Fundo Veredas possibilita acesso a crédito por jovens LGBT+

Stefany Melo, 20, jovem empreendedora rural

No primeiro semestre de 2019, a Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) iniciou o Projeto Diversidade no Empreendedorismo de Jovens Rurais, sua primeira iniciativa voltada exclusivamente para jovens LGBTs, selecionada na primeira edição do edital nacional LGBT+ Orgulho do Itaú em parceria com a consultoria Mais Diversidade. Vinte e cinco (25) jovens finalizaram a etapa formativa do Projeto, destes, nove (9) acessaram linhas de crédito por meio do Fundo Veredas.

Implantado em 2015, o Fundo Veredas trata-se de uma iniciativa própria e particular de crédito criada e gerida pela Adel através de doações e investimentos de seus parceiros. Já conta com mais de 600 mil reais em volume de operações e oferece empréstimos exclusivamente a jovens empreendedores nos territórios em que o Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) é implantado.

Durante o Curso de Empreendedorismo e Protagonismo Social, os jovens desenvolvem capacidades técnicas e gerenciais, aprendem os primeiros passos para empreender e elaboram os Projetos de Negócios para submeterem ao Fundo Veredas.

Os jovens LGBT+ acessaram o crédito no final de 2019 e investiram em empreendimentos nas áreas de estamparia, hamburgueria, artesanato, confeitaria e estúdio de maquiagem. Para Marcelo Barros, 21, jovem de Pentecoste/CE, que trabalha com a produção de bolos e doces, o recurso financeiro foi muito importante. “O Fundo Veredas permitiu novas oportunidades de ampliação para o meu negócio, trazendo mais qualidade e eficiência para os clientes. Participar do PJER Diversidade e acessar o crédito deram ao meu negócio uma oportunidade única de crescimento”, destaca o jovem.

O acesso ao crédito compreende etapas como visitas da equipe técnica da Adel para análise do contexto onde está inserida a proposta do negócio; e, análise do projeto pela comissão gestora do Fundo Veredas, formada por representantes da própria Adel, que avaliam a viabilidade, período de carência e planos de pagamentos.

Formação PJER Diversidade

Segundo Simão Pedro, 24, maquiador profissional de São Gonçalo do Amarante/CE, trabalhar por conta própria não é fácil, mas tem seus benefícios e ele acredita que fez a escolha certa. “Participar do PJER Diversidade abriu muitas portas, obtive novos conhecimentos, depois tive a oportunidade de acessar o crédito e consegui dar uma alavancada no meu negócio”. Simão já empreende desde os 18 anos, com o valor concedido ele fortaleceu seu estoque e seu ambiente de trabalho. “A cliente chega e tenho um espaço bonito, reservado. Quero continuar essa parceria com a Adel porque eu só tive benefícios. Empreender não é fácil, porém vale mais a pena do que você investir no sonho de outras pessoas né, você tá investindo nos seus sonhos”, enfatiza Simão.

Inclusão socioprodutiva da população LGBT+

O Projeto Diversidade e Empreendedorismo de Jovens Rurais surgiu como uma estratégia de fomento ao desenvolvimento de empreendimentos de negócios e de impacto socioambiental em meio rural, no contexto do semiárido do Nordeste brasileiro, aliando o acesso dos jovens beneficiados a conhecimentos, crédito, redes colaborativas e tecnologias. A Adel acredita que no cenário de forte hostilidade onde jovens LGBT+ estão inseridos, a aliança entre empreendedorismo e protagonismo social cria alternativas reais de trajetórias para mobilidade social positiva e garantia de liberdades fundamentais.

No Brasil, a garantia de direitos da população LGBT+ ainda é um desafio, são poucos os equipamentos nacionais, estaduais e municipais que promovem a cidadania dessas pessoas. O contexto de vulnerabilidade social e o direito à vida ainda são pautas que merecem bastante atenção. Hoje, 29, Dia Nacional da Visibilidade de Transexuais e Travestis, a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA) divulga o Dossiê dos assassinatos e violência contra travestis e transexuais brasileiras em 2019.

Segundo dados da associação, o Brasil permanece no 1º lugar no ranking dos assassinatos durante os últimos 10 anos. De acordo com o dossiê, em 2019 o país chegou ao número de 124 assassinatos. 99% das pessoas LGBT+ não se sentem seguras. 11 pessoas trans são agredidas diariamente no Brasil.

Para Stefany Melo, 20, mulher trans beneficiária do Projeto Diversidade e Empreendedorismo de Jovens Rurais, participar da iniciativa teve um grande impacto na sua vida social e econômica. “Após o curso eu percebi que tenho capacidade de fazer o que eu quiser, basta querer e lutar para conseguir. Hoje, dia da visibilidade trans, fico contente por estar viva. Espero que a data possa nos tornar visíveis para muitos, mostrar que somos pessoas como todas as outras. Temos sonhos, sentimentos e o mais importante, temos direito à vida”, destaca Stefany.

Iniciativas que buscam fortalecer a rede de proteção e promoção à cidadania LGBT+ são imprescindíveis e necessárias, sendo acima de tudo, um direito humano.

Adel beneficia produtores de leite na região de Sobral

A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) em parceria com o Banco do Nordeste do Brasil (BNB), por meio do Programa de Desenvolvimento Territorial (PRODETER), realizam no território do Polo de Sobral I, no Ceará, o Projeto Estruturação da Cadeia Produtiva do Leite. Participam do Projeto cento e vinte e cinco (125) pequenos produtores de leite de quatro municípios – Sobral, Irauçuba, Miraíma e Santana do Acaraú.

O Projeto busca contribuir para o aumento da produtividade e da rentabilidade na atividade de bovinocultura de leite no território. Objetiva ampliar as capacidades técnicas e de gestão das pequenas propriedades rurais; fortalecer as estruturas organizativas para aumentar a efetividade de estratégias de desenvolvimento da atividade econômica; e, difundir entre os produtores conhecimentos, soluções e tecnologias que gerem resultados efetivos em curto e longo prazo.

Em dezembro, o Diretor Executivo da Adel, Adriano Batista, juntamente com a Gerente Executiva Estadual do BNB, Jeânia Gomes, apresentaram o Projeto para o Comitê Gestor do Território Rural de Sobral em Santana do Acaraú/CE, que realizou o evento “O Bom de Leite”, em parceria com o BNB. Adriano Batista espera que as ações do Projeto auxiliem na estruturação da cadeia produtiva do leite, na organização dos produtores e no desenvolvimento da região.

Jeânia Gomes acredita na cooperação como algo essencial para o desenvolvimento da atividade. “Sozinho não vamos a lugar nenhum, ninguém vai. Quando começamos esse trabalho há quatro anos, nessa metodologia do Programa de Desenvolvimento Territorial (PRODETER), chegávamos para o produtor e perguntávamos quanto eles gastavam para produzir um litro de leite, boa parte deles não sabiam. Hoje ainda há produtores que não sabem. Por isso é muito importante iniciativas que ajudem esses produtores a descobrirem a melhor forma de gerir suas produções”, reforça.

As atividades do Projeto são divididas em três eixos: capacitação, assessoria e difusão de tecnologias. O eixo capacitação compreende a realização de seminários, minicursos, dias de campo e intercâmbios. Já o eixo assessoria foca na elaboração de planos de negócios, no fortalecimento organizativo e na criação de Arranjos Produtivos Locais (APLs). O eixo difusão de tecnologias propõe a implantação de uma Unidade de Referência de Bovinocultura de Leite na sede da Associação Comunitária dos Assentados de Tanques, em Santana do Acaraú/CE, para difusão de soluções e tecnologias socioambientais viáveis e aplicáveis ao contexto e aos desafios enfrentados.

As atividades do eixo capacitação no território iniciam com o Seminário Bovinocultura de Leite e Desenvolvimento Rural Sustentável, dia 4 de fevereiro, às 9h, no Sistema Integrado de Saneamento Rural (SISAR), no município de Sobral/CE. Durante o Seminário acontecerá o Painel Desafios da Cadeia Produtiva da Bovinocultura de Leite no território do Polo de Sobral I e estratégias de superação.

O painel será mediado por Alano Luna, Doutor em Zootecnia pela Universidade Federal do Ceará e Especialista de Projetos da Adel, com a participação do Prof. Dr. Magno José Duarte Cândido do departamento de Zootecnia da Universidade Federal do Ceará (UFC) e Prof. Dr. Cleber Medeiros Barreto, docente do curso de Zootecnia no Instituto Federal do Ceará, Campus Limoeiro do Norte.

O Projeto conta com o apoio da Associação Comunitária dos Assentados de Tanques, da Agência de Defesa Agropecuária do Ceará, Sebrae, Ematerce, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, do Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura (NEEF/UFC) e das Secretarias de Agricultura dos municípios atendidos.

Programação Seminário Bovinocultura de Leite e Desenvolvimento Rural Sustentável
9h – Credenciamento
9h10 – Lanche
9h30 – Abertura
9h40 – Apresentação do Programa de Desenvolvimento Territorial (Prodeter) / BNB | Jeânia Rogério Gomes – gerente executiva estadual BNB
9h50 – Apresentação do Projeto Estruturação da Cadeia Produtiva do Leite | Adriano Batista – diretor executivo Adel
10h20 – Fala dos parceiros
11h10 – Painel Desafios da Cadeia Produtiva da Bovinocultura de Leite no território do Polo de Sobral I e estratégias de superação | convidados: Cleber Medeiros Barreto – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE); Magno José Cândido – Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura (NEEF) / Universidade Federal do Ceará (UFC) e Alano Albuquerque Luna – especialista de projetos Adel – mediador
12h – Encerramento

Serviço
O que: Seminário Bovinocultura de Leite e Desenvolvimento Rural Sustentável
Onde: Sistema Integrado de Saneamento Rural (Sisar) – Rua do Escambo, 193 – Dom Expedito – Sobral – CE
Quando: 4 de fevereiro de 2020 – 9h às 12h

Adel e BNB realizam Seminário com produtores de leite em Limoeiro do Norte

A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) e o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) realizaram nesta terça, 21, o Seminário Bovinocultura de Leite e Sustentabilidade no Semiárido no Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Ceará (IFCE/Campus Limoeiro do Norte), em Limoeiro do Norte/CE.

O Seminário é parte das atividades do Projeto Estruturação da Cadeia Produtiva do Leite realizado pela Adel e BNB no Médio e Baixo Jaguaribe. O evento promoveu um debate sobre os principais desafios da Cadeia Produtiva da Bovinocultura de Leite no território e as possíveis estratégias de superação. Cerca de 100 pessoas participaram do evento.

O Seminário iniciou com a fala dos parceiros. Em seguida, a Gerente Executiva Estadual do BNB, Jeânia Rogério Gomes, apresentou o Programa de Desenvolvimento Territorial (PRODETER) desenvolvido pelo BNB. Adriano Batista, Diretor Executivo da Adel, fez uma breve apresentação do Projeto Estruturação da Cadeia Produtiva do Leite, iniciativa da Adel com apoio do PRODETER/BNB.

Jeânia Rogério Gomes, Gerente Executiva Estadual do BNB

Jeânia destacou que o principal objetivo do PRODETER é apoiar o desenvolvimento territorial da região Nordeste, por meio do fortalecimento das cadeias produtivas locais, da incorporação de inovações tecnológicas no meio rural e do financiamento integrado e orientado das atividades produtivas. Já Adriano, ressaltou a importância de agregar valor à cadeia produtiva de leite e, consequentemente, gerar desenvolvimento local no Médio e Baixo Jaguaribe por meio do Projeto.

Após as apresentações, aconteceu o Painel Desafios da Cadeia Produtiva da Bovinocultura de Leite no território do Médio e Baixo Jaguaribe e estratégias de superação. O Professor do IFCE/Campus Limoeiro do Norte, Dr. Rodrigo Gregório da Silva; e, o Prof. Dr. Magno José Duarte Cândido do departamento de Zootecnia da Universidade Federal do Ceará (UFC) e Coordenador do Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura (NEEF/UFC), trouxeram contribuições valorosas sobre a cadeia produtiva do leite. O Painel foi mediado por Tiago de Medeiros Silva, Especialista em Bovinocultura de Leite e Zootecnista na empresa Betânia Lácteos.

Segundo Adriano Batista, o Seminário marca o início das atividades do Projeto Estruturação da Cadeia Produtiva do Leite no Médio e Baixo Jaguaribe que busca contribuir para o aumento da produtividade e da rentabilidade na atividade de bovinocultura de leite no território. “Foi um momento importante para os produtores entenderem melhor quais são os desafios da cadeia produtiva e também quais são as soluções. Estamos extremamente agradecidos por esse momento, por esse seminário e por essas parcerias na realização do projeto”, enfatizou o Diretor.

Participaram do Seminário produtores de leite de cinco municípios do Território do Médio e Baixo Jaguaribe – Alto Santo, Iracema, Limoeiro do Norte, Morada Nova e São João do Jaguaribe. Joeci Gomes é produtor de leite do Sítio Várzea do Cobra localizado em Limoeiro do Norte. Para ele, participar do evento foi uma grande oportunidade. “Gostaria de agradecer a direção da Adel por ter me convidado para esse encontro. Todo produtor de leite precisa desse apoio, pois todo apoio é importante. O produtor de leite assim como o produtor rural precisa da ajuda de vocês (Adel e BNB) e de organizações que acreditem no nosso potencial”, ressaltou Joeci.

Projeto Estruturação da Cadeia Produtiva do Leite

O Projeto Estruturação da Cadeia Produtiva do Leite no Médio e Baixo Jaguaribe busca contribuir para o aumento da produtividade e da rentabilidade na atividade de bovinocultura de leite no território. Objetiva ampliar as capacidades técnicas e de gestão das pequenas propriedades rurais; fortalecer as estruturas organizativas para aumentar a efetividade de estratégias de desenvolvimento da atividade econômica; e, difundir entre os produtores conhecimentos, soluções e tecnologias que gerem resultados efetivos em curto e longo prazo.

As atividades do Projeto são divididas em três eixos: capacitação, assessoria e difusão de tecnologias. O Projeto conta com o apoio do Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura (NEEF/UFC). “Estamos muito empolgados com o início do projeto, a gente vai participar das capacitações junto aos produtores ao longo de todas as etapas nos diversos municípios. Entendemos que é fundamental essa parte da capacitação para que os produtores consigam se organizar e melhorar o nível tecnológico que é a capacidade produtiva repercutindo consequentemente na rentabilidade do sistema de produção deles”, ressaltou o Prof. Dr. Magno José Duarte Cândido, Coordenador do NEEF/UFC.

Prof. Dr. Magno José Duarte Cândido, Coordenador do NEEF/UFC

Além do NEEF/UFC, o Projeto possui os seguintes apoiadores: Associação de Fomento a Caprino-ovinocultura e a Bovinocultura do Sítio São Bento, FAEC/SENAR, Sindicatos dos Trabalhadores/as Rurais, Ematerce, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE/Campus Limoeiro do Norte) e das Secretarias de Agriculturas dos municípios atendidos.

Desenvolvido pela Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) em parceria com o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) por meio do Programa de Desenvolvimento Territorial (PRODETER). Participam do Projeto cento e quarenta (140) pequenos produtores de leite de cinco municípios – Alto Santo, Iracema, Limoeiro do Norte, Morada Nova e São João do Jaguaribe.

Jovens de Trairi apresentam seus Projetos de Negócios

Entre 8 e 10 de janeiro, a Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) e a Qair Brasil realizaram o último encontro do Curso Empreendedorismo e Gestão de Negócios Rurais, no município de Trairi/CE. O Curso integra as atividades do Projeto de Formação e Apoio a Jovens Empreendedores e Protagonistas Rurais desenvolvido com jovens que moram no entorno do Complexo Eólico-Solar Serrote da Qair Brasil no município.

O último módulo do Curso Empreendedorismo e Gestão de Negócios Rurais encerrou com a apresentação dos Projetos de Negócios da turma. No total, vinte e seis (26) jovens apresentaram para a banca avaliadora seus projetos empreendedores. A banca foi composta por Raquel Ferreira, Coordenadora de Projetos da Adel, Aurigele Alves, Diretora de Programas da Adel, Sulamita Holanda, Assessora Socioambiental da Qair Brasil e Celina Hissa, fundadora da marca Catarina Mina, que realiza o projeto Olê {Rendeiras do Bilro} também em parceria com a Qair Brasil.

Raquel Ferreira, Sulamita Holanda, Celina Hissa e Aurigele Alves, da esquerda para à direita

A apresentação dos projetos empreendedores dos jovens é um momento muito importante de conclusão da etapa formativa do Projeto. O propósito da banca é apoiar os jovens em suas ideias e apontar melhorias para os projetos. Além disso, permite ao jovem visualizar de forma mais concreta os passos necessários para colocar as ideias em prática.

Segundo Celina Hissa, CEO da Catarina Mina, primeira marca cearense a abrir seus custos de produção, participar da banca avaliadora foi uma oportunidade de aprender com os jovens e de perceber como essa ação da Adel e da Qair Brasil impacta no desenvolvimento do território. “Às vezes, mais importante do que pensar um impacto para muitas pessoas, é pensar o impacto para poucas e como isso pode ser propagado, como isso pode ser um multiplicador. Uma das coisas mais legais que eu acho desse pensamento que está no curso, que está nesse projeto pra jovens empreendedores é essa ideia do olhar cuidadoso um a um e como isso é também um olhar cuidadoso para o todo”, reforça.

Ezequiel Paixão, 18, pretende montar uma barbearia

Os jovens elaboraram seus projetos de negócios ao longo das nove (9) oficinas formativas do curso e são iniciativas de áreas bastante diversas. Vão desde a marcenaria, artesanato, confecção de roupas, vendas de frutos do mar, designer gráfico, criação de abelhas jandaíra, barbearia, lanchonetes e churrascarias. São projetos elaborados a partir das oportunidades locais e também das expertises de cada jovem.

Carlos Ferreira, 29, reside no distrito Canaã, Trairi/CE, pretende trabalhar com venda de material elétrico. A ideia de negócio de Carlos surgiu a partir da sua experiência como eletricista. “Eu prestava serviços como eletricista e meus clientes não encontravam material de qualidade nos depósitos da região, além de possuírem preços altíssimos. Então a minha ideia é que além de fornecer o serviço, eu possa ter minha própria loja de material elétrico, com produtos de qualidade e preço justo”, reforça.

Sobre o Projeto

O Projeto de Formação e Apoio a Jovens Empreendedores e Protagonistas Rurais finaliza sua primeira etapa com a realização do Seminário de Empreendedorismo e Protagonismo Rural no dia 6 de fevereiro. Nessa fase inicial do Projeto, foram abordados os primeiros passos para empreender. Espera-se que agora os jovens estejam aptos a compreender seus contextos e ambientes de atuação, identificar oportunidades e potencialidades para colocar seus projetos em prática.

A segunda etapa do Projeto compreende o acesso ao crédito e será viabilizado por meio do Fundo Veredas, iniciativa de crédito criada e gerida pela Adel que contará com investimentos da Qair Brasil.

Este Projeto é uma ação da área de Novos Negócios da Adel e representa a aplicação da expertise desenvolvida pela Adel ao longo dos últimos dez anos em seu Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER), que já beneficiou diretamente cerca de 3 mil jovens de dez (10) municípios cearenses e foi reaplicado em 2019 no Amazonas.

Adel inicia projeto de fortalecimento da cadeia produtiva do leite no Ceará

A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) em parceria com o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) por meio do Programa de Desenvolvimento Territorial (PRODETER) realizam no território do Baixo e Médio Jaguaribe no Ceará, o Projeto Estruturação da Cadeia Produtiva do Leite. Participam do Projeto cento e quarenta (140) pequenos produtores de leite de cinco municípios – Alto Santo, Iracema, Limoeiro do Norte, Morada Nova e São João do Jaguaribe.

O Projeto busca contribuir para o aumento da produtividade e da rentabilidade na atividade de bovinocultura de leite no território. Objetiva ampliar as capacidades técnicas e de gestão das pequenas propriedades rurais; fortalecer as estruturas organizativas para aumentar a efetividade de estratégias de desenvolvimento da atividade econômica; e, difundir entre os produtores conhecimentos, soluções e tecnologias que gerem resultados efetivos em curto e longo prazo.

Em dezembro, o Diretor Executivo da Adel, Adriano Batista, esteve em São João do Jaguaribe/CE, juntamente com a Gerente Executiva Estadual do BNB, Jeânia Gomes, apresentando o Projeto para o Comitê Gestor Territorial (CGT). Adriano Batista espera que as ações do Projeto auxiliem na estruturação da cadeia produtiva do leite, na organização dos produtores e no desenvolvimento da região. “A gente espera que os produtores apliquem os conhecimentos e tecnologias trabalhados no projeto em suas propriedades, que eles se organizem em arranjos produtivos locais e aumentem sua produtividade. Esperamos também contribuir para que o produtor conduza a atividade respeitando o meio ambiente”, ressalta.

As atividades do Projeto são divididas em três eixos: capacitação, assessoria e difusão de tecnologias. O eixo capacitação compreende a realização de seminários, minicursos, dias de campo e intercâmbios. Já o eixo assessoria foca na elaboração de planos de negócios, no fortalecimento organizativo e na criação de Arranjos Produtivos Locais (APLs). O eixo difusão de tecnologias propõe a implantação de uma Unidade de Referência de Bovinocultura de Leite em São João do Jaguaribe, na sede da Associação de Fomento a Caprino-ovinocultura e a Bovinocultura do Sítio São Bento para difusão de soluções e tecnologias socioambientais viáveis e aplicáveis ao contexto e aos desafios enfrentados.

As atividades do eixo capacitação iniciam com o Seminário Bovinocultura de Leite e Sustentabilidade no Semiárido, dia 21 de janeiro, às 9h, no Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Ceará (IFCE/Campus Limoeiro do Norte). Durante o Seminário acontecerá o Painel Desafios da Cadeia Produtiva da Bovinocultura de Leite no território do Médio e Baixo Jaguaribe e estratégias de superação.

O painel será mediado por Tiago de Medeiros Silva, Especialista em Bovinocultura de Leite e Zootecnista na empresa Betânia Lácteos, com a participação do Professor do IFCE Dr. Rodrigo Gregório da Silva e do Prof. Dr. Magno José Duarte Cândido do departamento de Zootecnia da Universidade Federal do Ceará (UFC). O Seminário é destinado aos participantes do projeto e aos parceiros locais.

O Projeto conta com os seguintes apoiadores: Associação de Fomento a Caprino-ovinocultura e a Bovinocultura do Sítio São Bento, Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura (NEEF/UFC), FAEC/SENAR SINRURAL, Ematerce, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará e das prefeituras dos municípios atendidos.