Adel inicia Projeto em duas escolas do Ceará

Tiago Cerqueira, Analista de Projetos Adel, durante apresentação do Projeto para os professores.

Nosso Projeto “Jovens Protagonistas Rurais: Educação contextualizada para o desenvolvimento sustentável” é realizado com professores e estudantes de duas escolas rurais do Ceará, uma em Pentecoste e outra em São Gonçalo do Amarante: EEMTI Tabelião José Ribeiro Guimarães e EEFM Adelino Alcântara Filho, respectivamente.

O Projeto busca disseminar conteúdos relacionados à educação para o desenvolvimento sustentável, através da introdução de temas transversais em uma perspectiva de educação contextualizada, que aproxima a escola da realidade das comunidades rurais onde vivem seus estudantes, considerando o potencial que têm como protagonistas sociais e futuros empreendedores locais.

Nas últimas semanas, nossa equipe de Programas visitou as duas escolas atendidas e apresentou o Projeto, seus objetivos e resultados esperados para os professores e núcleos gestores.  A primeira ação prevista é a ampliação de capacidades de 20 professores e gestores escolares das duas instituições de ensino para contribuir com a formação dos adolescentes e jovens no contexto rural do Semiárido, a partir de uma perspectiva de educação contextualizada.

Além da formação com professores e estudantes, estamos realizando um Estudo Situacional das Escolas. Com o engajamento de professores e gestores e levantamento de dados sobre protagonismo e participação estudantil, buscamos compreender como ocorre a atuação da comunidade escolar, quais os conteúdos e métodos referentes a educação contextualizada e os territórios em que as escolas estão inseridas são trabalhados, assim como o envolvimento e articulação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

“Para esse estudo situacional, estamos utilizando tanto dados secundários quanto primários. Os dados secundários estão sendo coletados a partir de informações disponibilizadas pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), indicadores do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e alguns estudos do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb). Ao mesmo tempo, estamos fazendo o levantamento de alguns dados primários durante as visitas às escolas, por meio de uma conversa mais próxima com os professores e com a equipe gestora”, reforça Tiago Cerqueira, nosso Analista de Projetos.

Sobre o Projeto

O Projeto “Jovens Protagonistas Rurais: Educação contextualizada para o desenvolvimento sustentável”, foi selecionado no Edital de Seleção de Projetos do Instituto Solea. Na última terça, 30/08, o Diretor Executivo do Instituto, Luiz André, visitou as escolas junto com nossa equipe e conheceu os gestores e educadores envolvidos. Para Luiz André, o Projeto terá um grande valor para a transformação positiva da realidade local e já é visível o interesse e engajamento das duas escolas.

Luiz André, Diretor Executivo do Instituto Solea, durante visita às escolas no Ceará.

A formação com professores é a primeira ação do projeto. Em seguida, 100 estudantes vão participar de oficinas com foco no desenvolvimento sustentável, na construção de projetos de vida e de trajetórias de desenvolvimento no contexto rural que considerem o empreendedorismo e o protagonismo social como estratégias viáveis para sua permanência no campo.

Adel publica Manifesto em Defesa da Democracia

Neste momento crítico da nossa História e seguindo as premissas do nosso Regimento Interno e atuação, enquanto parte ativa da sociedade civil organizada, apresentamos nosso manifesto em defesa da democracia, dos direitos humanos e de um modelo de desenvolvimento sustentável como política pública para o Brasil.

A sociedade civil organizada, da qual fazemos parte, precisa assumir no atual contexto, sua responsabilidade ética, como segmento que acompanha as realidades do país de perto. Que interage com as bases sociais e, em tantos casos, gera lugar de fala para pessoas, grupos e comunidades que lidam com imensos desafios para se fazer representar nos processos decisórios de interesse público.

Por conhecer e reconhecer que o Brasil, como um todo, deve se posicionar a favor de um projeto de desenvolvimento que seja social, econômico e culturalmente inclusivo e justo, assumimos nossa posição nestas Eleições. Não por um candidato ou outro. Não por um partido ou outro. Mas sim por um projeto civilizatório, por uma plataforma em que haja compromisso com os valores e princípios que, para nós, são centrais em um modelo de desenvolvimento e de governança para o Brasil.

Eleições 2022

Nas eleições gerais no Brasil em 2022, agendadas para o dia 2 de outubro, para o primeiro turno, e em 30 de outubro em caso de um segundo turno, não vamos apoiar nenhum candidato em específico. Mantemos nossa posição de absoluta neutralidade partidária. Mas manifestamos aqui nosso total repúdio ao fascismo e a plataformas políticas que não assumam compromisso com a democracia, os direitos humanos e com uma agenda em prol de um modelo de desenvolvimento sustentável, em todas as dimensões da vida em sociedade e das relações ecológicas da sociedade com o meio ambiente. Mantemos nossa posição de repúdio a candidatos e partidos que promovam ou realizem agressões, de qualquer tipo, à democracia.

Durante o período eleitoral, não vamos participar de nenhum evento de cunho político partidário, bem como não convidaremos nenhum candidato ou aliado para participar das nossas atividades. Também não autorizamos nenhuma pessoa se manifestar em nosso nome a favor de algum candidato ou partido.

Vamos manter o diálogo com as instituições públicas e a nossa postura institucional, seguindo advogando em defesa de causas, valores e preceitos que são fundamentais à nossa missão e visão como organização da sociedade civil. Após as eleições, as atividades e projetos que contam com o apoio de órgãos públicos em andamento seguirão o seu curso, bem como novos diálogos e parcerias poderão surgir neste âmbito.

Leia o Manifesto na íntegra: Manifesto em Defesa da Democracia

 

 

Adel contrata Analista de Projetos

Estamos contratando profissional com interesse em atuar no suporte operacional e técnico de atividades inerentes à nossa área Programática, tais como elaboração de propostas de projetos, relatórios, documentos técnicos e materiais de apoio pedagógico. O local de trabalho do(a) profissional contratado(a) será em Pentecoste, no Ceará.

A pessoa selecionada será responsável por planejar, elaborar, executar e relatar atividades pedagógicas que contribuam para promover a educação para o desenvolvimento sustentável em escolas rurais do Semiárido do Nordeste brasileiro, através da introdução da educação contextualizada, desenvolvendo capacidades com professores, gestores e estudantes sobre Temas Contemporâneos Transversais relevantes para o contexto educacional na realidade do Semiárido.

A vaga de Analista de Projetos possui carga horária de 40h/semanais, de preferência de segunda à sexta, de 8h às 12h e 13h30 às 17h30. Vínculo CLT, com regime compensatório por meio de banco de horas. O(a) profissional poderá ser requisitado(a) para apoiar ações em outros estados do Nordeste.

Requisitos/Perfil desejado

Graduação Superior em Ciências Humanas, preferencialmente Pedagogia. Desejável experiência na mobilização, inscrição e engajamento de estudantes; na produção de conteúdos e materiais de suporte pedagógico e didático para atividades dentro e fora das escolas, aplicação de cursos e oficinas com atores do contexto rural e estudantil; na condução de atividades de assessoria para orientação e suporte a estudantes, professores, gestores escolares, lideranças comunitárias, agricultores e agricultoras no desenvolvimento de projetos e ações nas comunidades e nas escolas.

Desejável conhecimento avançado em temas como leis e diretrizes básicas da educação, metodologias da educação e didática, novas tecnologias, elaboração de microprojetos e informática, com preferência em Microsoft Office em ambiente Windows. 

Atuação no ecossistema de impacto social: em organizações da sociedade civil (OSCs) ou em setores corporativos que atuam com responsabilidade socioambiental e sustentabilidade, em áreas de gestão e/ou operação.

Boa comunicação, oral e escrita, habilidade de articulação com diferentes atores.

Disponibilidade para viagens regionais e nacionais frequentes.

Possuir Carteira Nacional de Habilitação (CNH), categoria B.

Benefícios

Plano de saúde ambulatorial (50%) com cobertura regional; plano odontológico com cobertura regional; seguro de vida; auxílio-refeição.

Local de trabalho

Sede da Adel em Pentecoste, no Ceará.

Como se candidatar

Os interessados deverão enviar o CV com pretensão salarial já no próprio arquivo do currículo, até 15/09/22, para oportunidades@adel.org.br com o assunto: VAGA ANALISTA DE PROJETOS – DIRETORIA DE PROGRAMAS.

Adel contrata consultor(a) para atuar no Maranhão

Estamos contratando consultor(a) para atuar em nossos projetos no Maranhão. O profissional irá atuar no levantamento de informações sobre o contexto do Golfão Maranhense para a implementação de ações educomunicativas com foco na conservação de aves e seus habitats.

Buscamos profissionais residentes no Maranhão, com formação nas áreas de ciências sociais, humanas, agronômica e/ou biológicas, com experiência comprovada na elaboração de pesquisas e relatórios técnicos na área socioambiental.

As pessoas interessadas deverão preencher o formulário com prazo limite para o envio em 31/08/2022: Faça sua inscrição aqui.

Dúvidas podem ser encaminhadas até o dia 29/08/2022 para o email: oportunidades@adel.org.br

Adel realiza diagnóstico socioeconômico de comunidades rurais no interior do Ceará

Um dos nossos serviços é a elaboração de diagnósticos socioeconômicos e ambientais em territórios rurais e estudos de caracterização de força de trabalho local para subsidiar a elaboração de programas e projetos socioambientais. Nosso trabalho mais recente aconteceu nos últimos meses, no entorno do Complexo Eólico Mandacaru, da AES Brasil, que abrange os municípios de Trairi e Amontada, no estado do Ceará.

Foram mais de dez comunidades visitadas: Barrinha do Norte, Cana-Brava, Carrapicho, Cotese, Criancó, Curimãs, Guajiru, Lagoa de Dentro, Manguinho, Peixinho, Pernambuquinho e Timbaúba. O estudo diagnóstico socioeconômico incluiu o mapeamento de stakeholders e as possíveis estratégias de intervenção local para o impacto social nas áreas de influência do Complexo Eólico Mandacaru.

Foram realizadas cerca de 300 entrevistas semiestruturadas, incluindo agricultores, agricultoras e lideranças locais. A população dessas localidades apresenta, de maneira geral, ocupação econômica associada primordialmente à agricultura de subsistência, realizada de forma rudimentar (não mecanizada), à pesca artesanal e à criação de animais. Algumas comunidades se destacam também pelo turismo e o artesanato.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O trabalho de escuta e reconhecimento da realidade desses territórios, abre espaço para o diálogo e uma relação de cordialidade com as comunidades. Por meio do Diagnóstico, coletamos informações para subsidiar o plano de ação do projeto socioambiental a ser definido pela AES Brasil, identificando as demandas sociais. Por meio do estudo, também foi possível oferecer recomendações para os projetos sociais, com o objetivo de gerenciar as situações de crise, bem como estabelecer uma relação harmônica entre os moradores e o empreendimento. O conhecimento e as informações qualificadas sobre as comunidades são a base para a construção de propostas que possam contribuir para o desenvolvimento sustentável dos territórios, gerando impactos positivos para todas as pessoas envolvidas.

Insegurança alimentar atinge principalmente mulheres no Brasil

Segundo o 2º Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil (II Vigisan), a fome tem gênero e cor. Os dados da pesquisa apontam que a cada 10 lares governados por mulheres ou por pessoas negras de ambos os gêneros, 6 têm algum nível de insegurança alimentar. Nas famílias lideradas por homens, independentemente de raça, o índice é de 53,6%; já nos lares dirigidos por pessoas brancas, o percentual é de 46,8%.

O levantamento foi realizado pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede PENSSAN), nos 26 estados e no Distrito Federal, tanto em áreas urbanas quanto rurais. Foram entrevistados mais de 35 mil pessoas em quase 13 mil domicílios, entre novembro de 2021 e abril de 2022. Os resultados vão de encontro também com o relatório Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo, da Organização para Alimentação e Agricultura das Nações Unidas (FAO), onde 31,9% da população feminina do mundo vive com algum tipo de insegurança alimentar.

Segundo a FAO, a América Latina e o Caribe são as regiões que apresentam maior discrepância entre homens e mulheres quando o assunto é insegurança alimentar. Nesses locais, 45% da população feminina vive nessas condições, ante 33% da população masculina.

Gênero e agricultura familiar

Os dados refletem o racismo estrutural e o sexismo no Brasil e a urgência dos governos investirem em políticas públicas que combatam o problema a curto e a longo prazo.

Tendo em vista essa realidade, iniciamos esse ano o Projeto Segurança Alimentar e Nutricional realizado pela Energimp e executado por nós na comunidade Morgado, em Acaraú, no interior do Ceará. A iniciativa visa reduzir a vulnerabilidade das famílias da comunidade à fome, através da inclusão socioprodutiva, principalmente de mulheres locais.

Em julho, realizamos uma oficina sobre Gênero e Comercialização na Agricultura Familiar, na Associação Comunitária de Morgado. 17 (dezessete) mulheres beneficiárias do projeto participaram da atividade. A ação promoveu uma reflexão sobre as políticas públicas e outras estratégias de produção e comercialização na agricultura familiar

A oficina destacou também a importância da mulher na economia familiar e na garantia da segurança alimentar e nutricional; acesso às políticas públicas de produção e comercialização; planejamento e autonomia.

Como atividade prática, as participantes simularam a construção de um negócio, uma forma de incentivá-las a pensarem nos desafios, mas também se enxergarem como empreendedoras. As mulheres locais estão planejando comercializar os produtos oriundos de suas hortas e aviários.

“O encontro foi importante para destacar o forte protagonismo das mulheres para o desenvolvimento de propostas agroecológicas e para o fortalecimento das ações organizativas”, destaca Régma Queiroz, nossa Gerente de Novos Negócios.

Esperamos implantar 21 Quintais Produtivos Agroecológicos, 13 com foco na produção de hortaliças e 8 na produção de galinha caipira, por meio da construção de aviários. O projeto também inclui assessorias especializadas com foco na produção de alimentos com qualidade para o autoconsumo e a comercialização de excedentes, de modo direto, em mercados locais.

Adel e Neoenergia fomentam empreendedorismo da juventude rural no Nordeste

Entre os dias 5 e 7 de julho, em parceria com a Neoenergia, iniciamos as atividades presenciais do Curso “Empreendedorismo e Protagonismo Social”, com jovens dos municípios de São José do Sabugi e Santa Luzia, na Paraíba, e dos municípios de Lagoa Nova e Bodó, no Rio Grande do Norte.

Mais de cinquenta jovens participaram da primeira semana formativa do curso, que integra o eixo de Educação do Programa SER- Saúde, Educação e Renda, executado por nós em parceria com a Neoenergia e o Instituto Neoenergia, próximo aos empreendimentos eólicos da empresa.

A formação reúne ferramentas que auxiliarão os jovens na elaboração de seus Projetos de Negócio, sejam com fins econômicos ou sociais. Uma oportunidade para aqueles que desejam empreender e contribuir para o desenvolvimento sustentável de suas comunidades e municípios.

Os jovens participaram do primeiro módulo com oficinas sobre Desenvolvimento Local e Empreendedorismo. Aprofundaram ainda o conhecimento sobre planejamento, criação, gestão e desenvolvimento de empreendimentos rurais. Analisaram os contextos em que desejam empreender e identificaram oportunidades locais. Ao todo, o Curso contará com cinco módulos, totalizando 96 horas/aula.

O módulo 2 aconteceu na última semana, de 19 a 21 de julho, focado em Educação Financeira, Análise de Mercado e Projetos de Negócios. O módulo 3 está previsto para acontecer de 9 a 11 de agosto e vai abordar temas como gestão, comunicação e marketing, planejamento estratégico e financeiro. As atividades formativas alternam entre momentos presenciais e à distância e acontecem, simultaneamente, com a mesma programação, na comunidade Jatuarana, município de Bodó (RN), e na comunidade Latadinha, município de São José do Sabugi (PB).

Marise Eduarda, 24, jovem beneficiada no Assentamento Jatuarana, afirma que gostou bastante da primeira semana formativa e já pretende ampliar seu empreendimento. “O curso é muito rico, trouxe várias ideias bacanas de como ampliar ou criar o seu próprio negócio. Eu já tenho minha loja online, ‘Marise Presentes’, vendo perfumaria, moda íntima e acessórios. Minha ideia é ampliar meu empreendimento, acrescentar novos produtos e para isso já estou abrindo minha microempresa. A gente aprende também a compartilhar experiências com outros alunos da turma, tem sido enriquecedor”, enfatiza Marise.

Sobre o Programa SER

O Programa SER – Saúde, Educação e Renda é uma estratégia da Neoenergia, desenvolvida com o apoio do Instituto Neoenergia, para contribuir com a melhoria da qualidade de vida nas comunidades de influência da empresa, próximas aos empreendimentos eólicos e de transmissão, gerando impactos sociais, econômicos, ambientais e educacionais positivos, destacando resultados e impactos em três eixos estratégicos: Saúde, Educação e Renda.

Acesso a crédito por mulheres empreendedoras

Jovens em Pentecoste/CE para a assinatura dos contratos de acesso à crédito

Esse mês, realizamos na nossa sede, em Pentecoste/CE, a assinatura dos contratos e termos para liberação de crédito por meio do Fundo Veredas, nossa iniciativa própria de microcrédito para jovens empreendedores rurais. Sete jovens, todas mulheres, submeteram seus Projetos de Negócios, elaborados ao final da formação do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER), à análise junto ao Comitê do Fundo, todos foram aprovados e as jovens foram contempladas com o recurso financeiro.

Em maio, a turma do PJER finalizou a etapa formativa em São Gonçalo do Amarente/CE, as beneficiárias do crédito residem em comunidades rurais do município e atuam em áreas como maquiagem, salão de beleza, venda de bolos caseiros, roupas infantis e artigos de decoração.

Sete empreendedoras foram contempladas com o crédito

Para a empreendedora Sabrina Castro, 18, idealizadora do Studio Sabrina Castro, o crédito chegou em boa hora. “Já fiz cursos de extensão de cílios, maquiagem e sobrancelhas, estou na área da beleza há 1 ano. A partir do acesso ao crédito, quero ampliar e melhorar ainda mais o meu empreendimento, sou grata a Adel pela oportunidade”, reforça a jovem que reside em Croatá.

Essa turma conta com apoio do CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) de São Gonçalo do Amarante/CE. Prevê ainda o estímulo para criação e desenvolvimento de Arranjos Produtivos Locais (APLs) por parte dos jovens das comunidades rurais, de modo a inserir seus empreendimentos e suas atividades em cadeias de valor da região. Essa turma se destaca por ser composta majoritariamente por mulheres que buscam estruturar melhor seus empreendimentos, gerar mais renda e sustentabilidade para suas famílias.

Adel divulga Relatório Anual de 2021

Estamos inaugurando um novo momento da nossa trajetória e queremos compartilhar nossos principais resultados em prol do desenvolvimento sustentável de territórios rurais, uma paixão que nos move, nos faz expandir e crescer como organização. 

Este ano, celebramos 15 anos de atuação. Uma trajetória de múltiplos desafios, partindo de uma semente, formada por um grupo de jovens de comunidades rurais do Semiárido que fizeram a escolha por retornar ao território de origem para investir seus talentos e saberes.

Nesses quinze anos avançamos em nossa missão e contribuímos para transformações sociais que beneficiaram milhares de pessoas de centenas de comunidades rurais. Nossa resiliência e foco em nossos propósitos, refletem nossos resultados nos últimos anos e os diálogos possíveis com jovens, agricultoras e agricultores do Nordeste brasileiro.  

Apesar das dificuldades enfrentadas nos últimos anos, 2021 foi um ano de avanços, de novas parcerias e consolidação das nossas atividades técnica e gerencial. Convidamos todos e todas a verem os resultados de nossos projetos expressos não só em números, mas também no sorriso de cada pessoa beneficiada.

Acesse o nosso Relatório Anual de 2021 e conheça um pouco mais da nossa história: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSenJ1KyL2kKEPlF-OsFYdFkH4-yzSsRUlzpukPYtF_3EnJPIA/viewform

Fortalecimento da Agricultura Familiar no Nordeste

Há cerca de três anos, estamos lado a lado com a Neoenergia, executando ações do Programa SER – Saúde, Educação e Renda, em dois estados do Nordeste brasileiro: Paraíba e Rio Grande do Norte. No estado potiguar, os projetos de impacto social são realizados nos municípios Bodó e Lagoa Nova e têm como propósito o desenvolvimento de capacidades de 509 famílias (2.036 pessoas), em sete comunidades rurais, a partir das vocações e potencialidades locais.

As comunidades atendidas em Bodó são Jatuarana, Paraíso e Bom Jardim. Já em Lagoa Nova, são Massangana, Baixa Verde, Canta Galo e Santa Rita. No eixo Renda, por exemplo, estamos trabalhando na implementação de tecnologias sociais para o desenvolvimento da agricultura familiar e no fortalecimento de arranjos produtivos locais.

Em Jatuarana, já estão sendo implementadas duas tecnologias sociais: os canteiros econômicos e um viveiro de mudas. Inicialmente, realizamos um encontro de formação com o grupo de mulheres do assentamento local para dialogarmos sobre desenvolvimento sustentável e diversidade em seus quintais produtivos e contamos com a participação de nove mulheres – todas serão beneficiadas com canteiros econômicos. No total, serão construídos 12 canteiros na comunidade.

O momento aconteceu de forma prática em um quintal onde não havia nenhum tipo de produção. Dialogamos sobre desenvolvimento econômico e sustentável nas comunidades rurais, a partir de uma convivência harmoniosa com o clima semiárido, por meio das tecnologias sociais, alternativas de baixo custo e fácil implementação, que agregam informação e conhecimento para mudar a realidade local.

Durante o encontro, as mulheres participaram da construção do primeiro canteiro econômico de Jatuarana, a fim de inseri-las no processo de decisão e construção dessa tecnologia. Enfatizamos ainda a importância da produção de hortaliças para a segurança alimentar e nutricional das famílias, disponibilizando acesso permanente de alimentos para consumo, como também a possibilidade de venda do excedente na própria comunidade, gerando saúde e renda.

“Tô amando meu canteiro, na foto a gente pensa uma coisa, mas vendo ser construído é outra realidade, não sabia que era grande assim, vou plantar de tudo um pouco e ainda vou plantar ervas medicinais para fazer chá, que eu adoro”, comemora Francielly de Lira, agricultora que também trabalha como diarista e primeira beneficiada a receber o canteiro econômico.

A principal diferença desse tipo de canteiro está na irrigação; enquanto os modelos tradicionais utilizam em média 20 litros de água, o econômico utiliza cinco litros. Essa tecnologia social reduz significativamente o consumo de água na produção de hortaliças. Assim, configura-se como uma estratégia importante de convivência com o semiárido.

Além dos canteiros, também foi construído e entregue um viveiro permanente para a produção de mudas frutíferas, capaz de atender às demandas da comunidade. Equipado com carrinhos de mão, ferramentas de jardinagem, sacos de mudas e sementeiras, o viveiro possui 25 m² e tem capacidade produtiva de aproximadamente quatro mil mudas. O foco produtivo são mudas de cajueiro e maracujá, uma vez que a fruticultura é uma das principais atividades agrícolas da região e a aquisição de mudas sempre foi uma das grandes dificuldades enfrentadas pelos produtores locais.

O viveiro propõe fortalecer a fruticultura local, promover a valorização e o protagonismo da agricultura familiar de base comunitária, a partir da organização coletiva da comunidade, além de gerar renda e trabalho. 24 famílias serão beneficiadas diretamente pelo viveiro e serão responsáveis pela produção das mudas e manutenção do espaço.

Sobre o Programa SER

O Programa SER – Saúde, Educação e Renda é uma estratégia da Neoenergia, desenvolvida com o apoio do Instituto Neoenergia, para contribuir com a melhoria da qualidade de vida nas comunidades de influência da empresa, próximas aos empreendimentos eólicos e de transmissão, gerando impactos sociais, econômicos, ambientais e educacionais positivos, destacando resultados e impactos em três eixos estratégicos: Saúde, Educação e Renda.