Projeto em parceria com a Fundação Banco do Brasil em Sobral realiza mais uma Assembleia com moradores

2ª Assembleia realizada na Quadra I do Orgulho Tropical I

No dia 27 de julho ocorreu em Sobral a 2ª Assembleia do Projeto Moradia Urbana com Tecnologia Social com o objetivo de legitimar as novas Tecnologias Sociais (TS) escolhida pelos moradores para serem implantadas nos empreendimentos Orgulho Tropical I e II. A Assembleia Geral contou com mais de 600 moradores e foi realizada pela Adel em parceria com a Cáritas Diocesana de Crateús, instituição local responsável pelo empreendimento Orgulho Tropical I.

Durante os dias que antecederam a Assembleia, as equipes do Projeto estiveram no local mobilizando os moradores para o evento e distribuindo informativos produzidos pela Adel com os dados do autorrecenseamento realizado no Orgulho Tropical II. Durante as visitas os responsáveis também consultaram os moradores a respeito de qual tecnologia eles queriam que fosse implementada e se gostariam de ajudar na execução.

As TS escolhidas foram Joias Sustentáveis no Orgulho Tropical I e Biblioteca Comunitária no Orgulho Tropical II. A programação da Assembleia contou com a apresentação dos resultados do autorrecenseamento, divulgação e apresentação de vídeos das duas TS escolhidas e apresentação de um vídeo sobre educação financeira.

Ao final do evento ocorreu um sorteio de brindes e os moradores saíram bastante satisfeitos. Uma das moradoras do Orgulho Tropical II afirmou que torceu pela Biblioteca Comunitária e ficou muito feliz com o resultado, pois acredita que o projeto será de grande importância para as crianças e jovens do Residencial, incentivando a leitura e o conhecimento.

 

As TS escolhidas pelos moradores

A TS Biblioteca Comunitária será acompanhada pela Adel juntamente com a instituição Vagalume. Já a TS Joias Sustentáveis será acompanhada pela Caritas de Crateús com a Redecriar. São colares, chaveiros, marcadores de páginas, porta-guardanapos, criados a partir da separação e reaproveitamento de lixo seco, contando com o envolvimento da comunidade para geração de trabalho e renda.

A TS Biblioteca Comunitária, a ser implantada pela Adel, busca promover o acesso ao livro e à leitura na comunidade, ampliando as possibilidades das crianças se desenvolverem a partir das relações construídas no espaço em que vive. Através da leitura, escrita e oralidade, acredita-se que a criança pode transcender sua realidade e crie novos olhares.

A implantação da TS Biblioteca Comunitária envolve três ações interligadas: a doação da estrutura das bibliotecas (livros, estantes e esteiras); a formação de mediadores de leitura (voluntários capacitados para promover o livro e a leitura); e o incentivo à gestão comunitária da biblioteca (definição coletiva das regras de manutenção e funcionamento, por exemplo, onde ficará localizada, horário de atendimento ao público, como será o empréstimo dos livros, entre outras).

Para Wagner Gomes, Diretor de Negócios da Adel, a nova etapa do Projeto agrega à ocupação do espaço urbano a consciência do estar e pertencer ao local. “É um estímulo ao uso do espaço público e ao fortalecimento das relações entre as famílias do Nova Caiçara (Orgulho Tropical II), instigando os princípios de associativismo, participação comunitária e empoderamento da comunidade”.

Equipe responsável pelo Projeto

Sobre o Projeto

O Projeto Moradia Urbana com Tecnologia Social é uma iniciativa da Fundação Banco do Brasil que busca promover o desenvolvimento social nos empreendimentos habitacionais no âmbito do Programa Nacional de Habitação Urbana – PNHU, promovido pelo Banco do Brasil. Em Sobral, a Adel é parceira na execução do Projeto, juntamente com a Rede Interação, Cáritas de Crateús e Prefeitura Municipal de Sobral.

As ações da Adel no local iniciaram em fevereiro de 2017. Nos meses de março a maio foi realizado um autorrecenseamento com os moradores do empreendimento Orgulho Tropical II. Trata-se de um censo realizado com a colaboração dos próprios moradores e tem como objetivo levantar dados e informações sobre o perfil da comunidade e percepções dos moradores sobre o local onde vivem.

O autorrecenseamento do Orgulho Tropical II contou com a setorização do empreendimento para atingir as 832 famílias beneficiadas. Dezesseis (16) moradores voluntários realizaram visitas de aplicação do formulário. A pesquisa foi aplicada em 92,19% das moradias. Foram feitas 601 entrevistas, cerca de 72% dos apartamentos. O empreendimento Orgulho Tropical II é composto, em sua maioria, por crianças (34,09%), o que justifica a alegria de algumas mães na escolha da TS Biblioteca Comunitária.

Para acessar mais dados do autorrecenseamento, leia o Informativo Orgulho Tropical II: https://issuu.com/adelceara/docs/informativo_-_digital

 

Matéria “Jovens Empreendedores Rurais” recebeu prêmio nacional de jornalismo

Maristela Crispim recebeu o prêmio das mãos da assessora de imprensa do Banco do Nordeste, Ana Cesaltina. Foto: Thiago Gadelha. Fonte: Diário do Nordeste.

A matéria “Jovens Empreendedores Rurais”, da jornalista Maristela Crispim, veiculada no jornal Diário do Nordeste em julho de 2016, foi premiada na Categoria Nacional Texto do Prêmio Banco do Nordeste de Jornalismo em Desenvolvimento Regional.

A equipe esteve em Pentecoste e com muita sensibilidade, contou um pouco da história da Adel e de alguns jovens empreendedores rurais beneficiados por nossos Projetos. As fotos foram feitas por Eduardo Queiroz.

O Prêmio foi compartilhado com outra matéria, também de Maristela em parceria com Fernando Maia: “Conviver e Preservar / Conviver e Produzir” que tratava de Tecnologias Sociais que favorecem a convivência de pequenos produtores com o semiárido.

Ana Maria, Jovem Empreendedora Rural da Comunidade Livramento, São Gonçalo do Amarante – CE. Foto: Eduardo Queiroz

Maristela está de parabéns por seu olhar sensível e compreensivo diante a realidade dos jovens empreendedores entrevistados, por divulgar e destacar a relevância do que fazemos e por enaltecer o nosso trabalho. Sua capacidade para entender o contexto em que atuamos foi fantástica. Será uma reportagem mostrada sempre com orgulho.

Sem dúvida seguimos a missão de promover o desenvolvimento local de comunidades rurais através do empreendedorismo e protagonismo de jovens e agricultores.

A matéria premiada está disponível em: https://goo.gl/5ZLQnR/

Adel assessora os jovens empreendedores rurais do Fundo Veredas

Coordenadora de Projetos, Raquel Ferreira, coletando dados do jovem empreendedor João Victor

Nas últimas duas semanas a equipe da Adel visitou os jovens empreendedores rurais que acessaram recursos financeiros do Fundo Veredas com o intuito de acompanhar a aplicação do crédito e assessorar os jovens na gestão dos seus empreendimentos.

No total, 32 jovens foram visitados. Destes, doze (12) acessaram crédito pela primeira vez e o restante já são o segundo e/ou o quarto acesso. A assessoria técnica e gerencial continuada – desde a elaboração do projeto de negócio até o alcance de metas de desempenho e de sustentabilidade dos empreendimentos fazem parte da estratégia do Fundo Veredas e são fundamentais para a consolidação dos projetos.

Durante as visitas de assessoria, a equipe da Adel busca perceber os impactos positivos que o empreendimento traz para a vida do jovem e da comunidade e faz um levantamento geral de dados dos beneficiados, a fim de registrar os desafios que os jovens enfrentam e elaborar soluções criativas e inovadoras para apoiar o desenvolvimento dos negócios.

Liliane Ingrid respondendo questionário de acompanhamento

Liliane Ingrid, 20, Tabuleiro, Apuiarés, acessou o Fundo Veredas este semestre, criou uma loja de roupas na comunidade e já trabalha com o segundo lote de vendas graças ao crédito do Fundo Veredas. Atualmente, a loja já possui aproximadamente 50 clientes cadastrados.

Para a jovem, fazer parte do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) é uma oportunidade que vai além de adquirir conhecimentos. “O PJER também ajuda a se preparar para o mundo. Foi e está sendo de grande importância ter feito o curso de empreendedorismo por meio do PJER. Além disso, por meio do Fundo Veredas, estou realizando mais um objetivo de vida”.

Indiretamente, a família dos jovens e a comunidade também são beneficiados com o Programa. Nas visitas, os pais sempre demonstram apoio e entusiasmo com a trajetória de vida dos filhos. O jovem empreendedor Victor de Souza, 20, mora na comunidade Fazenda Timbaúba em São Luís do Curu, e decidiu empreender no setor de panificação.

João Victor no seu empreendimento

Victor criou a panificadora VitPan na comunidade e uma das estratégias de venda e interação com o público é a realização de cafés da manhã coletivos, realizados uma vez ao mês. Depois que implantou o empreendimento ele já realizou a ação duas vezes.

Na semana do evento ele faz uma divulgação com panfletos do empreendimento e convida todos da comunidade. O café começa as sete e vai até as dez horas. Além dos produtos da própria panificadora, são disponibilizados café, sucos e frutas. A atividade é uma forma de acolhimento e fidelização dos clientes. O café tornou-se um ponto de encontro das famílias da comunidade.

Projeto Curu Valley proporciona o acesso as tecnologias no Sertão

Jovens reunidos ao final do segundo encontro

O Projeto Curu Valley, uma iniciativa apoiada pela BrazilFoundation e amadrinhada pela Adel, tem reunido jovens com interesse em desenvolver projetos de Tecnologia da Informação (TI) no território.

O objetivo do projeto é colaborar para a construção de uma cultura de TI no Vale do Curu, por meio da democratização do conhecimento e do incentivo ao acesso à informação por parte dos jovens rurais. No total, cerca de vinte (20) jovens participam do projeto.

Idealizado pelo jovem Gabriel Levy, 22, o projeto conta hoje com o apoio de Rafael Marques, 27, apaixonado por tecnologia e empreendedor na World Of Hackers. Gabriel e Rafael participam do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) promovido pela Adel e compartilham juntos o sonho de levar informação e tecnologias para as comunidades rurais do sertão do nordeste brasileiro.

Eles começaram a “desbravar” o sertão pelos municípios de Apuiarés e Pentecoste. Mesmo morando em Pentecoste e participando do PJER, a experiência de irem visitar os Centros Integrados de Tecnologia (CITs) pela primeira vez para apresentar o projeto as lideranças dos CITs trouxe ainda mais motivação para a dupla.

Gabriel Levy explicando conceitos de TI

Segundo Gabriel, compartilhar os conteúdos, conhecimentos e acessos que ele tem com outros jovens é algo que lhe motiva e lhe faz acreditar que é possível aprender o que quiser, basta ter acesso a informação, conhecimento e ter as orientações adequadas de como seguir com o estudo.

“O autodidatismo é possível para todas as pessoas, bastar ter vontade e centrar força no ato de aprender. Essa comunidade de jovens que compartilha conhecimento na área de TI estar apenas começando, por que nossa ideia é contagiar muitos outros jovens a aprender a aprender e a possibilitar que outros jovens aprendam também”, enfatiza Gabriel.

Início das atividades

Nos dias 16 e 17 de junho eles visitaram três (3) comunidades rurais – Lagoa das Pedras, Vila Soares e Sítio do Meio, as duas primeiras em Apuiarés e a última em Pentecoste, para apresentar o projeto nos CITs e convidar jovens para a primeira oficina. Ainda nesta visita, eles realizaram um levantamento do estado dos equipamentos, no que tange ao funcionamento e uso. A partir desse mapeamento será apresentado um relatório a Adel para uma parceria que apresente estratégias de revitalização e sustentabilidade dos Centros.

Rafael Marques ministrando oficina sobre PC’s

Nos sábados seguintes, dias 24 de junho e 01 de julho, ocorreram dois encontros do projeto. O primeiro encontro foi formativo com os jovens rurais dos CITs implementados pela Adel. Rafael Marques ministrou uma oficina de Manutenção de PC’s, abordando os principais problemas e como solucioná-los, com a intenção de estimular os jovens rurais a exercer o seu protagonismo e preservar os equipamentos de seus espaços.

O segundo encontro foi de compartilhamento e troca de experiência em TI no Vale do Curu, e reuniu além dos jovens rurais dos CITs, jovens de Pentecoste que estudam ou já realizam algum trabalho na área de TI, a exemplo os jovens do coletivo WebNotícias.

“Hoje eu vejo que é mais fácil do que podemos imaginar aprender coisas novas e que pareciam tão impossíveis, difíceis e complicadas. Gabriel e Rafael nos apresentaram um universo de informações que podemos ter acesso com apenas um click. Estou muito feliz de fazer parte dessa comunidade e de poder difundir esse conhecimento com outros jovens do CIT de Vila Soares.” afirma a jovem Emanuele.

Os próximos passos do projeto é realizar mutirões de revitalização dos CITs, compartilhamento de uma biblioteca virtual com assuntos diversos que promovam o autodidatismo; e, reuniões da equipe do Projeto.