Inscrições abertas para o PJER Diversidade

A Adel comunica que até o dia 29 de janeiro estão abertas as inscrições para mais uma turma do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) com foco na promoção da diversidade. Trinta (30) jovens LGBTQ+ que tenham entre 18 e 32 anos, ensino médio concluído e residam em Apuiarés, Caucaia, General Sampaio, Paracuru, Pentecoste, São Gonçalo do Amarante, São Luís do Curu, Tejuçuoca e Umirim serão selecionados para essa edição.

O Projeto “Diversidade e Desenvolvimento Rural: Jovens LGBTQ+ Protagonistas no Semiárido do Ceará” busca jovens com histórico de participação e engajamento em movimentos sociais, atividades comunitárias e/ou projetos de impacto socioambiental. É preferível jovens que atuem em processos de transformação positiva no território, referências em estratégias de desenvolvimento local, pautadas no âmbito da diversidade e inclusão social, cultural e econômica.

Para Aurigele Alves, Diretora de Programas da Adel, os desafios da juventude LGBTQ+ se multiplicam em comunidades rurais no sertão do Nordeste brasileiro, especialmente no que tange a inclusão socioprodutiva e a participação cidadã nos espaços comunitários. “O objetivo é contribuir para o desenvolvimento local com inclusão social, cultural e econômica desses jovens LGBTQ+ no semiárido cearense, através da ampliação das capacidades, para que se tornem protagonistas e empreendedores sociais, influenciadores e agentes de transformações sociais, econômicas e culturais em um processo de desenvolvimento local inclusivo e que valorize a diversidade”, reforça.

A formação de uma rede de jovens empreendedores LGBTQ+ no território contribuirá para a criação de referências positivas, para que outros jovens locais se sintam estimulados para realizarem em seus projetos de vida.  Espera-se que por meio dessa rede, eles desenvolvam iniciativas de promoção da diversidade, incidência na governança local e inclusão social e produtiva da juventude e da geração de consciência e sensibilidade social, cultural e política no estado do Ceará.

O processo formativo da nova turma seguirá todas as recomendações de saúde e segurança diante o contexto pandêmico. Haverá uma alternância entre momentos presenciais e à distância. Os encontros presenciais serão sempre realizados em locais arejados, amplos e com estruturas que garantam o distanciamento necessário para manter a segurança de todas as pessoas envolvidas. As atividades complementares serão disponibilizadas em uma plataforma, onde os jovens podem acessar todos os conteúdos através de apostilas, listas de exercícios e videoaulas.

Os interessados podem preencher a ficha de inscrição on-line (https://forms.gle/CMg9bPhBYaX8R5hi6).

 Sobre o Projeto

O PJER Diversidade tem como intuito formar e assessorar esses jovens para criarem e darem início ao desenvolvimento de seus projetos de negócios e/ou de impacto social em suas comunidades. O principal objetivo é promover a inclusão socioprodutiva de jovens LGBTQ+ a partir da ampliação de suas capacidades, do aproveitamento de sua resiliência, de suas potencialidades e vocações. Esses jovens serão, também, orientados e assistidos para integrar redes territoriais e para iniciarem um processo de formação como lideranças e protagonistas locais. Para que sejam agentes de transformações estruturantes na cultura de empreendedorismo e diversidade no território.

Em 2019, a Adel beneficiou 25 jovens rurais LGBTQ+ pelo PJER Diversidade. Esses jovens elaboraram projetos de negócios e/ou de impacto social em suas comunidades, com enfoque em empoderamento, desenvolvimento local e inclusão socioprodutiva. As duas edições deste Projeto são apoiadas pelo Itaú e Mais Diversidade.

Adel e Qair renovam parceria em prol do desenvolvimento local

A renovação de parcerias representa o fortalecimento de alianças e demonstra perfeitamente o trabalho da Adel com a Qair, Produtora Independente de Energia (IPP), que desenvolve, implanta e opera soluções baseadas em fontes renováveis.

Comprometida com o desenvolvimento local e sensível às questões socioambientais dos territórios onde atua, pelo segundo ano consecutivo, a Qair firmou parceria com a Adel para realizar programas socioambientais. Ano passado, a Adel desenvolveu o Projeto de Formação e Apoio a Jovens Empreendedores e Protagonistas Rurais com jovens de dezesseis (16) comunidades localizadas no entorno do Complexo Eólico-Solar Serrote da Qair no município de Trairi, no Ceará.

Desta vez, as ações realizadas pela Adel acontecem nos municípios Afonso Bezerra e Macau, no território potiguar. As comunidades no entorno do Complexo Eólico Afonso Bezerra, no Rio Grande do Norte, participam dos Programas de Segurança Hídrica, Educação Ambiental e de Comunicação Social. O objetivo é possibilitarmos a participação dos moradores para uma atuação efetiva na melhoria da qualidade ambiental e de vida na região.

O Diretor de Operações da Qair, Gustavo Silva, afirma que para a Qair é fundamental buscar parcerias com instituições que criem soluções de impacto para o desenvolvimento econômico e social no país, principalmente no momento atual. “Acreditamos que vencer os efeitos negativos causados pela pandemia é uma responsabilidade que deve ser compartilhada. Assumir esse compromisso faz parte da essência da companhia e estamos muito felizes em contar com a parceria da Adel para novos projetos socioambientais”, enfatiza.

Wagner Gomes, Adel, Hanná Louretto, Sulamita Holanda, Qair, e Aurigele Alves, Adel, no evento de lançamento do Projeto de Formação e Apoio a Jovens Empreendedores e Protagonistas Rurais em 2019

Os três Programas Socioambientais realizados pela Adel em parceria com a Qair, no Rio Grande do Norte, buscam potencializar os impactos positivos do empreendimento, promovendo o crescimento da região de forma sustentável. As atividades estão acontecendo obedecendo todos os protocolos de segurança da Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Política de Retomada das Atividades Presenciais da Adel. As atividades dos programas nas comunidades do Complexo Eólico serão até 2021.

Boas práticas na criação de galinha caipira

D. Maria Josefina, produtora no seu aviário na comunidade de Zabelê/Touros – RN

A criação de galinha caipira é uma das principais atividades economicamente viáveis no Brasil. O País é o terceiro maior produtor de carne de frango do mundo, de acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). A atividade é típica da agricultura familiar, e, tem se tornado uma alternativa de negócio para a população rural.

O sistema de criação de galinhas caipiras consiste na construção de instalações simples e funcionais, a partir dos recursos naturais disponíveis nas propriedades. O principal objetivo da instalação de aviários é oferecer um ambiente higiênico e protegido, que não permita a entrada de predadores e ajude a amenizar os impactos de variações extremas de temperatura e umidade, além de assegurar o acesso das aves a alimento e água.

Joelma Cassiano, jovem produtora no seu aviário na comunidade de Tubibus/Touros – RN

É importante que cada agricultor/a antes de iniciar uma criação de galinha caipira pesquise e escolha o tipo de sistema de criação adequado para sua propriedade. Após definir o sistema de criação, o passo seguinte é a construção e o manuseio de instalações adequadas. Por último, todos os agricultores/as devem realizar o manejo sanitário dos animais e do ambiente de instalação, adotar um calendário de vacinação, observar diariamente a saúde dos animais, limpar regularmente as instalações e equipamentos. Com esses cuidados básicos é possível alcançar melhores resultados econômicos com a produção de galinha caipira, ampliar a diversidade e ter uma renda familiar melhor.

Fortalecimento da avicultura nas comunidades rurais

A construção coletiva e cooperativa de um modelo de manejo tecnicamente adequado para a produção de galinha caipira nas comunidades gerando troca de conhecimentos entre agricultores e agricultoras é um dos objetivos dos projetos desenvolvidos pela Adel. No Rio Grande do Norte, 14 famílias de (3) comunidades rurais do município de Touros, foram contemplados com unidades experimentais para produção de galinha caipira, por meio do Programa EDP Renováveis Rural, iniciativa da EDP Renováveis.

As irmãs Drielizane Gondim, 26, e Edvânia Gondim, 28, estão entre as mulheres da comunidade Lagoa de Serra Verde, em Touros, que apostaram na criação de galinha caipira para ter sua própria renda no meio rural. Além de participarem de todas as formações que foram ministradas pela Adel ano passado, elas assumiram todo o processo de gestão do empreendimento, utilizando as técnicas que aprenderam.

Edvânia Gondim, jovem avicultura da comunidade de Lagoa de Serra Verde/Touros – RN

Segundo o Coordenador de Projetos da Adel, Paulo Segundo, antes das formações as famílias criavam galinha caipira de forma extensiva, não tinham um retorno financeiro significativo e pouco era investido na atividade. “As famílias foram contempladas com uma unidade experimental para criação de galinha caipira tornando suas atividades mais rentáveis. Elas têm seguido as orientações técnicas e ampliado os cuidados com as aves, higienização do espaço e alimentação”, relata.

Mas, além da gestão dos aviários, as irmãs Drielizane e Edvânia, começaram a mobilizar outras mulheres na comunidade e fundaram a Associação da Comunidade Lagoa de Serra Verde (ASLAG) com o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva local e contribuir com o desenvolvimento comunitário. Edvânia, inclusive, foi eleita por unanimidade, Presidente da Associação Comunitária.

Jovem LGBTQI+ adapta seu Projeto de Negócio durante a pandemia

Simão Castro, 25, mora em São Gonçalo do Amarante, no Ceará, e trabalha na área de beleza e maquiagem há seis anos. Ele é um dos jovens beneficiados pelo Projeto Diversidade e Empreendedorismo de Jovens Rurais, estratégia da Adel que visa impulsionar o desenvolvimento de empreendimentos de negócios e de impacto socioambiental com jovens LGBTQI+ no interior do Ceará.

Com a crise ocasionada pela pandemia da Covid-19, Simão Pedro teve que parar suas atividades e reinventar o seu negócio. “Eu me dedicava mais à área da maquiagem e deixava minha mãe responsável pela parte das vendas. Até que veio a pandemia e tive que mudar meu foco, passei a investir nos cosméticos porque assim era possível continuar empreendendo por meio deles”, explica.

Segundo o jovem, os conhecimentos adquiridos durante as atividades de capacitação realizadas pela Adel lhe ajudaram nesse processo. “Durante o Curso de Empreendedorismo e Protagonismo Social aprendi o significado da palavra resiliência. Percebi o quanto ela esteve presente nos últimos meses deste ano. Apesar das dificuldades, replanejei meu projeto de negócio, estou trabalhando estratégias de marketing digital e agora estou focado apenas nas vendas de cosméticos pelas redes sociais”, enfatiza.

Simão e sua mãe, Lusiclea Castro.

O jovem, que utiliza seu perfil @_simaopedr0 como principal canal de vendas, também passou a oferecer consultoria sobre cuidados com a pele, rosto, corpo, dicas de maquiagens, perfumaria e tratamentos; seguindo, é claro, todos os cuidados de proteção que o período exige.

“Até agora tem dado para fazer a venda de cosméticos e de consultoria pelas redes. Aprendi novas técnicas nesse período e fortaleci a parceria com a minha mãe. Agora as minhas redes sociais são os principais meios de divulgação do meu negócio. A gente sempre encontra um jeito para continuar, apesar de ser muito difícil. Pretendo seguir com tudo isso após a pandemia, é uma nova forma de empreender”, reforça Simão. Confira no vídeo como  o jovem conseguiu contornar as dificuldades.

Sobre o Projeto

O Projeto Diversidade e Empreendedorismo de Jovens Rurais integra as atividades do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) e trabalha estratégias de fomento ao desenvolvimento de empreendimentos de negócios e de impacto socioambiental em meio rural, no contexto do semiárido do Nordeste brasileiro.

O PJER Diversidade alia o acesso dos jovens LGBTQI+ beneficiados a conhecimentos, crédito, redes colaborativas e tecnologias. O projeto é realizado em parceria com o Itaú e a consultoria Mais Diversidade. Ainda esse semestre, haverá inscrições para a segunda edição do projeto.

Selecionados para o Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER)

A Adel anuncia a lista de jovens selecionados para a nova turma do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER), com foco exclusivo no município de São Gonçalo do Amarante/CE. Mais de 70 jovens, com idade entre 18 e 32 anos, que moram nas comunidades Pecém, Taíba, Siupé, Parada, Umarituba, Croatá e sede do município, participaram da seleção.

O processo seletivo foi composto por duas etapas: preenchimento da ficha de inscrição on-line, e entrevistas in loco com os jovens e suas famílias. As entrevistas foram conduzidas pela equipe de Programas da Adel e aconteceram ao longo das últimas semanas, respeitando todos os cuidados de saúde e segurança do contexto pandêmico.

A primeira atividade que os trinta (30) jovens selecionados vão participar é o Curso Protagonismo e Empreendedorismo de Negócios e de Impacto Socioambiental. A formação será realizada no município de São Gonçalo do Amarante/CE. A aula inaugural será on-line, prevista para o dia 21 de setembro.

Confira a lista dos selecionados:
https://drive.google.com/file/d/1Qt2MaE-je3ZfmXx4RSGdaYh6saUNoYl4/view?usp=sharing

O Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER)

Em tempos de pandemia, a Adel precisou promover uma verdadeira transformação digital do PJER para adequá-lo dentro das recomendações de distanciamento social e atender novos jovens que desejam ingressar no Programa.

O processo formativo seguirá todas as recomendações de saúde e segurança diante o contexto pandêmico. Haverá uma alternância entre momentos presenciais e à distância.

Após o Curso e com o Projeto de Negócio em mãos, os jovens podem acessar recursos financeiros no Fundo Veredas, estratégia de microcrédito desenvolvida pela Adel e que receberá investimentos financeiros da EDP, administradora da UTE Pecém, por meio do Instituto EDP, organização que há doze anos gere as ações socioambientais do Grupo EDP, para investir na sua ideia.

Adel finaliza série sobre a cadeia produtiva do leite

Produtora de leite durante seminário de abertura do Projeto Estruturação da Cadeia Produtiva do Leite, em fevereiro de 2020.

Na última quarta-feira, 26/08, a Adel realizou o último episódio da série “Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite” no YouTube da instituição. A série é uma ação do Projeto Estruturação da Cadeia Produtiva do Leite realizado em dois territórios do Ceará (Médio e Baixo Jaguaribe e na região de Sobral), em parceria com o Banco do Nordeste do Brasil (BNB), por meio do Programa de Desenvolvimento Territorial (PRODETER).

Foram catorze (14) episódios com a participação de especialistas na área, nomes importantíssimos para o fortalecimento dessa cadeia produtiva. Abordando temáticas como cenário e desafios para a cadeia produtiva de leite; planejamento para o sucesso da propriedade rural; o bem-estar, nutrição e sanidade animal; arranjos produtivos locais, dentre outros. Um projeto pensado e realizado com muito empenho e dedicação, cujo intuito foi proporcionar a muitos agricultores/as o acesso ao conhecimento e fazer a diferença em suas vidas, principalmente em meio à crise ocasionada pela pandemia da covid-19.

Para Roberto Simeão, produtor de leite que mora no município de Morada Nova/CE, a série foi uma ótima oportunidade de adquirir novos saberes nesse período de distanciamento social. “Gostaria de parabenizar a Adel por ter realizado essa iniciativa nesse período tão preocupante que estamos passando, por se preocupar em interagir com os produtores. Os temas foram muito importantes e atuais, vão permitir que os produtores leiteiros possam melhorar e otimizar suas atividades”, enfatiza.

Os episódios foram transmitidos semanalmente. Um bate-papo ao vivo no YouTube da Adel, onde os produtores participavam a partir de um chat interativo. Cada novo encontro trazia estratégias e técnicas viáveis e aplicáveis para estruturação da cadeia produtiva da bovinocultura de leite.

Alano Luna, Dr. em Zootecnia e Especialista de Projetos da Adel, afirma que a série trouxe bastante conhecimento e pautas de extrema relevância para a atividade. “A série de webinars foi de suma importância nesse período de distanciamento social e contribuiu significativamente para o setor da bovinocultura leiteira no Ceará. Depois desses 14 episódios, o retorno dos produtores tem sido bastante positivo”, enfatiza.

A série buscou difundir, entre os produtores de leite, novos conhecimentos, soluções e tecnologias sociais, ambientais, técnicas e economicamente viáveis, permitindo um ganho de qualidade, de eficiência e agregação de valor à produção no território. Todos os episódios seguem disponíveis no canal da Adel, com uma playlist exclusiva para as temáticas abordadas durante os últimos meses.

Sobre o Projeto

O Projeto Estruturação da Cadeia Produtiva do Leite visa contribuir para o aumento da produtividade e da rentabilidade na atividade de bovinocultura de leite nos territórios onde atua. Objetiva ampliar as capacidades técnicas e de gestão das pequenas propriedades rurais; fortalecer as estruturas organizativas para aumentar a efetividade de estratégias de desenvolvimento da atividade econômica; e, difundir entre os produtores conhecimentos, soluções e tecnologias que gerem resultados efetivos em curto e longo prazo.