Empreendedorismo Feminino, Protagonismo e Cooperação

Hoje, 19 de novembro, comemoramos o Dia do Empreendedorismo Feminino, data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), a partir de uma iniciativa da ONU Mulheres, a fim de apoiar o público feminino contra a desigualdade de gênero no mercado de trabalho.

Para nós é muito importante destacarmos essa data. Trabalhamos diariamente com mulheres que empreendem, lideram seus negócios e são protagonistas em suas comunidades. No Brasil, de acordo com a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor 2020 (GEM), as mulheres empreendedoras somam mais de 30 milhões.

Na comunidade Arribão, município de Touros/RN, as mulheres são as protagonistas das mudanças locais. Há tempos, as donas de casa queriam de alguma forma também trabalhar e gerar uma renda extra para ajudar nas despesas. Então, o grupo fundou a Associação Nossa Senhora de Fátima em 2017. Antes sem local fixo, com muita ousadia e persistência iniciaram uma produção coletiva de bolos caseiros, na cozinha da sogra de Flaíze de Oliveira, líder da Associação Comunitária de Arribão. “A ideia era vender os produtos porta a porta em Arribão, nas localidades vizinhas e em um pequeno comércio na própria comunidade. A gente pensou nessa solução porque era uma coisa que todas sabíamos fazer”, explica.

Flaíze de Oliveira, líder da Associação Comunitária de Arribão

Hoje, cerca de nove mulheres que compõem a Associação possuem um local para fortalecer a atuação do grupo na comunidade, o Centro Comunitário. “Pra gente é a realização de um sonho muito antigo, não estamos nem acreditando. É uma alegria muito grande ter esse espaço para que possamos nos reunir e realizar nossas atividades. Nossa expectativa é que fortaleça ainda mais o nosso grupo”, comemora Flaíze.

Centro Comunitário

O Centro Comunitário, gerido pela Associação, foi inaugurado na última quinta-feira, 18 de novembro. Construído por nós, a ação faz parte do projeto socioambiental desenvolvido pela CPFL Energia Renováveis no município. O local tem aproximadamente 56m² e conta com recepção; salão para reuniões, palestras e oficinas; vestiário; banheiro, com acesso a cadeirantes; despensa e cozinha, onde são produzidos bolos e quentinhas. Também foi construída, na área externa, uma cisterna de placa de 7 mil litros, visando garantir uma reserva de água. Além de toda essa infraestrutura, as mulheres foram capacitadas e acompanhadas para o desenvolvimento e consolidação do empreendimento.

“Fizemos todo o processo de pesquisa de preço para selecionar a construtora que iria assumir os trabalhos. Estivemos à frente da compra do material e acompanhamos toda a obra. Estamos ainda realizando um trabalho de assessoria com a comunidade”, explica a nossa Gerente de Novos Negócios, Regma Queiroz. Também fomos responsáveis por realizar o diagnóstico socioambiental em Arribão e, foi justamente durante as visitas e reuniões, que identificamos nas mulheres de lá esse perfil empreendedor e o engajamento delas em ações que buscam melhorias para a comunidade.

Com o incentivo da CPFL Renováveis, elas conseguiram aprimorar seus conhecimentos e passaram a fazer cursos no município vizinho. Todos os dias, uma van ia buscar o grupo, que se deslocava para João Câmara. O percurso era de uma hora e meia. Muitas vezes, elas precisavam levar os filhos pequenos porque não tinham com quem deixá-los. “Pensamos em desistir algumas vezes, pois os resultados não aparecem da noite para o dia. Mas, quando uma mencionava isso, outra já trazia palavras de encorajamento”, relata Flaíze. Desta forma, elas conseguiram concluir três cursos de capacitação.

Com a entrega do Centro Comunitário, a ideia é ampliar as atividades e fazer refeições (quentinhas e “prato feito”), pois já perceberam que existe a demanda. Além disso, estão em negociação com a Conab, empresa pública vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, para comercializarem esses produtos em uma grande rede de escolas, hospitais e postos de saúde. O protagonismo e a resiliência dessas mulheres é fundamental para o processo de desenvolvimento local de seus territórios.

A importância da COP26 para um futuro sustentável

Hoje, 12 de novembro, é o último dia da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26), que acontece desde o dia 31 de outubro em Glasgow, na Escócia. Representantes de 193 países participam da Conferência, para pensarem estratégias que possam frear os efeitos das mudanças do clima, tendo em vista a construção de economias mais verdes e resilientes, que possam garantir um futuro sustentável para o nosso planeta.

A COP26 nos faz pensar ainda mais sobre como estamos usando os recursos naturais disponíveis. A cada encontro de lideranças e ativistas globais sobre meio ambiente, a questão parece ser a mesma: como e quando vamos parar de explorar esses recursos cada vez mais limitados e começar a aproveitá-los de forma sustentável?

Para o nosso Diretor de Desenvolvimento, Gláucio Gomes, trata-se, de uma mudança de paradigma, de uma transição ética pela qual a governança global precisa passar. “No que tange a agricultura, há muito no que se pensar e discutir. Para uma parcela significativa da população, inclusive para muitos que participam da COP26, a agricultura é negócio. Mas o fato é que agricultura também é produção de comida. É trabalho e renda, é organização social no campo, garantia de direitos humanos e subsistência, é cultura e identidade, e lugar no mundo para milhões de agricultores. Em muitos casos, a agricultura é o que dá sentido às vidas de famílias e comunidades”, destaca.

A agricultura é o cerne do segundo Objetivo para o Desenvolvimento Sustentável (ODS 2): acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável. Para alcançarmos esse objetivo é necessário pautar a agricultura como gestão social e ambiental. Há dois alvos críticos nessa discussão: a importância das comunidades e do poder local e a forma como a agricultura é organizada e estruturada, principalmente no que tange a aspectos fundiários e de incentivo à cooperação entre produtores. Ambos os pontos convergem para a importância crucial do território para promover uma agricultura sustentável.

Portanto, é possível e mais recomendável para o futuro deste planeta, pensar em uma agricultura humanizada, com função social e onde, na equação, se considere os milhões de camponeses do mundo. Já existem estratégias de desenvolvimento agrícola que conferem sustentabilidade a partir de uma lógica de inclusão social, econômica e produtiva, de democratização fundiária e de ampliação de capacidades pelos atores locais. A exemplo, as nossas ações de fomento à criação e ao desenvolvimento de cooperativas e de negócios comunitários, a formação de Arranjos Produtivos Locais e o fortalecimento de cadeias de valor com base em vocações locais.

Criar e implementar mais estratégias de fortalecimento da agricultura familiar passa por políticas e programas de incentivo e investimento na agricultura de base, e, portanto, pelo voto de confiança que precisa ser feito por líderes estatais e empresariais em nível global. Acreditamos que a COP26 é um lugar possível para começarmos a fortalecer essas ações.

Jovens da Bahia participam de minicursos sobre Empreendedorismo e Educação Financeira

Dando continuidade ao projeto Juventude.com, em parceria com o Instituto Lina Galvani (ILG), realizamos dois minicursos com os 25 jovens selecionados em Angico dos Dias, no município Campo Alegre de Lourdes, na Bahia. Os temas trabalhados foram Empreendedorismo e Educação Financeira.

O processo formativo segue a abordagem pedagógica da aprendizagem cooperativa, estimulando a visão da juventude local para o desenvolvimento de ações que beneficiem toda a comunidade. Essa vivência de aprendizagem estimula a interação, a comunicação e o protagonismo dos jovens para contribuírem com o desenvolvimento deles próprios e do território, com o auxílio das tecnologias da informação e comunicação.

No primeiro encontro, foram trabalhados conceitos de educação financeira, origem do dinheiro, sua aplicação na sociedade capitalista, perfil econômico, estado atual financeiro e elaboração de um plano de poupança para realização de objetivos de curto, médio e longo prazo.

“Falar sobre educação financeira é muito importante, mesmo agora quando ainda não provemos de renda, pois nos prepara para ter uma boa relação com o dinheiro”, relata Dorinha Oliveira, 19, jovem beneficiada.

Já no encontro sobre Empreendedorismo, os jovens debateram sobre a importância de empreender, quais são os primeiros passos necessários para iniciar essa jornada, tendo como base de conhecimento o nosso livro Todxs Podem Empreender. Ao longo das atividades, os jovens identificaram possíveis oportunidades de negócios e fizeram análises rápidas sobre oportunidades e necessidades.

Como atividade prática, eles sistematizaram algumas ideias de negócios que poderiam ser aproveitadas na comunidade, propostas para soluções de problemas comuns, como ações de acesso à cultura, de melhoria na qualidade da saúde, da coleta do lixo, ideias que vão de encontro a soluções de problemas que são enfrentados por todos.

“O empreendedorismo pode ser um caminho de oportunidades para nós jovens aqui de Angicos, assim como tem sido para jovens no Ceará”, reforça Meiry Pereira, 22, jovem beneficiada.

Formação continuada

Após os encontros presenciais, os jovens seguem no percurso formativo por meio das plataformas digitais. Nas aulas remotas, nós trabalhamos os conteúdos complementares e as atividades que foram conduzidas presencialmente. Além de ser um espaço para devolutivas das atividades que são encaminhadas durante as oficinas presenciais, é também uma oportunidade de relembrar os conceitos e os temas trabalhados anteriormente.

“Eu acredito que a continuidade do processo formativo é necessária e muito importante para a ampliação das capacidades dos jovens, mas principalmente para criar uma cultura de leitura e de busca por novos conhecimentos. Dando a esses jovens a oportunidade para estarem em constante processo de desenvolvimento, de aprendizado, fazendo com que eles percebam que a educação pode ser talvez o único caminho que os levará para a realização dos seus sonhos”, reforça Aurigele Alves, nossa Diretora de Programas, que já esteve duas vezes colaborando com os jovens de Angico dos Dias.

Segundo Aurigele, os jovens participam do projeto com muitos sonhos, mas também com dificuldades em definir metas, construir um plano de ação e um projeto de vida. E ressalta que isso tem sido trabalhado nos encontros formativos, permitindo que todos eles construam um projeto de vida pautado em um plano de ação, que vai desde aquisição de bens, serviços, a conquista da casa própria, melhoria da qualidade de vida na comunidade, do acesso aos estudos, empreendedorismo, geração de renda, empregos, dentre outros.

Próximos passos

Nos dias 26 e 27 de outubro, os jovens participam do Minicurso Ferramentas básicas de informática e Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs). Nesta formação vamos trabalhar os conceitos básicos de informática e TICs de forma lúdica e cooperativa. Eles serão estimulados a descobrirem as melhores estratégias de acesso às tecnologias de informação e comunicação para o dia-a-dia, facilitando a aprendizagem por meio da leitura, interação e navegação na web.

O Projeto Juventude.com visa fortalecer o protagonismo juvenil e o empreendedorismo rural. O curso Protagonismo e Cultura Digital é um dos componentes do Projeto, realizado em parceria com o Instituto Lina Galvani (ILG). Além da formação, o projeto prevê a implantação de um Centro Integrado de acesso à Tecnologia da Informação e Comunicação gerido pelos próprios jovens e com sustentabilidade econômico-financeira em longo prazo.

Comunidades de Pernambuco são beneficiadas com cisternas e aprendem a tratar água por meio do sol

As famílias dos municípios de Caetés, Capoeiras e Venturosa, em Pernambuco, precisam se deslocar cerca de quinhentos a dois mil metros de distância para terem acesso a um item básico, essencial para a vida humana: a água. Quando não conseguem fazer essa coleta, mesmo com a situação de vulnerabilidade que enfrentam, a opção é pagar por galões de até 12 mil litros transportados por carros-pipa, pois os que são distribuídos pelo governo não conseguem suprir todas as necessidades.

Esse problema não afeta somente os municípios de Pernambuco. De acordo informações do Portal Agência Brasil, o país enfrenta a pior crise hídrica registrada nos últimos 91 anos, ocasionada por diversos fatores, tais como a imprevisibilidade das chuvas e a ausência de tecnologias de captação e armazenamento de água. O programa Echosocial – Ventos que Transformam, desenvolvido pela Echoenergia, com o apoio do Banco Nacional do Desenvolvimento, BNDES, tenta mudar a realidade de moradores que ficam nas proximidades do parque eólico da Echoenergia, com a construção de 126 cisternas de placas no território e instalação do Aqualuz – tecnologia voltada à purificação da água para o consumo humano. Até o momento, 70 dispositivos foram instalados nas cisternas.

O Aqualuz é uma tecnologia da startup nordestina SDW, que já foi premiada e reconhecida até pela ONU. Todo o trabalho é executado pela Agência de Desenvolvimento Econômico Local, Adel. “As cisternas vão beneficiar um total de treze comunidades. Com a ação, nós vamos universalizar o acesso à água potável a todas as famílias de baixa renda da zona rural do entorno; um território bastante extenso, mas que ainda não tinha nenhum reservatório de água”, explica o Diretor de Novos Negócios da Adel, Wagner Gomes.

Água potável por meio do sol

Primeiro equipamento do mundo voltado para potabilizar a água de cisternas por meio do sol, o Aqualuz é uma tecnologia simples e de fácil manejo. A Adel, como entidade executora do programa, trouxe a SDW para trabalhar junto com as famílias a desinfecção da água das cisternas.

A potabilização da água é realizada na fase de armazenamento, após a filtração, em que a água fica exposta ao sol. Nesta etapa, a radiação solar e a alta temperatura atuam de modo a desativar o DNA dos patógenos presentes na água, tornando-a potável. A tecnologia utilizada age de modo a eliminar os microorganismos presentes, não sendo capaz de tratar águas com contaminações químicas.

Cisterna com o dispositivo Aqualuz instalado

O Aqualuz é um dispositivo desenvolvido especificamente para o contexto do semiárido nordestino de forma a aplicar a metodologia do SODIS (sigla em inglês para Purificação Solar da água) considerando aspectos culturais e socioeconômicos da população local. Constitui-se por um reservatório de aço inox 304 com lâmina d’água de 5 centímetros, de tampa de vidro acoplado a um filtro físico para redução de turbidez, que pode ser trocado por vários materiais presentes no dia a dia da família como, por exemplo, pedaços de pano de algodão. Seu funcionamento é muito simples, o usuário instala o filtro na bomba da cisterna, bombeia a água, que vai até o reservatório principal e fica estocada em exposição direta ao sol até que o indicador termossensível mude de cor e o usuário possa retirar a água.

Edson Costa, agricultor beneficiado com uma cisterna e um Aqualuz

Cinco jovens dos municípios beneficiados já receberam uma oficina de capacitação para entenderem como funciona a implantação de tecnologias sociais voltadas para a captação, armazenamento, gestão e tratamento dos recursos hídricos. “Eu fiquei impressionado, porque quem poderia imaginar que a água pudesse ser tratada naturalmente, com uma coisa que a gente tem tanto: o sol?”, relata o agricultor Edson Costa, de 24 anos. Ele participou da oficina e foi beneficiado com uma cisterna e um Aqualuz próximo à sua residência.

Adel anuncia projetos de jovens com foco na Agenda 2030 e abre votação popular

A Adel anunciou, hoje, as sete (7) iniciativas elaboradas pelos beneficiários do Projeto Jovens Empreendedores e Protagonistas Rurais, realizado em Parazinho e São Miguel do Gostoso, ambos municípios do Rio Grande do Norte, em parceria com a Elera Renováveis.

Os projetos elaborados pela juventude local priorizam a Agenda 2030 – os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e foram construídos durante o Laboratório de Criação de Iniciativas Locais, realizado no último mês no estado potiguar. Nesta edição, os projetos abertos para votação popular são dos jovens das comunidades Antônio Conselheiro e Tábua, em São Miguel do Gostoso/RN.

As iniciativas visam destacar a importância de ações sustentáveis para o desenvolvimento local. Entre os projetos estão propostas sobre coleta seletiva do lixo, horta e cantina comunitária, incentivo ao desporto, ao empreendedorismo e ao artesanato local. Os ODS que estão relacionados às ações dos projetos são: ODS 1 – Erradicação da pobreza; ODS 2 – Fome zero e agricultura sustentável; ODS 4 – Educação de qualidade; ODS 6 – Água potável e saneamento e ODS 10 – Redução das desigualdades.

Segundo Aurigele Alves, Diretora de Programas da Adel, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável formam a linha condutora e estão presentes no marco conceitual do Projeto Jovens Empreendedores e Protagonistas Rurais.  A Agenda 2030 é uma plataforma muito impactante e com potencial a ser aproveitado para engajar atores estratégicos em processos de desenvolvimento em nível local.

“O Projeto propõe que estudantes, professores e lideranças comunitárias que estão inseridas no contexto do semiárido do Nordeste brasileiro pensem, aprendam e adotem estratégias a partir dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), através do protagonismo manifestado em iniciativas como as dos projetos elaborados pelos jovens ao longo da formação”, destaca Aurigele.

Você pode conferir mais informações sobre os projetos e votar na sua iniciativa preferida até 22/10. O projeto vencedor receberá um crédito no valor de R$3.500 para implementar a ideia.

Acesse e vote: https://forms.gle/SCXJGxJy93ESNM9T8

Jovens do PJER participam da Incubação Motirô para Negócios de Impacto Social

 

Três jovens empreendedoras integrantes do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) da Adel: Sabrina Santos, 26, comunidade Vila Bezerra, São Luís do Curu/CE; Jéssica Gama, 27, comunidade Núcleo A Serrota, Pentecoste/CE; e, Rayssa Duarte, 30, comunidade Boca da Picada, São Gonçalo do Amarante/CE, foram selecionadas para participar da Incubação Mutirô prevista para encerrar nesta semana.

A Incubação Motirô para Negócios de Impacto Social começou em junho deste ano e possibilitou aos participantes o acesso a conhecimentos e ferramentas para estruturar seus negócios de impacto social. No total, 20 jovens empreendedores de periferias urbanas e rurais da região Nordeste foram selecionados.

Além da trilha de aprendizagem, composta por uma formação de 06 módulos para aprofundar conhecimentos, esclarecer dúvidas e construir ferramentas para estruturar os negócios, os selecionados passam a integrar uma comunidade que dá suporte e aproxima possíveis investidores.

A Incubação é uma iniciativa da Motirô, do Impacta Nordeste e da Verda, em parceria com a ANIP e a AfroImpacto. Conta com apoio da Adel, junto com o Instituto Sabin e dezenas de pessoas.

Flor do Sertão

O empreendimento da jovem Sabrina Santos, denominado Flor do Sertão, desde o início da Incubação Motirô passa por uma remodelagem.   Além da floricultura que produz jarros rústicos de cactos e suculentas ornamentais, Sabrina passou a desenvolver um projeto social que visa ofertar oficinas socioambientais com o objetivo de despertar o interesse de jovens rurais de São Luís do Curu a permanecerem em suas comunidades. Ela tem esperança e acredita num semiárido desenvolvido, onde jovens podem se manter produtivos nos territórios que nasceram e foram criados.

“Quando participei da formação do PJER, aprendi a ter uma visão de como empreender e enxergar oportunidades, agora através da Incubação Motirô estou somando ideias com outros negócios, reaprendendo a empreender, a sair da zona de conforto e visualizar ainda mais longe. A experiência é gratificante, ainda mais quando se tem cooperação nas aulas, as partilhas de vários outros empreendedores são demais. Nós da Flor do Sertão estamos atuando em um novo nicho, o que traz novos desafios e essa conexão é crucial nas vivências que estamos construindo”, reforça Sabrina.

AGREGA – Assessoria Agroecológica

O empreendimento da jovem Jéssica Gama foca na agricultura sustentável e no seu sonho de permanecer no meio rural com qualidade de vida e renda. A Engenheira Agrônoma, além de auxiliar o tio, Sr. Francisco Gama, 50, no cultivo de hortaliças e frutas na propriedade da família, trabalha prestando serviços de assistência técnica em agricultura sustentável (consultoria e assessorias) para agricultores e empresas.

Jéssica está criando a AGREGA – Assessoria Agroecológica focada no público feminino que trabalha com produções agroecológicas na Agricultura Familiar. Estou bastante empolgada com essa nova fase profissional. Além de uma especialização em Sistemas Agrícolas Sustentáveis no Seminário, estou desenvolvendo um projeto de assessoria, a AGREGA – Assessoria Agroecológica, um projeto particular novo que agora está saindo do papel através da minha participação na Incubação Motirô”, comemora Jéssica.

Cooperativa Caroá

Para a jovem Rayssa Duarte, associada da Cooperativa Caroá, responsável pela área de comunicação, montagem e confecção de cestas delivery da Cooperativa Caroá, a a participação na Incubação Motirô, vai ajudar na remodelagem da feira física da Cooperativa pós pandemia.

Por conta da Covid-19 os jovens da Cooperativa Caroá iniciaram a Feira Caroá em Casa, uma estratégia solidária e mais segura para atender os clientes que frequentavam a Feira Caroá presencial na Praça das Flores em Fortaleza. “É muito enriquecedor conhecer vários outros empreendimentos nordestinos, em sua maioria liderado por mulheres negras, apoiando movimentos sociais urbanos na periferia e em contrapartida nós jovens agricultores do campo com outros desafios sociais, mas que se encontram porque vivemos as mesmas provocações: empreender em situação de resiliência constante. Fiquei muito grata em ser selecionada e pensar formas para alavancar meu empreendimento com impacto social”.

Rayssa lidera junto com vinte jovens do território cearense as atividades da Cooperativa Caroá, cujo principal canal de comercialização hoje, são as entregas delivery, a Feira Caroá em Casa. Além de promover o protagonismo feminino e o fortalecimento da agricultura familiar, a estratégia gera renda e possibilita ao consumidor o acesso a um alimento seguro e com um preço justo.

Sabrina, Jéssica e Raysa são protagonistas sociais do território que impactam outros jovens, através de suas ações, difundindo as cores do sertão mundo à fora. No último dia da trilha de aprendizagem, elas compartilharam seus projetos atualizados. Elas estão saindo dessa jornada com mais conhecimento sobre o processo de gestão dos negócios, com muitos contatos e boas amizades.

Adel contrata Especialistas em Bovinocultura de Leite

A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel), que atua em todo o Nordeste, investe na contratação de novos colaboradores. Estamos com duas vagas abertas para contratação imediata de profissionais com interesse em atuar no fortalecimento da cadeia produtiva de bovinocultura leiteira, impulsionar a produtividade e o desenvolvimento local sustentável nos territórios de Sobral e Baixo Jaguaribe no Ceará.

As vagas para Especialistas em Bovinocultura do Leite possuem carga horária de 40h/semanais, vínculo CLT, com regime compensatório por meio de banco de horas. O salário é compatível com a função.

Requisitos/Perfil desejado

  •         Especialidade em Bovinocultura de Leite;
  •         Experiência em implementação de projetos de bovinocultura leiteira e convivência com o semiárido;
  •         Experiência em assistência técnica / extensão rural junto produtores de leite de comunidades rurais no Ceará;
  •         Conhecimento em Projetos e Políticas Públicas de desenvolvimento sustentável e econômico; Conhecimento na cadeia produtiva da bovinocultura leiteira a nível estadual;
  •         Familiaridade com aspectos culturais e sociais do povo sertanejo (população dos territórios);
  •         Conhecimento sobre legislação que rege a atividade de produção de leite, bem como em as associações e cooperativas no âmbito federal e estadual;
  •         Habilidade para redigir relatórios e documentos técnicos;
  •         Dinamismo e sensibilidade para formação de grupos comunitários com metodologias participativas e populares;
  •         Conhecimento básico de informática, com preferência em Microsoft Office em ambiente Windows; Possuir CNH categoria AB;
  •         Disponibilidade para viagens de campo;
  •         Escrever bem e expressar-se bem em público.

Principais atividades

  •         Realização de planejamento, implantação e execução de atividades e visitas às propriedades rurais dos bovinocultores beneficiados;
  •         Realização e aplicação em campo de diagnóstico socioambiental rural e acompanhamento de projetos; Realização de mobilização, sensibilização e capacitação dos bovinocultores beneficiados pela Adel; Articular reuniões e eventos com as comunidades e parceiros locais;
  •         Acompanhamento técnico dos bovinocultores beneficiados pela Adel;
  •         Realização de dias de campo, assessorias e elaboração de plano de negócios da propriedade;
  •         Acompanhar a implantação de unidades de referências da bovinocultura leiteira nos territórios de sobral e baixo Jaguaribe;
  •         Acompanhar a implantação e desenvolvimento de projetos junto às comunidades rurais beneficiadas pela Adel;
  •         Redigir e/ou consolidar relatórios técnicos que contribuem para a implementação dos projetos.
  •         Acompanhamento de comunidades e execução de outras atividades pertinentes a rotina de campo e escritório;
  •         Executar outras atividades correlatas à função.

Benefícios

Plano de Saúde (50%), Plano Odontológico; Seguro de Vida e Auxílios para Transporte e Hospedagem nos territórios de Sobral e Baixo Jaguaribe no Ceará.

Local de trabalho

Sobral e Baixo Jaguaribe no Ceará.

Como se candidatar

Os interessados deverão enviar o CV com pretensão salarial até 12/10 para adel@adel.org.br com o assunto: Especialista em Bovinocultura Leiteira.

Adel retoma atividades presenciais do PJER em RN

No início de setembro, a Adel retomou as atividades presenciais do Projeto Jovens Empreendedores e Protagonistas Rurais. A iniciativa, que faz parte do escopo de atuação do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER), seria executada nas Escolas Estaduais de Ensino Médio Senador Jessé Pinto Freire, em Parazinho, e a Olímpia Teixeira, em São Miguel do Gostoso, ambos municípios do Rio Grande do Norte.

Com a crise sanitária mundial, provocada pela Covid-19, houve um reposicionamento estratégico e o Projeto passou a ser realizado diretamente nas comunidades rurais com maior incidência de estudantes ou que concentram números significativos de adolescentes e jovens.

Nos dias 2 e 3 de setembro foram realizadas duas oficinas em Antônio Conselheiro e Tábua, comunidades rurais do município São Miguel do Gostoso/RN. Mais de 20 jovens participaram dos encontros formativos, seguindo todos os protocolos de saúde e segurança diante o contexto pandêmico.

Os temas trabalhados foram Cultura de Paz e Cooperação, com o intuito de fortalecer o debate sobre direitos humanos; e, Laboratório de Criação de Iniciativas Locais, dando destaque a tecnologias sociais e sua importância no processo de sustentabilidade e desenvolvimento local. Grupos de jovens que concluem a formação em São Miguel do Gostoso, em breve irão apresentar seus projetos e participarão de uma premiação para avaliar e reconhecer as melhores micro iniciativas que disseminem e fortaleçam os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), em suas comunidades locais.

Para Jussara Barbosa, 23, jovem beneficiada na comunidade Antônio Conselheiro, o acesso a novos conhecimentos é gratificante. “Para nós da zona rural, as oportunidades de estudo são poucas por causa da dificuldade econômica e de deslocamento, fico agradecida de fazer parte deste projeto grandioso que tem melhorado nossos conhecimentos e nos dado oportunidade de crescer”, comemora.

Jovens beneficiados pelo Projeto Jovens Empreendedores e Protagonistas Rurais no Rio Grande do Norte

Sobre o Projeto

Antes dos primeiros casos de Covid-19 no Brasil, em fevereiro de 2020 foram realizados encontros formativos com os professores das duas escolas que seriam beneficiadas. A Oficina Abordagem Pedagógica da Aprendizagem Cooperativa contou com a participação do corpo docente das duas instituições, que foi convidado a participar do Projeto e analisar possibilidades e potencialidades do ensino, debater e propor estratégias, soluções e práticas para introdução de uma educação contextualizada nos planos e projetos pedagógicos de suas escolas.

Ainda em 2020, seguindo as recomendações e os protocolos de saúde e segurança daquele período, já nas comunidades rurais Antônio Conselheiro e Tábua, foram realizados encontros com jovens beneficiados. Os temas trabalhados foram Protagonismo Social, Desenvolvimento Local e Empreendedorismo de Base.

Por meio do Projeto, a expectativa é potencializar as vocações desses adolescentes e jovens, para que sejam protagonistas em suas comunidades e contribuam com o desenvolvimento local através do empreendedorismo, aliado a temas como respeito à diversidade, direitos humanos, promoção de um ambiente de paz e sustentabilidade nas relações com o meio ambiente.

“Em meio a todo esse contexto que estamos vivendo, incentivar jovens a serem a mudança dentro da sua comunidade é muito gratificante. Tem sido um desafio, pois houve um distanciamento das salas de aulas e a dificuldade redobra em trazer esse jovem para participar das formações, mas ainda assim, temos um número significativo participando e demonstrando interesse pelo Projeto”, ressalta Fábia Oliveira, Assistente de Projetos da Adel.

O Projeto Jovens Empreendedores e Protagonistas Rurais foi selecionado no 11º Edital Socioambiental da Brookfield Energia Renovável, atualmente Elera Renováveis.

Adel e EDP abrem inscrições para PJER LGBTQIAP+ Oportunidades

Estão abertas as inscrições para mais uma turma do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER) com foco na promoção da diversidade. Podem participar jovens LGBTQIAP+ com idade entre 18 e 32 anos, que tenham concluído o ensino médio e residam em Caucaia, Fortaleza ou São Gonçalo do Amarante/CE. A inscrição é gratuita e está disponível neste link: https://forms.gle/cFJSEW5Xgf9YnsbCA.

Vinte (20) pessoas serão selecionadas para o PJER LGBTQIAP+ Oportunidades. A iniciativa conta com apoio da EDP, administradora da UTE Pecém. A inclusão socioprodutiva desses jovens é um ponto crítico hoje no meio rural e empreender é uma alternativa para que tenham autonomia e possam exercer papéis protagonistas em suas próprias histórias e de suas comunidades.

A formação inclui um curso com carga horária de 40 horas/aula, realizado totalmente à distância, com momentos síncronos, isto é, todos juntos numa sala virtual e atividades assíncronas, onde os participantes podem aprofundar os conhecimentos por meio de conteúdos complementares em diferentes formatos.

Composto por três módulos: (1) O meu mundo; (2) O mundo em sociedade e (3) O mundo lá fora, o curso irá trabalhar desde o autoconhecimento, construção de identidades, cidadania, direitos da população LGBTQIAP+, até estratégias de protagonismo e empreendedorismo de negócios e de impacto social.

Sobre o Projeto

Desde 2018, a Adel vem atuando para promover a inclusão socioprodutiva de jovens LGBTQIAP+, ao se aproximar da realidade dessa população, principalmente de jovens do meio rural. A Adel reconhece que os desafios dos jovens LGBTQIAP+ vão além dos âmbitos de trabalho e renda.

É necessário formar uma geração de jovens LGBTQIAP+ que sejam lideranças comunitárias capazes de construir uma ética de diversidade, inclusão social, cultural e econômica. Os jovens da população LGBTQIAP+ formados pelo Programa já atuam em diversos espaços de governança no território, influenciando de forma positiva nas agendas locais.

Adel contrata Auxiliar Administrativo

A Adel trabalha na promoção do desenvolvimento sustentável de territórios rurais por meio do empreendedorismo e do protagonismo de jovens, agricultoras e agricultores. Busca profissional com interesse em desenvolvimento pessoal e afinidade com os valores e a missão da organização. A pessoa contratada irá exercer uma função de suporte no dia a dia da administração institucional e da operação do escritório de gestão em Fortaleza, com possibilidade de viagens ocasionais para outras cidades do Nordeste.

O/a profissional contratado/a prestará total suporte e atendimento aos diversos públicos da organização, assim como suporte ao gerenciamento de estruturas, equipamentos e no funcionamento de espaços de trabalho no dia a dia.

A vaga de Auxiliar Administrativo possui tempo indeterminado, com carga horária de 40h/semanais, de preferência de segunda à sexta, de 8h às 12h e 13h às 17h. Vínculo CLT, com regime compensatório por meio de banco de horas.

Requisitos/Perfil desejado

Ensino Médio concluído e experiência sólida anterior na função de auxiliar administrativo, com nível básico de conhecimentos em informática (pacote Microsoft Office e softwares de produção, edição e diagramação de textos, planilhas, apresentações e documentos em geral). Disponibilidade para viagens para outros municípios na região e para outros estados.

Possuir Carteira Nacional de Habilitação (CNH), categoria B.

Principais tarefas 

Atendimento ao público de forma presencial, por telefone ou e-mail. Elaboração e preenchimento de planilhas; lançamento de dados em planilhas e sistemas; controle do envio e recebimento de mensagens e documentos. Elaboração de relatórios técnicos, operacionais e administrativos; arquivamento de documentos; suporte em organização e gerenciamento de estruturas, equipamentos e no funcionamento de espaços de trabalho no dia a dia. Suporte logístico e operacional, gerenciamento de almoxarifado. Apoio à área comercial, administrativa e financeira e demais atividades inerentes ao cargo.

A vaga é CLT com todos os benefícios contratuais

Salário compatível com o mercado; vale transporte; vale alimentação; seguro de vida; plano de saúde (50%); plano odontológico com tarifa reduzida.

Local de trabalho

Escritório de Gestão Institucional em Fortaleza/CE.

Como se candidatar

Os interessados deverão enviar o CV com pretensão salarial já no próprio arquivo do currículo, até 20/09/21, para oportunidades@adel.org.br com o assunto: Auxiliar Administrativo.