Pentecoste.
Na ocasião, foi entregue os certificados dos jovens e socializado as experiências deles após a participação no curso. Alguns jovens esclareceram suas dúvidas sobre as possibilidades de desenvolverem empreendimentos rurais relacionadas à agregação de valor e à diversificação de atividade produtiva já existente.
Segundo Aurigele Alves, coordenadora do curso e educadora, o objetivo do encontro foi perceber como está a atuação dos jovens após o período de formação, visto que o curso era voltado para jovens de 16 a 29 anos e com o intuito de motivá-los para trabalhar o associativismo e o empreendedorismo em suas comunidades. 
Sérvulo Macedo, residente na comunidade de Providência, após participar do curso, decidiu implantar na sua comunidade e com recursos próprios uma Lan House, com quatro (04) computadores, que hoje atende a demanda da comunidade, que até então não tinha acesso à internet.
“Um passo importante para o desenvolvimento do meu projeto foi à minha participação no curso Empreendedorismo Juvenil no Semiárido, da Adel. Nesse curso percebi que poderia gerar uma renda extra, levando acesso à internet a comunidade de Providencia através de uma Lan House”, afirma o jovem.

Reunião com jovens em Boa Vista

A
Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) realizou dia 14 de junho, um
encontro com 24 jovens que participaram do curso Empreendedorismo Juvenil no
Semiárido na comunidade de Boa Vista, Pentecoste.
Na
ocasião, foi entregue os certificados dos jovens e socializado as experiências
deles após a participação no curso. Alguns jovens esclareceram suas dúvidas
sobre as possibilidades de desenvolverem empreendimentos rurais relacionadas à
agregação de valor e à diversificação de atividade produtiva já existente.
Segundo
Aurigele Alves, coordenadora do curso e educadora, o objetivo do encontro foi
perceber como está a atuação dos jovens após o período de formação, visto que o
curso era voltado para jovens de 16 a 29 anos e com o intuito de motivá-los
para trabalhar o associativismo e o empreendedorismo em suas comunidades. 
Sérvulo
Macedo, residente na comunidade de Providência, após participar do curso, decidiu
implantar na sua comunidade e com recursos próprios uma Lan House, com quatro
(04) computadores, que hoje atende a demanda da comunidade, que até então não
tinha acesso à internet.
“Um
passo importante para o desenvolvimento do meu projeto foi à minha participação
no curso Empreendedorismo Juvenil no Semiárido, da Adel. Nesse curso percebi
que poderia gerar uma renda extra, levando acesso à internet a comunidade de
Providencia através de uma Lan House”, afirma o jovem.