Jovem beneficiado pela Adel participa da CowParade

Filho Luz, idealizador do Projeto “Acorda – CowParade 2018

O jovem Filho Luz, 23, natural de Canafístula, comunidade rural do município de Apuiarés é um dos artistas participantes da 12ª edição da CowParade, um dos maiores eventos de arte a céu aberto do mundo, cujo objetivo é democratizar a arte através da inclusão cultural. Artistas selecionados usam como suporte uma escultura de vaca feita em fibra de vidro e em tamanho natural. Elas são expostas em vias públicas, permitindo livre apreciação.

Filho participou de uma seleção com mais de 300 artistas e foi um dos 50 selecionados com o projeto “A Corda” que fala do amanhecer do sertão, brincando com o nome “corda”, uma vez que inicialmente a ideia era usar apenas este material na customização da escultura.

Todos os selecionados dividiram o espaço de trabalho e realizaram suas produções durante duas semanas no shopping Iguatemi. Para confeccionar a Acorda, foram usadas pouco mais de 400m de cordas de sisal. “Eu podia ter comprado as cordas em Fortaleza, uma corda de sisal industrial, mais macia, mais fácil de trabalhar. Porém optei pelas cordas do interior, do comércio local, uma corda mais seca, dura, áspera, mas que representa melhor meu conceito”, destaca o artista.

Ele ainda ressalta que percebeu na escultura muito mais que uma tela, lembrando da expressão utilizada no interior “do boi se aproveita até o berro”. Acorda representa um ser místico, por isso os detalhes em dourado, que sustentam o sertão, visto muitas vezes como frágil, seco, quente, mas que se mantém firme e forte, unido como as fibras do sisal.

Segundo Filho, “Acorda” fala do amanhecer do sertão, da paisagem árida, da vegetação, da simplicidade do meio. “O desenho feito em corda de sisal retrata a textura áspera da seca em contraste com a beleza proporcionada, a união dos indivíduos e a força do sertanejo. Os detalhes dourados dão um tom de divindade, um ser místico, que sustenta o mundo. E o chocalho é a anunciação, símbolo de boas novas, avisando que a vaca está passando e é hora de acordar”.

“Acorda”, escultura desenvolvida por Filho Luz

Filho conta como é difícil ser “artista” no interior e ainda não se vê como um. O jovem revela que sempre gostou de arte e cultura, mas acredita que ainda existe uma barreira muito forte para quem é da zona rural. “Participar da Cowparade foi muito interessante. Está no meio de uma galera que já é reconhecida como artista, foi desafiador. No início, quando comecei a colocar as primeiras cordas, acho que ninguém acreditou que iria sair algo interessante, mas saiu!”

Em 2011, o jovem participou do Programa Sertão das Artes, realizado pela Escola Popular Cooperativa de Canafístula, onde conheceu mais sobre desenho, serigrafia e fotografia. Em 2012 ingressou no Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) desenvolvido pela Adel, com o intuito de trabalhar com arte/design. “Desenvolvi um projeto com serigrafia, mas não estava maduro o suficiente para sair do papel. No final do curso iniciei faculdade de Sistemas e Mídias Digitais na Universidade Federal do Ceará (UFC), me distanciando um pouco de casa” comenta.

Hoje Filho viaja por diversas formas de arte, é designer digital, ilustrador, artesão, já desenvolveu projetos com madeira, argila, corda e hoje está se aventurando no bordado à mão. Junto com um amigo, está construindo um novo projeto de empreendedorismo, uma espécie de agência com dois segmentos: comunicação e cultura. Com foco no meio junino, a ideia é impulsionar e fortalecer os grupos culturais, elaborar projetos que envolve a temática cultural e trabalhar com mídias digitais.

O evento

Estima-se que mais de 500 milhões de pessoas já se depararam com pelo menos uma das obras das 97 edições da CowParade, registradas em 33 países. Pintores, escultores, artesãos, arquitetos, designers, grafiteiros, artistas plásticos, amadores ou profissionais apaixonados por arte e interessados em expressar seu talento e criatividade fazem parte desse projeto. Ao redor do mundo, mais de 10.000 artistas já participaram da CowParade.

Ao final de cada edição, as esculturas são leiloadas e a renda é revertida como doação para instituições beneficentes. Dessa forma, as vacas cumprem múltiplas funções: valorizam o entorno, expandem o acesso à arte, promovem novos artistas, e sensibilizam as pessoas para causas sociais. As vaquinhas estarão disponíveis para visitação até 16/12 no shopping Iguatemi, em Fortaleza.

Saiba mais: https://cowparade.com.br/

Seminário encerra projeto com Escolas Públicas do Ceará

Abertura do Seminário

O Seminário de Empreendedorismo e Protagonismo Social nas Escolas, cuja temática foi a atuação de adolescentes e jovens na promoção do Desenvolvimento Local, realizado ontem (06/12), na EEEP Alan Pinho Tabosa, em Pentecoste/CE, encerrou as atividades de formação do projeto Jovens Empreendedores e Protagonistas Rurais nas Escolas desenvolvido pela Adel no âmbito do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER).

Doze (12) microprojetos elaborados por grupos de estudantes das quatro escolas atendidas: EEM São Sebastião em Apuiarés; EEM Waldemar Alcântara em São Gonçalo do Amarante; EEM Etelvina Gomes Bezerra em Pentecoste; e, EEFM Edite Alcântara Mota em General Sampaio, foram apresentados no Seminário. Oito (8) deles, foram expostos em banners e os quatro (4) mais votados, um de cada escola, fizeram uma apresentação oral.

Os microprojetos incluem a realização de eventos culturais, melhorias na qualidade da merenda escolar, bullying na escola, educação ambiental, inclusão do público LGBTQ+ em sala de aula, combate às drogas e empatia no convívio escolar. Estudantes da  EEM Waldemar Alcântara em São Gonçalo do Amarante elaboraram o projeto “Inclusão do Público LGBTQ+ na Escola”.

Exposição dos microprojetos

“O nosso projeto busca acima de tudo a aceitação das pessoas como elas são, seja na orientação sexual, de gênero, religião, raça. Queremos realizar palestras que ressaltam o respeito dentro da própria sala de aula, pois acredito que o que aprendemos na sala levamos para a vida”, ressalta o jovem Luiz Felipe Ferreira.

Além da exposição dos microprojetos dos jovens, a Adel apresentou os resultados alcançados ao longo do ano e as atividades que possibilitaram a introdução, em quatro escolas de Ensino Médio, de tópicos que evidenciam aos jovens estudantes as oportunidades e as alternativas existentes para permanência no meio rural com qualidade de vida. As oficinas do projeto abordaram os temas convivência sustentável com o semiárido, desenvolvimento local e empreendedorismo rural, enquanto temas transversais, numa perspectiva de educação contextualizada.

Para Luiz Breno Pereira, estudante da EEM São Sebastião de Apuiarés, o projeto permitiu um conhecimento multidisciplinar. “Eu achei o projeto riquíssimo, pois trabalhou vários temas. Como tiveram várias oficinas, abriu um amplo conhecimento pra mim. Eu vi que a Adel estava muito bem preparada pra fazer o que ela propôs quando foi falar com o Diretor e fez parceria com o colégio, eu realmente gostei bastante dessa experiência” destaca.

Prof.a Dalvani Castro, EEFM Edite Alcântara Mota; Tony Elvys, Diretor da EEM São Sebastião; Prof. Caniggia Carneiro, Assessor da CODEA Gestão Pedagógica/SEDUC; e, Adriano Batista, Diretor Executivo da Adel entregam certificados aos representantes das equipes dos microprojetos (Da esquerda para direita)

Participaram da culminância do projeto estudantes, professores, gestores das escolas beneficiadas, integrantes da equipe da Adel e parceiros da instituição. Ambos celebraram os resultados alcançados e compartilharam o desejo de dar continuidade ao projeto.

A mesa de abertura do evento foi composta pelo Diretor Executivo da Adel, Adriano Batista; Prof. Caniggia Carneiro, Assessor da CODEA Gestão Pedagógica, representante da Secretaria de Educação do Estado do Ceará (SEDUC); Inês Mapurunga, representante da Coordenação do projeto São José III desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA); Aymê Sales, Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Pentecoste; Rina Braga, Coordenadora do CRAS Rural de Pentecoste; Elton Luz, Diretor da EEEP Alan Pinho Tabosa; Tony Elvys, Diretor da EEM São Sebastião; Roberto Lima, Diretor da EEM Etelvina Gomes Bezerra; o Secretário Anísio Soares e a Prof.a Dalvani Castro, ambos representando os Diretores das respectivas escolas parceiras EEM Waldemar Alcântara e EEFM Edite Alcântara Mota .

Expansão

O Prof. Caniggia Carneiro, representante da SEDUC, expressou no evento que o objetivo da Secretaria de Educação é expandir o projeto para outras escolas. “A Secretaria está muito feliz pelo convite e parceria, nós percebemos que o trabalho feito nas escolas com os alunos, com os professores, com o apoio da gestão, está surtindo um ótimo efeito e a gente deseja mais e mais projetos como este, mais oficinas e parcerias com a Adel, para que a gente possa levantar essa bandeira do empreendedorismo social e do protagonismo juvenil para mais locais e mais pessoas”.

Adriano Batista, Diretor Executivo da Adel, além de destacar a importância dos parceiros para criar uma Rede de Proteção Social para os jovens, divulgou em primeira mão o novo projeto que será realizado no início de 2019, aprovado junto ao CMDCA de São Gonçalo do Amarante que atenderá jovens na região do Pecém. “O que a gente tem interesse de construir aqui na região é exatamente isso, um grupo de parceiros que possa criar uma rede de proteção para que os jovens possam colocar na prática todo o potencial que têm dentro de si. E isso só é possível quando esse jovem encontra apoio”, destaca.

Participantes do Seminário de Empreendedorismo e Protagonismo Social nas Escolas

O Seminário encerrou as atividades de formação do projeto e apresentou para a comunidade os jovens estudantes empreendedores e protagonistas beneficiados. A expectativa é que novos jovens sejam formados e os microprojetos desenvolvidos pelos jovens nas escolas possam inspirar toda a comunidade escolar para promoção de novos projetos. Por meio das cartilhas que estão sendo elaboradas, a Adel planeja junto com os parceiros multiplicar esta ação no Nordeste.

Nas próximas semanas, haverá uma rodada de reunião nas escolas para avaliação das atividades realizadas ao longo do ano, a entrega dos certificados dos demais estudantes e ainda a viagem de intercâmbio dos microprojetos vencedores.

O projeto Jovens Empreendedores e Protagonistas Rurais nas Escolas beneficiou 400 adolescentes e jovens, na faixa etária entre 15 e 17 anos de idade, de quatro escolas da rede estadual de ensino. É realizado pela Adel em parceria com a UNESCO e a Rede Globo, por meio do Criança Esperança, e com o Conselho de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ceará (CEDCA/CE). Conta com o apoio da Secretaria da Educação do Estado do Ceará (SEDUC-CE).