Cooperativa de Jovens fortalece a Agricultura Familiar

Há dois anos, mais de vinte agricultorxs, todos jovens beneficiados pelo Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) da Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel), deram início a Cooperativa Caroá, primeira cooperativa de jovens na região do Vale do Curu. Esses jovens filhos de agricultores e agricultoras, pescadores e pequenos comerciantes, uniram as forças e os desafios e começaram a pensar meios para comercializarem seus produtos orgânicos, provenientes da agricultura familiar.

Um dos objetivos da Cooperativa Caroá é dar ao jovem do campo a oportunidade de fazer uma escolha, a de permanecer. Com o trabalho que têm realizado, a Caroá mostra aos jovens do semiárido nordestino que é possível viver em suas comunidades com qualidade de vida através do trabalho agrícola. Além disso, as ações da Cooperativa têm um forte impacto na sucessão rural e na sustentabilidade da agricultura familiar.

Gerida por três jovens – Rayssa Duarte, Vitor Esteves e José Wirton, a Cooperativa Caroá atua seguindo princípios agroecológicos e éticos na produção, incentivando a alimentação saudável, a sustentabilidade, o comércio justo, a economia solidária e o protagonismo de mulheres e jovens rurais que acreditam no potencial local. Atualmente, um dos principais canais de comercialização da Cooperativa são as Feiras livres geridas e organizadas pelo grupo. A estratégia gera renda e possibilita ao consumidor o acesso a um alimento agroecológico e com um preço justo.

Rayssa Duarte e Vitor Esteves, casal de jovens empreendedores que gerencia a Cooperativa Caroá

Vitor Esteves, Diretor Executivo, acredita que a Cooperativa surgiu para somar esforços.  “Passamos dois anos planejando a Cooperativa Caroá, a ideia dessa união surgiu ainda no Programa Jovem Empreendedor Rural, visando o beneficiamento mútuo de nossos membros por meio dessa união de esforços para venda de produtos, compra de insumos e capacitação. Além de tudo isso, tem a troca de experiência entre os associados e a criação de uma rede de negócios interna que só fortalece ainda mais a nossa missão”, enfatiza.

Além das Feiras, outro canal de comercialização da Cooperativa são os programas governamentais para aquisição da agricultura familiar para a alimentação escolar. Atualmente, a Caroá fornece produtos para a Prefeitura Municipal de São Gonçalo do Amarante por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). O grupo também trabalha para acessar o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), tanto municipal quanto estadual. A venda da produção diretamente para as Prefeituras permite o consumo de alimentos saudáveis e o vínculo regional com os municípios.

Colheita de acerola no Sítio Sossego, na comunidade Boca da Picada, em São Gonçalo do Amarante/CE

Em São Gonçalo do Amarante/CE, a Cooperativa Caroá também fornece produtos orgânicos para a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP). Uma parte do hortifruti consumido na empresa é fornecido pela Cooperativa. O relacionamento com este cliente iniciou em 2017 com o apoio da Adel. O Projeto da Cooperativa Caroá foi selecionado em um edital do Programa Ideia da Gente promovido pela CSP. Em seguida, os jovens da Caroá abraçaram a oportunidade de comercializar os produtos para uma das maiores Companhias Siderúrgicas do país.

Feira Caroá

A principal Feira organizada pelo grupo leva o mesmo nome da Cooperativa e acontece aos sábados no período da manhã, na Praça das Flores, em Fortaleza, Ceará. Mas, para evitar a proliferação do coronavírus as atividades da Feira foram paralisadas desde o dia 14 de março. No momento, os jovens estão focando na produção e com a esperança de que logo essa pandemia vai passar.

“A Caroá paralisou a Feira. Pensamos em fazer as entregas, mas depois desistimos. Dia 14 foi nossa última feira. Os outros produtores continuam cuidando da plantação e fazendo as entregas para os outros clientes como a CSP (Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP). Aqui no sítio estamos aproveitando para adiantar o serviço”, disse Rayssa hoje a nossa equipe, por telefone.

Na Feira Caroá são comercializados frutas, legumes e hortaliças orgânicas produzidos pelos jovens. Além de hortifruti, diversos empreendedores locais vendem alimentos, cosméticos e produtos de higiene pessoal sustentáveis.

Adel realiza segunda edição do PJER Diversidade

A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) realizará mais uma edição do Projeto Diversidade e Empreendedorismo de Jovens Rurais. Vinte (20) jovens LGBTQ+ de cinco municípios do território do Vale do Curu (Pentecoste, Apuiarés, Tejuçuoca, Paracuru e São Gonçalo do Amarante) serão beneficiados. O Projeto faz parte das ações do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) e conta com apoio do Itaú e da Mais Diversidade.

O PJER Diversidade tem como intuito formar e assessorar esses jovens para criarem e darem início ao desenvolvimento de seus projetos de negócios e/ou de impacto social em suas comunidades. O principal objetivo é promover a inclusão socioprodutiva de jovens LGBTQ+ a partir da ampliação de suas capacidades, do aproveitamento de sua resiliência, de suas potencialidades e vocações. Esses jovens serão, também, orientados e assistidos para integrar redes territoriais e para iniciarem um processo de formação como lideranças e protagonistas locais. Para que sejam agentes de transformações estruturantes na cultura de empreendedorismo no território.

Para a Diretora de Programas da Adel, Aurigele Alves, a formação de uma rede de jovens empreendedores LGBTQ+ no território contribuirá para a criação de referências positivas, para que outros jovens locais se sintam estimulados para realizarem em seus projetos de vida. “Estamos felizes em continuar esse importante trabalho que iniciamos em 2019. Ampliar essa parceria com o Itaú e a Mais Diversidade, significa também expandir as possibilidades de fortalecer e reconhecer que existem espaços para a diversidade no meio rural”, ressalta.

Em 2019, a Adel beneficiou 25 jovens rurais LGBTQ+ pelo PJER Diversidade. Esses jovens elaboraram projetos de negócios e/ou de impacto social em suas comunidades, com enfoque em empoderamento, desenvolvimento local e inclusão socioprodutiva.

Jovens que participaram da primeira edição do PJER Diversidade

Carla Lima, Mulher Trans beneficiada pelo Projeto, comenta que os três meses de formação foi um período muito construtivo, ela elaborou um novo plano de negócio, adquiriu muitos conhecimentos e fez novos amigos. “A Adel nos proporcionou algo além da formação, a enxergar mais longe. Sem falar do papel social que a organização tem de incentivar e trazer um curso voltado para o público LGBTQ+ que clama por oportunidades como essa. Tive a chance de me redescobrir e reconhecer que sou uma mulher trans, resiliente e empreendedora de sucesso”, comemora Carla que possui um salão de beleza.

Sobre o Projeto

O Projeto Diversidade e Empreendedorismo de Jovens Rurais trata-se de uma estratégia de fomento ao desenvolvimento de empreendimentos de negócios e de impacto socioambiental em meio rural, no contexto do semiárido do Nordeste brasileiro, aliando o acesso dos jovens beneficiados a conhecimentos, crédito, redes colaborativas e tecnologias.

Inicialmente os jovens participam do curso Empreendedorismo e Protagonismo Social, que busca contribuir na elaboração e amadurecimento das ideias de empreendimentos, a partir das vocações e competências de cada jovem. O curso conta com oficinas sobre diversos temas, tais como empreendedorismo, desenvolvimento local, educação financeira e comunicação e marketing.

No cenário de forte hostilidade em que jovens rurais LGBT+ estão inseridos, a aliança entre empreendedorismo e protagonismo social cria alternativas reais de trajetórias para mobilidade social positiva e garantia de liberdades fundamentais.

Adel suspende reuniões e eventos devido ao coronavírus

Em virtude das últimas notícias e previsões divulgadas sobre o aumento da possibilidade de contaminação pelo coronavírus, comunicamos a suspensão de eventos e reuniões com nosso público, por tempo indeterminado, a fim de contribuir com as medidas de precaução indicadas pelo Ministério da Saúde, como a não concentração de pessoas em locais fechados.

Nesse contexto, a Diretoria da Adel decidiu tomar as seguintes medidas preventivas:
• Eventos marcados para as próximas semanas, como palestras, workshops, cursos e visitas de campo serão reagendados;
• Recomendamos o acesso a informações e orientações oficiais sobre a doença: https://coronavirus.saude.gov.br/;
• A Adel não descarta a hipótese de interromper temporariamente as atividades presenciais, conforme a evolução da doença pelo país e a orientação das autoridades oficiais;
• Não há casos confirmados de coronavírus entre parceiros, fornecedores ou colaboradores da Adel, até o momento.

Também orienta sua comunidade institucional para seguir as seguintes medidas preventivas:
• Lave as mãos ao chegar e sair do trabalho, e com frequência fora de casa;
• Evite tocar no seu rosto, especialmente fora de casa;
• Desinfete superfícies e pacotes (é possível que o vírus se mantenha vivo por 9 dias em superfícies, mas ainda não sabemos com certeza);
• Use máscaras apropriadas quando estiver em contato próximo com o público;
• Use lenços de papel para conter espirros, tosse e coriza e descarte imediatamente após o uso;
• Espirre e tussa nas dobras dos braços e lave ou limpe com álcool em gel as mãos e áreas em que espirrou ou tossiu o mais brevemente possível;
• Não entre em pânico. Esse é o momento delicado, mas com empatia e cuidando uns dos outros podemos evitar a propagação em grande escala do covid-19 nas próximas semanas.

A Adel acredita e espera que o cenário de saúde mundial seja logo restabelecido para que todas as atividades, não somente da instituição, mas também das demais organizações, empresas e serviços públicos, retomem a normalidade o mais brevemente possível.

Oficina sobre educação ambiental é realizada com professores em Pernambuco

Corpo docente da Escola Municipal Manuel Alves de Araújo, Grotão, Venturosa/PE

Na última sexta-feira, 6, a Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) e a Echoenergia realizaram a oficina “Educação Ambiental no Semiárido”, na comunidade de Grotão, em Venturosa/PE. A capacitação faz parte das ações do Programa Echosocial Ventos que Transformam, da Echoenergia. Vinte e um (21) profissionais da Secretaria Municipal de Educação que atuam na Escola Municipal Manoel Alves de Araújo participaram da atividade.

Visando o desenvolvimento de capacidades, foram abordadas as diretrizes da Política Nacional de Educação Ambiental (Lei 9795/1999), como um meio de conscientizar e sensibilizar o corpo docente sobre a importância da educação ambiental no semiárido e principalmente no âmbito escolar. O encontro foi também uma forma de auxiliar a percepção de cada participante sobre o seu papel enquanto professor da comunidade e como agente transformador do meio em que está inserido. Espera-se que eles possam se tornar incentivadores a realizadores de ações e práticas ambientais no semiárido através do conhecimento adquirido.

Por meio de ações coletivas, os educadores trabalharam a temática Conscientização Ambiental, isto é, a capacidade do ser humano de perceber as alterações que causa no meio ambiente e procurar meios para diminuir esses impactos com práticas simples do dia a dia. Eles foram apresentados também ao princípio do tripé da sustentabilidade, formado pelos eixos ambiental, social e econômico. Debateram ainda o princípio dos 3 R’s: reduzir, reutilizar e reciclar.

Para Guilherme Ribeiro, Analista Socioambiental da Adel, responsável pela condução da oficina, a educação ambiental nas escolas pode ser abordada de diferentes formas, com a aplicação de metodologias criativas que captem a atenção e participação de todos os alunos. “As atividades devem ser desenvolvidas de forma que os estudantes consigam conciliar teoria e prática. Um bom exemplo são as aulas de Educação Ambiental nos parques, praças e até no próprio pátio da escola, onde as explicações, juntamente com o contato com os recursos naturais são de extrema importância no processo de conscientização ambiental”, reforça Guilherme.

As práticas que podem ser abordadas em sala de aula podem envolver conteúdos como Fauna e Flora, Agroecologia, Recursos Hídricos, Resíduos Sólidos e Coleta Seletiva. Um exemplo de atividade prática que pode ser realizada é a compostagem, um conjunto de técnicas aplicadas para estimular a decomposição de materiais orgânicos por microrganismos, como forma de reduzir o impacto dos resíduos sólidos sobre o meio ambiente.

Shyrlaine Macedo, Professora do Ensino Fundamental I acredita que os conhecimentos obtidos irão somar ao seu trabalho em sala de aula. “Essa oficina irá contribuir com a ampliação do conhecimento a respeito da preservação do meio ambiente e como podemos passar aos alunos essas informações. Uma oportunidade também de trazer a comunidade para a escola e fazer uma troca de conhecimentos”, reforça.

Além das atividades para qualificação pedagógica da comunidade escolar, beneficiando e envolvendo professores e alunos, a Adel e Echoenergia realizam a reforma e ampliação da estrutura física da escola. Foram realizadas reformas diversas na edificação, para solucionar problemas de estrutura e tornar os espaços educacionais e de administração escolar mais confortáveis e seguros.

Fachada da escola após revitalização

Além disso, foi construída e implantada a coberta da Quadra Poliesportiva, para atender à comunidade escolar como um todo. A reinauguração da Escola Manuel Alves de Araújo, em Grotão, Venturosa/PE, está prevista para o final do mês.

Sobre o Programa Echosocial

A Echoenergia criou o Programa Echosocial Ventos que Transformam para contribuir com o desenvolvimento local dos territórios do entorno dos complexos eólicos da empresa, gerando impactos sociais, econômicos, ambientais e educacionais positivos. As oficinas realizadas em Pernambuco faz parte das atividades do Projeto de Desenvolvimento da Educação executado pela Adel por meio da Diretoria de Novos Negócios que disponibiliza um leque de serviços a empresas, governos e outros atores da sociedade civil para colaborar com suas próprias estratégias de promoção do desenvolvimento humano, incorporar ou disseminar práticas de sustentabilidade corporativa ou ainda compensar, controlar e mitigar impactos derivados de suas operações.

Inscrições abertas para o Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER)

Em abril, a Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) inicia mais uma turma do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER), dessa vez com foco exclusivo no município de São Gonçalo do Amarante/CE. As inscrições estão abertas até o dia 20 de março e podem participar da seleção jovens com idade entre 18 e 32 anos, que tenham concluído o Ensino Médio e residam nas comunidades Parada, Pecém, Siupé, Taíba, Croatá ou na seda do município.

Trinta (30) jovens que busquem apoio para empreender e conseguirem inclusão socioprodutiva em suas comunidades e municípios serão selecionados para o Curso de Protagonismo e Empreendedorismo de Negócios e de Impacto Socioambiental. As inscrições e o curso são gratuitos e a formação será realizada no município de São Gonçalo do Amarante/CE, com o início das atividades previsto para o dia 13 de abril.

Os interessados podem preencher a ficha de inscrição on-line (https://forms.gle/XV2sNwSdq2J1ifbC6), ou realizar a inscrição na sede da Adel (Rua Francisco Nunes, 318, Acampamento, Pentecoste/CE); na Associação das Famílias do Pecém (ASFAP), Pecém; ou na sede do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de São Gonçalo do Amarante.

O PJER cria oportunidades para o desenvolvimento de empreendimentos por jovens empreendedores através de uma abordagem integrada. Desde 2009, possibilita a adolescentes e jovens com idade entre 14 e 32 anos o acesso a conhecimento, crédito orientado, redes e tecnologias, estratégias consideradas adequadas pela Adel para sua atuação em comunidades rurais.

O curso reúne informações e ferramentas que auxiliarão os jovens na elaboração de seus projetos de negócio, tanto com fins econômicos ou sociais. O Projeto de Negócio é imprescindível para acessar os demais componentes do Programa que permitirão a implementação de suas ideias.

Após o Curso e com o Projeto de Negócio em mãos, os jovens podem acessar recursos financeiros no Fundo Veredas, que integra o componente crédito orientado do PJER. Esse componente é considerado primordial, pois sem recursos financeiros e assessoria, os jovens dificilmente conseguem realizar experiências exitosas. Essa turma do Programa conta com o apoio financeiro do Instituto EDP, e tem como parceiros articuladores a Associação das Famílias do Pecém (ASFAP) e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de São Gonçalo do Amarante.

O Instituto EDP apoia diversas iniciativas nas comunidades onde as empresas do Grupo atuam, em grande parte, por meio de editais públicos. As ações do Instituto visam contribuir para a inclusão social, qualidade de vida e bem estar das comunidades onde a EDP atua, promovendo o acesso e estimulando a formação; valorizando a diversidade e as culturas regionais. O Instituto apoia projetos em dois grandes eixos estratégicos: Educação & Desenvolvimento Local e Cultura & Esporte.

O Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER)

O Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) é uma tecnologia social criada e desenvolvida pela Adel que já beneficiou cerca de 3.000 jovens empreendedores. A maioria desses jovens permanecem em suas comunidades. Há dez anos sendo aplicado no Ceará, em 2019 o Programa consolidou seu processo de expansão para o Amazonas e esse ano será realizado também em duas instituições públicas de ensino no Rio Grande do Norte.