Jovens de São Gonçalo do Amarante acessam crédito durante a pandemia

Há cerca de dois meses, seis (6) jovens do município de São Gonçalo do Amarante, no Ceará, tomaram crédito no Fundo Veredas, uma iniciativa própria e particular de crédito criada e gerida pela Adel e que recebeu investimentos financeiros da EDP, administradora da UTE Pecém, por meio do Instituto EDP, para apoiar esses jovens empreendedores rurais.

Os jovens de São Gonçalo do Amarante são egressos do Curso de Protagonismo e Empreendedorismo de Negócios e de Impacto Socioambiental, realizado em 2020 pela Adel e o Instituto EDP através do Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER). O PJER fomenta o desenvolvimento de empreendimentos de negócios e de impacto socioambiental no meio rural, aliando o acesso dos jovens beneficiados a conhecimento, a crédito, a redes colaborativas e a tecnologias, que lhes permitam iniciar e aprimorar suas iniciativas.

Durante o Curso, os jovens desenvolveram suas capacidades técnicas e gerenciais e elaboraram os Projetos de Negócios que submeteram ao Fundo Veredas. O acesso ao crédito compreende etapas como visitas da equipe técnica da Adel para análise do contexto onde está inserida a proposta do negócio; e, análise do projeto pela comissão gestora do Fundo Veredas, formada por representantes da própria Adel, que avaliam viabilidade técnica e econômica, período de carência e planos de pagamentos.

Os jovens apoiados nessa turma do PJER têm idade entre 18 e 32 anos, e moram nas comunidades de Pecém, Siupé, Parada, Umarituba, Croatá e na sede de São Gonçalo do Amarante. As mulheres somam 80% da participação. Elas enxergam no Programa a oportunidade de ampliar suas capacidades, trocar experiências e adquirir conhecimentos que contribuam para geração de renda e independência financeira.

A expectativa é que dezenove (19) jovens tenham o apoio financeiro. Nessa primeira etapa, seis (6) jovens já tiveram  acesso a R$17.660,25 em crédito. A Adel espera beneficiar mais treze (13) jovens até o final de abril.

Jovens Beneficiadas

Cada jovem recebeu, em média, R$3.000,00 para investir em seu pequeno negócio. As beneficiadas são: Sabrina Neves, 31, que possui a Pizzaria Mei Du Matu (@meidumatu), na Comunidade Violete; Karoline Soares Falcão, 24, que realiza atendimento fisioterápico domiciliar (@karolsoares_fisio), na comunidade Umarituba; Laryssa Sandy Soares Monteiro, 21, que possui a Mel Cosmética e Variedades (@melcosmetica_variedades), na sede de São Gonçalo do Amarante; Débora Hivana Rodrigues, 24, idealizadora da Use Boutique dos Pés (@useboutiquedospese), na comunidade Siupé; Gleiciane Gonçalves, 23, que possui o empreendimento Divas Unhas Gleicy (@divasunhasgleicy), na comunidade Siupé; e, Jádya Correia, 23, que possui o empreendimento Segunda Pele (@use.segundapele), também na comunidade Siupé.

Para Débora Hivana, empreender veio como uma necessidade. Com a crise econômica ocasionada pela pandemia da Covid-19 e o país registrando índices altíssimos de desemprego, a jovem se viu fazendo parte das estatísticas. “Em agosto de 2020 fiquei desempregada, o desejo de ter meu próprio negócio surgiu, avaliando as oportunidades que o mercado tinha a oferecer, criei uma loja online de calçados femininos”, reforça. Segundo Débora, participar do PJER lhe mostrou uma nova visão de como administrar seu negócio, a jovem que começou com uma conta no Instagram e vendas através do WhatsApp, conta que com uma boa gestão viu os seguidores aumentarem, assim como o volume de vendas, ao enxergar um nicho de mercado pouco explorado na sua comunidade.

Débora Hivana, Jovem Empreendedora Rural, na formação.

De acordo com a Coordenadora de Projetos Adel,  Raquel Ferreira, o crédito é essencial para os jovens. “Depois que eles vivenciam a formação, elaboram e concluem seus projetos de negócios, eles passam por várias etapas de análises e ajustes para deixá-los viáveis para a implementação e execução. Em um momento como esse de crise mundial causada pela pandemia, estar perto do jovem através de assessorias para a elaboração do projeto, ajustes e acompanhamento é essencial. Com a formação e o acesso ao crédito, os jovens empreendedores podem se desenvolver, gerar renda para eles e suas famílias, tornando-se atores sociais e impactando positivamente suas comunidades”.

Sobre o Fundo Veredas

Implantado em 2015 pela Adel, o Fundo Veredas conta com mais de R$600 mil reais em volume de operações e oferece empréstimos exclusivamente a jovens empreendedores nos territórios em que o PJER é implantado.

São três linhas de microcrédito: semente, orientado e direcionado. A linha de crédito direcionado ocorre quando o parceiro investidor tem jovens pré-selecionados, onde o microcrédito passa a ser direcionado.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *