Programa promove o acesso à água e valoriza a cultura quilombola na Paraíba

Com o objetivo de ampliar as oportunidades de aprendizagem e valorizar a cultura quilombola, a Adel e a Neoenergia iniciaram em 2019, por meio do Programa SER – Saúde, Educação e Renda, estratégia desenvolvida com o apoio do Instituto Neoenergia, dois projetos com a comunidade quilombola Cruz da Menina, localizada no município Dona Inês, na Paraíba.

Os projetos têm como foco o acesso à água de qualidade para consumo humano e produção; e, a ampliação de capacidades das famílias, sobretudo das mulheres, por meio de ações educativas para promover a cidadania e a geração de trabalho e renda. A iniciativa inclui a construção de um Centro Cultural Quilombola. O espaço busca fortalecer o artesanato, o turismo rural e a culinária local, bem como o empreendedorismo e o protagonismo das mulheres.

A comunidade Cruz da Menina surgiu por volta de 1850. É formada por 100 famílias e foi reconhecida em 2008, como Comunidade Remanescente de Quilombo, pela Fundação Cultural Palmares. As famílias quilombolas de Cruz da Menina buscam superar a prática da cultura de subsistência e continuar respeitando seus valores ancestrais, ao mesmo tempo em que investem em estratégias de desenvolvimento sustentável, para garantir uma vida digna.

Bianca Cristina, 38, agricultora, graduada em letras e representante da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ), é uma das lideranças da comunidade que acredita no protagonismo das mulheres quilombolas para promoção do desenvolvimento local. Desde os 12 anos, Bianca realiza trabalhos sociais na comunidade, e atualmente é Diretora Cultural da Associação local. Ela também é Presidente da Coordenação Estadual das Comunidades Negras Quilombolas da Paraíba (CECMEQ).

Segundo Bianca, as mulheres quilombolas são fundamentais no combate à invisibilidade social da cultura local. “Essas comunidades são espaços de manutenção e resistência da cultura negra, até mesmo das suas ancestralidades africanas, o que tem a sua sobrevivência vinculada à liderança de mulheres negras”, destaca.

Cruz da Menina ainda mantêm viva as tradições herdadas de seus antepassados e preserva vários traços de sua cultura e história. Entre as manifestações culturais da comunidade estão os grupos de Coco de Roda e de Ciranda, formados principalmente por mulheres, que se apresentam em eventos culturais e educacionais na Paraíba e em outros estados brasileiros.

Na pandemia as atividades socioculturais foram reduzidas, mas Bianca enfatiza que a Associação continuou com a ajuda de parceiros realizando algumas ações de apoio às famílias. “Uma das principais frentes da comunidade é essa liderança que temos, esse é o espírito do nosso trabalho. Sempre fazíamos campanhas, mas quase que parou tudo por conta do vírus, mas com a ajuda de parceiros encontramos a força para continuar a luta.  A gente vem atendendo muitas famílias carentes de comunidade locais, doamos quase cinco mil cestas básicas para as famílias. Mais uma conquista do movimento quilombola que veio em uma boa hora.”

Ações do Programa SER

As ações do Programa SER – Saúde, Educação e Renda foram iniciadas em Cruz da Menina após a realização de um estudo diagnóstico com a comunidade em 2019 para perceber as oportunidades e demandas locais. Devido ao contexto pandêmico, somente em abril de 2021, a equipe da Adel, entidade executora do Programa, revitalizou o poço profundo que abastece a comunidade.

Para Bianca, a ação veio para fortalecer as expertises dos moradores locais e contribuir com a comunidade. “A gente ver esse projeto como um complemento para melhorar o que a gente já vem desenvolvendo. No momento estamos indo com calma por conta da pandemia, mas esperamos poder participar de mais oficinas em breve. Seguimos acreditando em dias melhores e na força importante de ter ajuda de parceiros e instituições como a Adel e a Neoenergia”, destaca.

Nos próximos meses, estão previstas a realização de oficinas sobre: associativismo e cooperação para o desenvolvimento Local; convivência com o semiárido; gestão das águas; sistema de dessalinização das águas; empreendedorismo e gestão de pequenos e médios empreendimentos; artesanato e design feito à mão; turismo rural; e culinária. Também serão realizadas a instalação de um sistema de dessalinização de água; a construção do Centro Cultural Quilombola Cruz da Menina; e, sessões de assessoria técnica para gestão e gerenciamento dos equipamentos coletivos instalados.

 

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *