Adel e Casa do Rio realizam segunda etapa formativa do PJER no Amazonas

A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) e a Casa do Rio, realizam nos dias 1, 2 e 3 de outubro a segunda etapa formativa do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) no Amazonas. Vinte e seis (26) jovens amazonenses participam do Programa e iniciaram no último mês o Curso de Empreendedorismo e Protagonismo Social.

O primeiro módulo do Curso abordou temas básicos, tais como empreendedorismo e desenvolvimento local, que são avaliados pela Adel como essenciais a todos os jovens selecionados pelo PJER, independentemente de sua origem, condição atual ou interesse. Todos eles participam juntos das mesmas oficinas, interagindo entre si. Essa semana inicial permite que eles deem os primeiros passos na elaboração e amadurecimento de suas ideias de empreendimento, tendo em vista a realidade local, suas competências e vocações.

Já neste novo ciclo, os jovens vão recapitular os conhecimentos aprendidos e começam a trabalhar temas mais específicos de acordo com suas realidades. Dentre os conhecimentos adquiridos, eles passam a ter noção de como elaborar um planejamento estratégico e analisar o mercado onde desejam atuar. Focando sempre na elaboração de seus Projetos de Negócios, eles contam com o auxílio de tutorias e mentorias durante o processo.

Para Fábia Oliveira, Assistente de Projetos da Adel que esteve no Amazonas durante a primeira semana formativa, o momento foi rico em conhecimento e aprendizagem. A replicação do PJER no Amazonas tem sido uma oportunidade gratificante para aquela região. “Os jovens estão tendo acesso a uma tecnologia social inovadora, estão sendo incentivados e passam a enxergar novas oportunidades que o território deles possui e assim podem desenvolver suas comunidades, gerando renda e autonomia”, relata Fábia.

Durante os encontros os jovens trocam experiências entre si, o que contribui para o surgimento de novas ideias e parcerias. A turma formada por jovens amazonenses pretende atuar principalmente na oferta de serviços, nos seguimentos de ornamentação e decoração, hotelaria, turismo e beleza. Outros pretendem investir no ramo da alimentação, como, por exemplo, um café regional, um mercadinho e uma marmitaria. Há ainda os que pensam em investir na área agrícola, em canteiros agroflorestais, consultoria agrícola e horticultura.

O jovem Diego Santos acredita que o Programa vai ajudá-lo na implantação de seu projeto. “Minha expectativa é que o curso possa me orientar a como investir o meu capital e como continuar ajudando outros empreendedores. Sabemos que não é fácil ser empreendedor quando não temos experiências e o curso nos dará o fortalecimento, a experiência para montar nosso próprio negócio”, destaca Diego.

Sobre o Projeto

O PJER é uma tecnologia social criada em 2009 pela Adel que cria oportunidades para jovens empreenderem em suas próprias comunidades. O Programa já beneficiou no Ceará mais de 3.000 jovens e consolida seu processo de expansão este ano. Além do Amazonas, neste segundo semestre a Adel realiza a formação empreendedora do PJER no Ceará e no Rio Grande do Norte.

O Programa é composto por quatro (4) componentes: acesso a conhecimento, crédito orientado, a redes de apoio e proteção e a tecnologias. Sua reaplicação no Amazonas resulta da parceria firmada entre Adel e Casa do Rio ao final de 2018.

Adel e Casa do Rio realizam segunda etapa formativa do PJER no Amazonas

A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) e a Casa do Rio, realizam nos dias 1, 2 e 3 de outubro a segunda etapa formativa do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) no Amazonas. Vinte e seis (26) jovens amazonenses participam do Programa e iniciaram no último mês o Curso de Empreendedorismo e Protagonismo Social.

O primeiro módulo do Curso abordou temas básicos, tais como empreendedorismo e desenvolvimento local, que são avaliados pela Adel como essenciais a todos os jovens selecionados pelo PJER, independentemente de sua origem, condição atual ou interesse. Todos eles participam juntos das mesmas oficinas, interagindo entre si. Essa semana inicial permite que eles deem os primeiros passos na elaboração e amadurecimento de suas ideias de empreendimento, tendo em vista a realidade local, suas competências e vocações.

Já neste novo ciclo, os jovens vão recapitular os conhecimentos aprendidos e começam a trabalhar temas mais específicos de acordo com suas realidades. Dentre os conhecimentos adquiridos, eles passam a ter noção de como elaborar um planejamento estratégico e analisar o mercado onde desejam atuar. Focando sempre na elaboração de seus Projetos de Negócios, eles contam com o auxílio de tutorias e mentorias durante o processo.

Para Fábia Oliveira, Assistente de Projetos da Adel que esteve no Amazonas durante a primeira semana formativa, o momento foi rico em conhecimento e aprendizagem. A replicação do PJER no Amazonas tem sido uma oportunidade gratificante para aquela região. “Os jovens estão tendo acesso a uma tecnologia social inovadora, estão sendo incentivados e passam a enxergar novas oportunidades que o território deles possui e assim podem desenvolver suas comunidades, gerando renda e autonomia”, relata Fábia.

Durante os encontros os jovens trocam experiências entre si, o que contribui para o surgimento de novas ideias e parcerias. A turma formada por jovens amazonenses pretende atuar principalmente na oferta de serviços, nos seguimentos de ornamentação e decoração, hotelaria, turismo e beleza. Outros pretendem investir no ramo da alimentação, como, por exemplo, um café regional, um mercadinho e uma marmitaria. Há ainda os que pensam em investir na área agrícola, em canteiros agroflorestais, consultoria agrícola e horticultura.

O jovem Diego Santos, fala sobre o que espera ao participar do Programa. Ele pretende atuar em um empreendimento familiar, implantar uma pousada e restaurante. “Minha expectativa é que o curso possa me orientar a como investir o meu capital, a como manter minha empresa e como continuar ajudando outros empreendedores. Pois sabemos que não é fácil ser empreendedor quando não temos experiências e o curso nos dará o fortalecimento, a experiência para montar seu próprio negócio”, destaca Diego.

Sobre o Projeto

O PJER é uma tecnologia social criada em 2009 pela Adel que cria oportunidades para jovens empreenderem em suas próprias comunidades. O Programa já beneficiou no Ceará mais de 3.000 jovens e consolida seu processo de expansão este ano. Além do Amazonas, neste segundo semestre a Adel realiza a formação empreendedora do PJER no Ceará e no Rio Grande do Norte.

O Programa é composto por quatro (4) componentes: acesso a conhecimento, crédito orientado, a redes de apoio e proteção e a tecnologias. Sua reaplicação no Amazonas resulta da parceria firmada entre Adel e Casa do Rio ao final de 2018.

Adel e EDP Renováveis realizam evento em RN

A EDP Renováveis e a Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) realizaram ontem, 26, o evento de encerramento da segunda fase do Programa EDP Renováveis Rural. O Programa foi implementado no Rio Grande do Norte com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Instituto EDP.

O evento iniciou com a apresentação cultural do grupo Os TrakiNos do município de São Gonçalo do Amarante/RN, que busca fortalecer e preservar as diversas expressões populares do povo potiguar. Eles apresentaram o espetáculo “Vidas Secas”, cujo tema foi “A luta pela sobrevivência diante do flagelo da estiagem”, inspirado no romance do escritor brasileiro Graciliano Ramos. O espetáculo retrata a vida das pessoas que vivem no sertão brasileiro e os desafios para sobreviver e conviver com a realidade semiárida.

Além das agricultoras e agricultores beneficiados ao longo dessa fase do Programa, o evento contou com a presença de Filipe Domingues, Vice-Presidente da EDP Renováveis Brasil; Emiliana Fonseca, Especialista em Meio Ambiente da EDP Renováveis; Paulo Ramicelli do Instituto EDP; Marco Alves, Head de Desenvolvimento de Projetos da EDP Renováveis; Temóclito Fernandes, Gerente de Projetos da EDP Renováveis, José Dias, Coordenador de Projetos da Integratio; Wagner Gomes, Adriano Batista e Aurigele Alves, Diretor de Negócios, Diretor Executivo e Diretora de Programas da Adel, respectivamente; e, os membros da equipe da Adel Elionardo Oliveira, Assistente de Comunicação; Pollyana Quemel e Paulo Segundo, Especialistas de Projeto; Ilys Santos, Coordenador de Projetos.

“Nós procuramos diariamente potencializar os benefícios da nossa atividade nas comunidades onde estamos presentes e no caso particular do sertão do nordeste brasileiro, nós para além do propósito de geração de energia renovável, temos uma preocupação de dinamizar, em termos sociais e econômicos, as comunidades do entorno dos nossos parques eólicos”, reforça Filipe Domingues.

Para Adriano Batista, executar o Programa EDP Renováveis Rural foi uma grande satisfação. “A parceria com a EDP Renováveis dialoga com a nossa missão institucional e é também uma oportunidade de consolidar nossas ações no estado do Rio Grande do Norte, com a difusão de tecnologias socioambientais, contribuindo para o desenvolvimento local do território”, destaca.

Jardiel Soares, agricultor e filho dos agricultores Maria das Neves Soares e Antônio Vital, relata como o auxílio do Programa possibilitou o acesso à água na área produtiva. Eles foram beneficiados com uma cisterna do tipo “Telhadão”, com capacidade para armazenar até 56 mil litros de água.

“Aqui era muito carente de água, a gente tinha que trazer de uma comunidade distante 8 km. Meu pai é meu professor, eu posso dizer que eu faço uma coisa que eu gosto, se a pessoa tiver condições de permanecer no lugar que a pessoa vive, com certeza é bem melhor né”, reforça Jardiel. Ao todo, a segunda fase do Programa EDP Renováveis Rural beneficiou 40 famílias que agora seguirão gerenciando seus empreendimentos e contribuindo para o desenvolvimento econômico e social de suas comunidades.

Sobre o Programa EDP Renováveis Rural

O Programa EDP Renováveis Rural almeja o desenvolvimento de territórios rurais, a partir da ampliação das capacidades de pequenos produtores, famí­lias em situação de vulnerabilidade socioeconômica e comunidades rurais. A iniciativa da EDP Renováveis busca fortalecer a atuação dos agricultores que vivem no entorno dos complexos eólicos da empresa.

A primeira fase, iniciada em 2016, foi desenvolvida com base no Complexo Eólico Baixa do Feijão, localizado nos municípios de Jandaíra e Parazinho. Em 2018, o Programa EDP Renováveis Rural ampliou suas ações no território Potiguar. Em parceria com a Adel, o Programa começou a ser implementado em quatro comunidades rurais nos municípios de Tou­ros e Jandaíra. Tubiba, Lagoa de Serra Verde, Zabelê e Cabeço estão localizadas no entorno dos Complexos Eólicos JAU e Aventura 1.

O EDP Renováveis Rural possibilitou aos beneficiários o acesso ao conhecimento, por meio de oficinas e à diversas tecnologias socioambientais. As tecnologias implementadas foram: Unidade de Produção de Galinha Caipira; Cisterna “Telhadão”; Unidade de Produção Agroecológica de Mel (apis); Unidade de Produção Agroecológica; e, Unidade de produção agroecológica de mel de abelha Jandaíra. A escolha da tecnologia implantada foi definida pelo agricultor a partir das suas habilidades e de oportunidades existentes na propriedade.

Evento encerra segunda fase do Programa EDP Renováveis Rural

Iniciativa beneficiou quarenta (40) agricultores familiares de quatro comunidades rurais no Rio Grande do Norte

Mais uma fase do Programa EDP Renováveis Rural será concluída amanhã, 26 de setembro, no Rio Grande do Norte. Quarenta (40) agricultores familiares dos municípios de Touros e Jandaíra, receberão certificados de participação das ações do Programa realizado no último ano pela EDP Renováveis.

O Programa EDP Renováveis Rural tem como objetivo gerar trabalho e renda para moradores de propriedades do entorno das Centrais Eólicas da EDP Renováveis, por meio de capacitações voltadas à competitividade e sustentabilidade dos empreendimentos rurais e do fomento à inovação, ao empreendedorismo e à difusão das tecnologias sociais – de produção, gestão e boas práticas de convivência com o semiárido.

A segunda fase do Programa foi executada pela Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel), por meio da área de Novos Negócios, com apoio do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Instituto EDP. Iniciada em abril de 2018, essa fase do EDP Renováveis Rural propôs contribuir com o desenvolvimento sustentável de quatro comunidades rurais (Cabeço, Lagoa de Serra Verde, Tubiba e Zabelê), localizadas no entorno das Centrais Eólicas JAU e Aventura 1.

Os agricultores que participaram dessa segunda fase do Programa foram selecionados após a elaboração do Diagnóstico de potencialidades e vulnerabilidades para o desenvolvimento rural, feito pela Adel. Para o Diagnóstico foram realizadas entrevistas com os agricultores e oficinas de Diagnóstico Rural Participativo (DRP) com o objetivo de coletar dados referentes às vulnerabilidades e oportunidades dos estabelecimentos produtivos. Após conhecer as demandas dos agricultores, o Programa EDP Renováveis Rural possibilitou aos beneficiários o acesso ao conhecimento e à diversas tecnologias.

O acesso ao conhecimento pelos agricultores ocorreu através de oficinas, assessorias e visitas técnicas. As oficinas abordaram diversos temas. Dentre eles, gestão da propriedade, empreendedorismo, comunicação e marketing, comercialização, uso racional da água, sistemas integrados de produção e defensivos naturais.

Já o acesso às tecnologias aconteceu por meio da implantação das seguintes tecnologias nas propriedades dos beneficiários: Unidade de Produção de Galinha Caipira; Cisterna “Telhadão”; Unidade de Produção Agroecológica de Mel (apis); Unidade de Produção Agroecológica; e, Unidade de produção agroecológica de mel de abelha Jandaíra. A escolha da tecnologia implantada foi definida pelo agricultor a partir das suas habilidades e de oportunidades existentes na propriedade.

As atividades dessa segunda fase também incluem a articulação e o fortalecimento de redes, grupos e arranjos colaborativos e cooperativos.

Fortalecimento Comunitário

Grupo de mulheres “Sabores e Resistência”

O Programa EDP Renováveis Rural contribuiu diretamente para o fortalecimento das Associação de Jovens Agroecologistas Amigos do Cabeço (Joca) em Cabeço, Jandaíra/RN, Associação Comunitária de Lagoa de Serra Verde e Grupo das Mulheres de Zabelê, Touros/RN.

Denominado “Sabores e Resistência” o grupo formado por mulheres que residem no Projeto de Assentamento Quilombo dos Palmares (antiga fazenda Zabelê), começaram a trabalhar juntas na produção artesanal de bolos desde 2012, ideia que surgiu da busca por uma atividade que gerasse ocupação, renda e autonomia.

Nesse último ano, com o apoio do Programa EDP Renováveis Rural as mulheres realizaram o sonho de ter a cozinha do grupo reformada para funcionar de forma adequada, em acordo com a legislação. Ainda com apoio do Programa, as mulheres do “Sabores e Resistência” receberam equipamentos para melhorar a qualidade e quantidade da produção.

A cozinha passou a ter pisos e paredes com cerâmica, pia em aço inox, novas instalações hidráulicas e sanitárias, esquadrias adequadas em alumínio, o que permitirá o aumento e diversificação dos produtos, assim como o armazenamento de forma adequada.

“Hoje em dia nossa cozinha tá uma benção, nós vamos fazer por onde valorizar e não perder mais nosso trabalho, procurando sempre melhorias, investindo nos nossos bolos e desenvolvimento do grupo”, reforça D. Maria de Lourdes, integrante do grupo.

Serviço:
Evento de Encerramento da Segunda Fase do Programa EDP Renováveis Rural
Dia 26 de novembro de 2018
Das 15h às 18h
Escola Municipal Professor Manoel Edimilson, Tubiba, João Câmara, RN.

Adel expande atuação do PJER para o Rio Grande do Norte

A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel), instituição criada em Pentecoste, no interior do Ceará, vem, há mais de 10 anos, transformando a realidade do semiárido e abrindo caminhos no campo. Por meio de uma tecnologia social própria intitulada Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER), a Adel já conta com mais de 3 mil beneficiados e R$ 650 mil investidos em empreendimentos de jovens. Em um novo momento, as atividades do PJER ultrapassam os limites do sertão cearense e chegarão, ainda este ano, aos municípios de Parazinho e São Miguel do Gostoso, ambos no Rio Grande do Norte.

O Programa forma e apoia jovens rurais para que eles se tornem empreendedores e protagonistas nas comunidades onde vivem. É composto por quatro eixos principais: conhecimento (atividades formativas e sessões/oficinas de assessoria e assistência técnica); crédito (Fundo Veredas, linha de empréstimo voltada para os jovens); redes (sessões de assessoria, estímulo e condução de projetos); e tecnologias (projetos e ações de difusão de tecnologias socioambientais, informação e comunicação).

“A Adel projeta a reaplicação do Programa há bastante tempo e entende que é um programa que se adequa a comunidades em situação de vulnerabilidade. O foco sempre será o mesmo: apoiar e possibilitar o acesso de jovens à formação e apoio técnico, gerencial, financeiro e tecnológico para atender as necessidades básicas dos jovens e para que eles possam dar seus primeiros passos como empreendedores”, explica a Diretora de Programas da Adel, Aurigele Alves.

Expansão

Depois de atuar em nove municípios cearenses e iniciar seu processo de expansão na Amazônia em parceria com a ONG Casa do Rio, o PJER será replicado em duas (2) escolas, uma no município de Parazinho e outra em São Miguel do Gostoso, em parceria e com investimento social da Brookfield Energias Renováveis.

“No caso do Rio Grande do Norte, é uma oportunidade que surge a partir de nossa atuação consistente naquela região nos últimos três anos no campo de novos negócios. Temos um Núcleo Avançado no município de João Câmara e isso levou à proposta de expansão com um projeto social próprio naquele território. A oportunidade que viabilizou essa ação foi um chamamento de iniciativas de impacto social lançado pela instituição para receber seu investimento social privado”, comenta o diretor de desenvolvimento, Gláucio Gomes.

A introdução, em escolas de Ensino Médio no semiárido cearense, de tópicos que evidenciem aos jovens estudantes as oportunidades e as alternativas existentes para sua manutenção em meio rural e para melhoria em suas condições de vida e de trabalho é essencial para a promoção do desenvolvimento local.

Adel inicia projeto em parceria com a Qair Brasil

Visita da equipe da Quadran Brasil à sede da Adel

A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) inicia este mês, projeto de fomento ao empreendedorismo e protagonismo de jovens rurais, por meio da prestação de serviços socioambientais à Qair Brasil. O projeto integra a estratégia de relacionamento e de sustentabilidade corporativa no que tange às comunidades na Área de Influência Direta (AID) do Complexo Eólico-Solar Serrote, no município de Trairi, no litoral do Ceará.

A iniciativa visa o desenvolvimento de capacidades por jovens para que possam iniciar e/ou avançar em seus próprios empreendimentos, dentro de suas comunidades. Seja de forma individual, com suas famílias, com outros jovens ou mesmo atuando em empreendimentos já existentes, como gestores. Trinta (30) jovens locais serão beneficiados, para que estejam aptos a compreender seus contextos e ambientes de atuação, identificar oportunidades e potencialidades e então criar e iniciar projetos de negócios e/ou de impacto socioambiental.

A juventude rural tem como desafio às pressões migratórias para centros urbanos em busca de emprego, devido a necessidade de geração de renda própria e de complementação da renda familiar. Os jovens, embora tenham ligação afetiva, social e cultural com suas comunidades, o que os inspiram a permanecer nos lugares onde nasceram e foram criados, acabam não percebendo oportunidades reais para que possam ter perspectivas de mobilidade social positiva ou sequer de melhorias em suas condições de vida e de trabalho.

O Projeto terá início com a realização de um Diagnóstico Preliminar de sua área de atuação, que possibilitará uma melhor compreensão do ambiente de criação e desenvolvimento de negócios e/ou iniciativas de impacto socioambiental. O Diagnóstico evidencia também as potencialidades e limitações dos jovens a serem beneficiados.

Após esse processo, será realizada a mobilização e seleção dos jovens, que terão acesso à atividades de formação e assessoria para criarem e iniciarem seus Projetos de Negócios. Com o Projeto de Negócios em mãos, eles poderão submetê-los ao Fundo Veredas, fundo de microcrédito da Adel que tem por objetivo investir especificamente em empreendimentos de jovens rurais.

Reaplicação de expertises

O Projeto é uma ação da área de Novos Negócios da Adel, que oferece e realiza serviços como consultoria, assessoria, gestão, gerenciamento e operacionalização de projetos de desenvolvimento local. “Há 10 anos, formamos e apoiamos o jovem que faz a escolha por empreender e protagonizar transformações em sua vida e de sua comunidade, seja através da implantação de um negócio ou de um projeto de impacto social. A parceria com a Qair Brasil será uma grande oportunidade para criarmos estratégias que sejam efetivas para fomentar a criação e os primeiros passos em projetos de empreendimentos por esses jovens”, reforça Wagner Gomes, Diretor de Negócios da Adel.

Este Projeto representa a reaplicação da expertise que a Adel desenvolveu ao longo dos últimos dez anos em seu Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER), que já beneficiou diretamente cerca de 3 mil jovens de 10 municípios cearenses, através de projetos, ações e atividades.

A estratégia do PJER consiste na aliança de quatro (4) componentes: conhecimento; crédito orientado; redes cooperativas e tecnologias. Mais de 200 novos empreendimentos foram criados nos territórios do Vale do Curu e Região Metropolitana de Fortaleza, contribuindo para modernizar, dinamizar e aquecer as economias locais, possibilitando aos jovens alternativas de trajetórias para seu desenvolvimento como pessoas e como protagonistas de transformações em suas comunidades.

PJER no Amazonas inicia etapa formativa

Na última segunda (2), a Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) e a Casa do Rio deram início à etapa de formação da primeira turma do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) no Amazonas. O curso de Empreendedorismo e Protagonismo Social está sendo realizado no Centro de Formação Saberes da Floresta (Sítio Amaras, estrada do Manaquiri) e reúne 25 jovens do município Careiro Castanho e entorno da BR-319.

O Curso reúne informações e ferramentas que auxiliarão os jovens na elaboração de projetos de negócio para criação ou desenvolvimento de seus empreendimentos, sejam eles com fins econômicos ou de impacto social. O Projeto de Negócio é imprescindível para acessar os demais componentes do Programa, que permitirão a implementação das ideias desenvolvidas durante a formação.

O processo de mobilização e seleção para a turma do PJER, na região Norte, contou com a ação dos jovens amazonenses Alexandra Guimarães, 20, e Tiago Lima, 20, ambos do município Careiro Castanho (AM), que participaram de um intercâmbio na Adel, conhecendo de perto a metodologia do Programa e a atuação de jovens empreendedores rurais do Ceará.

Todo o processo de replicação do PJER no Amazonas está sendo acompanhado pela Adel, que compartilha sua expertise, adquirida durante os dez anos em que tem implementado e desenvolvido a tecnologia social com jovens. Nesta semana inicial, Aurigele Alves, Evilene Abreu e Fábia Oliveira, Diretora de Programas, Diretora de Comunicação e Assistente de Projetos da Adel, respectivamente, se encontram no Amazonas para contribuírem com a aplicação do Ciclo Base que segue até sexta-feira (6).

Para Thiago Cavalli, Diretor Executivo da Casa do Rio, o PJER é uma grande oportunidade para os jovens amazonenses, que vivem numa terra tão vasta, mas com tão poucas perspectivas. “Empreender é um caminho possível, como nos mostra esse Programa da Adel. Empreender com sustentabilidade, mantendo a floresta e sua cultura vivas – o comprometimento da Casa do Rio – é o desafio do PJER no Amazonas. Vamos juntos, construindo essas pontes para a juventude”, reforça Thiago.

Segundo Gláucio Gomes, Diretor de Desenvolvimento da Adel, trata-se de um novo estágio no desenvolvimento da organização, que entende o PJER como uma tecnologia social que pode ser aplicada nos diversos contextos regionais e locais no Brasil, em que jovens em situação de vulnerabilidade socioeconômica precisam lidar com muitos desafios, desenvolver resiliência como capacidade humana, para que possam se tornar protagonistas em suas próprias vidas e em transformações positivas em suas comunidades. “Jovens da Amazônia, assim como jovens do semiárido do Nordeste brasileiro, são fortemente pressionados a migrar para cidades maiores em busca de empregos imediatos. Jovens que seriam atores importantes para o desenvolvimento local, ao usarem seus talentos e suas habilidades em empreendimentos e projetos em seus próprios territórios”, enfatiza Gláucio.

Sobre o PJER
O PJER é uma tecnologia social criada em 2009 pela Adel que cria oportunidades para jovens empreenderem em suas próprias comunidades. O Programa já beneficiou no Ceará mais de 3.000 jovens e consolida seu processo de expansão este ano. Além do Amazonas, neste segundo semestre a Adel realiza a formação empreendedora do PJER no Ceará e no Rio Grande do Norte.

O Programa é composto por quatro (4) componentes: acesso a conhecimento, crédito orientado, a redes de apoio e proteção e a tecnologias. Sua reaplicação no Amazonas resulta da parceria firmada entre Adel e Casa do Rio ao final de 2018.